AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Carnaval e Copa, será que dá samba?

Em Belo Horizonte, marchinha “Imagina na Copa” vence concurso e mostra o que
população está pensando sobre o evento

A Copa do Mundo segue em ritmo de samba em Belo Horizonte. E a melodia parece não
estar agradando à população, que já tem até uma marchinha para lembrar quem realmente
sai ganhando com o mundial. No último dia 28 de janeiro, a música “Imagina na Copa”,
dos compositores Daniel Iglesias, Matheus Rocha e Guto Borges venceu o segundo
Concurso de Marchinhas Mestre Jonas, realizado na cidade.

Criado no ano passado pela agência cultural Cria Cultura, o Concurso de Marchinhas
Mestre Jonas surgiu para resgatar os antigos bailes carnavalescos, com concurso de
fantasias e de marchinhas criadas pela população. A premiação é realizada em um baile
onde as 12 marchinhas selecionadas pela curadoria do Concurso se apresentam e são
avaliadas por um júri, que indica as três finalistas.

As campeãs são então escolhidas pelos participantes do baile, sendo que o primeiro lugar
leva a premiação de R$ 5 mil, o segundo de R$ 3 mil e o terceiro de R$ 1 mil. No ano
passado, a marchinha vencedora foi “Na Coxinha da Madrasta”, que fazia referência à
polêmica envolvendo o presidente da Câmara Municipal, Leo Burguês e seus milhares de
reais gastos em um buffet de sua madrasta.

Neste ano foi a vez da Copa: “O público começou a gritar o nome da marchinha antes
mesmo de ir a votação do júri”, conta a jornalista Brisa Marques, uma das curadoras do
Concurso.

Imagina na Copa

Com referências aos despejos realizados para as obras da Copa e aos interesses dos
políticos locais no mundial, a letra começou com uma brincadeira entre amigos:
“Estávamos de bobeira em casa e o Matheus disse que queria fazer uma marchinha sobre
a Copa, aí já falei ‘imagina na copa’ e fomos escrevendo a letra”, conta Daniel Iglesias,
um dos compositores. Perto da casa onde moram Daniel e Matheus, há um campo de
futebol de várzea que eles costumam frequentar e deve dar lugar a um hotel para o
mundial. “É bizarro pensar que por causa da Copa vão destruir um campinho para fazer
hotel”, comenta Matheus.

A vitória da marchinha surpreendeu os membros do Comitê Local dos Atingidos pela
Copa. “Foi uma surpresa muito marcante, inclusive porque no começo do Comitê
[em 2010] as pessoas achavam que era exagero nosso, e hoje já vemos a população
entendendo melhor os impactos da Copa”, comemora o membro do Comitê, Fidelis
Alcântara.

Ouça a música

#imaginanacopa

Daniel Iglesias, Matheus Rocha, Guto Borges

Derrubaram minha casa
Por um erro de arbitragem
Ai meu deus, essa copa do mundo
É uma puta falta de sacanagem!

Beagá não sai ganhando
Nem se for pra repescagem

Se o filho da babá é dono da bola
Vou levar minha pelada pra Contagem

Se na praça não pode vender pipoca
#imaginanacopa
Se o Laécio tá fechado com a Coca
#imaginanacopa
Se na Guaicurus só ta dando poliglota
#imaginanacopa
Se o burguês pira nas mina de pi… Ôpa!
#imaginanacopa
Se no rádio essa música não toca
#imaginanacopa

Tags: , ,

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

Hoje não tem água nem aula

| por | 24 de agosto de 2015

Desde 2013, as escolas paulistas sofrem com a crise de abastecimento de água, reconhecida recentemente pelo governo do estado. Para pais, professores e diretores, a falta de orientação aos gestores escolares agrava o prejuízo dos alunos. Leia a primeira reportagem das microbolsas sobre Crianças e Água promovidas pelo Instituto Alana em parceria com a Agência Pública

Eles que comam ouro!

Eles que comam ouro!

| por | 19 de agosto de 2015

Camponeses das comunidades ao longo do rio Marañón, um dos mais importantes afluentes do Amazonas, resistem às obras da Odebrecht para instalar hidrelétricas em Cajamarca, celeiro de alimentos do Peru

Hoje não tem água nem aula

Hoje não tem água nem aula

| por | 24 de agosto de 2015

Desde 2013, as escolas paulistas sofrem com a crise de abastecimento de água, reconhecida recentemente pelo governo do estado. Para pais, professores e diretores, a falta de orientação aos gestores escolares agrava o prejuízo dos alunos. Leia a primeira reportagem das microbolsas sobre Crianças e Água promovidas pelo Instituto Alana em parceria com a Agência Pública

Eles que comam ouro!

| por | 19 de agosto de 2015

Camponeses das comunidades ao longo do rio Marañón, um dos mais importantes afluentes do Amazonas, resistem às obras da Odebrecht para instalar hidrelétricas em Cajamarca, celeiro de alimentos do Peru

Tools