Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

Em Belo Horizonte, marchinha “Imagina na Copa” vence concurso e mostra o que
população está pensando sobre o evento

8 de fevereiro de 2013
09:00
Especial: Copa Pública

A Copa do Mundo segue em ritmo de samba em Belo Horizonte. E a melodia parece não
estar agradando à população, que já tem até uma marchinha para lembrar quem realmente
sai ganhando com o mundial. No último dia 28 de janeiro, a música “Imagina na Copa”,
dos compositores Daniel Iglesias, Matheus Rocha e Guto Borges venceu o segundo
Concurso de Marchinhas Mestre Jonas, realizado na cidade.

Criado no ano passado pela agência cultural Cria Cultura, o Concurso de Marchinhas
Mestre Jonas surgiu para resgatar os antigos bailes carnavalescos, com concurso de
fantasias e de marchinhas criadas pela população. A premiação é realizada em um baile
onde as 12 marchinhas selecionadas pela curadoria do Concurso se apresentam e são
avaliadas por um júri, que indica as três finalistas.

As campeãs são então escolhidas pelos participantes do baile, sendo que o primeiro lugar
leva a premiação de R$ 5 mil, o segundo de R$ 3 mil e o terceiro de R$ 1 mil. No ano
passado, a marchinha vencedora foi “Na Coxinha da Madrasta”, que fazia referência à
polêmica envolvendo o presidente da Câmara Municipal, Leo Burguês e seus milhares de
reais gastos em um buffet de sua madrasta.

Neste ano foi a vez da Copa: “O público começou a gritar o nome da marchinha antes
mesmo de ir a votação do júri”, conta a jornalista Brisa Marques, uma das curadoras do
Concurso.

Imagina na Copa

Com referências aos despejos realizados para as obras da Copa e aos interesses dos
políticos locais no mundial, a letra começou com uma brincadeira entre amigos:
“Estávamos de bobeira em casa e o Matheus disse que queria fazer uma marchinha sobre
a Copa, aí já falei ‘imagina na copa’ e fomos escrevendo a letra”, conta Daniel Iglesias,
um dos compositores. Perto da casa onde moram Daniel e Matheus, há um campo de
futebol de várzea que eles costumam frequentar e deve dar lugar a um hotel para o
mundial. “É bizarro pensar que por causa da Copa vão destruir um campinho para fazer
hotel”, comenta Matheus.

A vitória da marchinha surpreendeu os membros do Comitê Local dos Atingidos pela
Copa. “Foi uma surpresa muito marcante, inclusive porque no começo do Comitê
[em 2010] as pessoas achavam que era exagero nosso, e hoje já vemos a população
entendendo melhor os impactos da Copa”, comemora o membro do Comitê, Fidelis
Alcântara.

Ouça a música

#imaginanacopa

Daniel Iglesias, Matheus Rocha, Guto Borges

Derrubaram minha casa
Por um erro de arbitragem
Ai meu deus, essa copa do mundo
É uma puta falta de sacanagem!

Beagá não sai ganhando
Nem se for pra repescagem

Se o filho da babá é dono da bola
Vou levar minha pelada pra Contagem

Se na praça não pode vender pipoca
#imaginanacopa
Se o Laécio tá fechado com a Coca
#imaginanacopa
Se na Guaicurus só ta dando poliglota
#imaginanacopa
Se o burguês pira nas mina de pi… Ôpa!
#imaginanacopa
Se no rádio essa música não toca
#imaginanacopa

Seja aliada da Pública

Faça parte do nosso novo programa de apoio recorrente e promova jornalismo investigativo de qualidade. Doações a partir de R$ 10,00/mês.

Mais recentes

Militares de baixa patente romperam com Bolsonaro, diz sindicalista

10 de dezembro de 2019 | por

O presidente da Associação Nacional dos Militares do Brasil (ANMB) diz que a categoria se sentiu traída por Bolsonaro com projeto, aprovado no Congresso, sobre aposentadorias e reajustes

A história de Darley, “radinho” do tráfico

6 de dezembro de 2019 | por e

Vítimas de uma das piores formas de trabalho infantil, a exploração pelo tráfico de drogas, crianças e adolescentes são tratados pelo Estado como criminosos

O Estado não existe na terra indígena mais letal para os guardiões da floresta

5 de dezembro de 2019 | por

Fomos até a Terra Indígena Arariboia no Maranhão, onde nasceram os Guardiões da Floresta, para investigar as mais de 20 mortes de indígenas que até hoje seguem impunes