AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Pública Indica 30-08-2012

O repórter IVAN MARSIGLIA, do Estadão, conta a história de uma casa, no centro de Petrópolis, que foi palco para todo tipo de violações aos direitos humanos durante a ditadura no Brasil. Na semana passada, um decreto assinado pelo prefeito transformou a “Casa da Morte” num imóvel de “utilidade pública”: é o primeiro passo para transformá-la em memorial das vítimas da ditadura militar.

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

Uma pena, duas medidas

| por | 17 de julho de 2017

Enquanto as mulheres com filhos pequenos lutam para obter a prisão domiciliar, direito previsto por lei, presos da Lava Jato gozam desse benefício sem amparo da legislação penal

A faculdade estatizada no Mato Grosso

| por | 30 de junho de 2017

Instituição criada por Gilmar Mendes e sua família em Diamantino foi incorporada pelo Estado no governo de Silval Barbosa, amigo do ministro do STF; Ministério Público investiga a legalidade do negócio de R$ 7,7 milhões. Executivo reconhece que não tem recursos para manter a unidade como determina a lei