AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Pública Indica 08-06-2102

Novo estudo sobre a economia do tráfico de cocaína na Colômbia mostra que só 2,6% do valor permanece no país, enquanto 97,4% dos lucros ficam com criminosos e são lavados em grandes bancos. “Todo o sistema (de repressão) está baseado em ir atrás do cara pequeno, o elo fraco na corrente, e nunca dos grandes negócios ou sistemas financeiros onde o dinheiro realmente está”, diz um dos autores, o economista colombiano Daniel Mejía. A reportagem é do Guardian, em inglês.

Novo estudo sobre a economia do tráfico de cocaína na Colômbia mostra que  só 2,6% do valor permanece no país, enquanto 97,4% dos lucros ficam com criminosos e são lavados em grandes bancos. “Todo o sistema (de repressão) está baseado em ir atrás do cara pequeno, o elo fraco na corrente, e nunca dos grandes negócios ou sistemas financeiros onde o dinheiro realmente está”, diz um dos autores, o economista colombiano Daniel Mejía. A reportagem é do Guardian, em inglês.

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

Anatomia de um crime 6

, | por | 23 de março de 2017

Repórter da Pública percorre a história do Maracanã, patrimônio cultural destruído com autorização do Iphan e abandonado pelo poder público depois de mais de R$ 1,3 bilhão gasto em obras suspeitas de alimentar a corrupção

Pobre sai, rico fica

Pobre sai, rico fica 2

| por | 16 de março de 2017

A Justiça trata de maneira “diferenciada” os ricaços que têm mansões perto do Jardim Botânico – entre eles, o atual secretário de Habitação do Rio, Índio da Costa