AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

WIKILEAKS: O papa Bergoglio e os Kirchner

Telegramas da embaixada americana em Buenos Aires mostram a influência do novo papa na política argentina e sua ligação com a oposição

Despachos oriundos da embaixada de Buenos Aires, vazados pelo Wikileaks, revelam que o novo papa da Igreja Católica, o argentino Jorge Bergoglio, era um nome bastante citado pela oposição argentina em conversas com diplomatas americanos.

Embora não haja nenhuma conversa direta entre o líder religioso e os diplomatas dos Estados Unidos, os oito cables que citam o cardeal no período de 2006 a 2010 mostram que a oposição do país vizinho, assim como os americanos, via nele um agente político poderoso contra os Kirchner.

O atual papa Francisco I é citado em um documento do final de outubro de 2006 que trata do revés político sofrido pelo aliado de Néstor Kirchner, então presidente, na província de Missiones, no nordeste do país. Carlos Rovira, tentara um plebiscito para alterar a constituição da província e tornar possível sua própria reeleição por indefinidas vezes. Mas foi batido pela oposição liderada pelo bispo emérito de Puerto Iguazú, Monsignor Piña.

“O Cardeal Jorge Mario Bergoglio, líder da Arquidiocese Católica de Buenos Aires, ofereceu seu apoio pessoal aos esforços de Piña, mas também desencorajou qualquer envolvimento oficial da Igreja em política”, relata o documento. O engajamento de outros religiosos na política é descrito neste mesmo telegrama. “A lista de candidatos da oposição era constituída principalmente de líderes religiosos, incluindo ministros católicos e protestantes, que eram amplamente vistos como líderes morais livres de qualquer bagagem política”, apontaram os diplomatas.

E se Bergoglio descartava o envolvimento “oficial” da Igreja, outros documentos revelam  que ele não se mantinha longe da política. Em um documento de maio de 2007, a relação entre a Igreja Católica e o governo Néstor Kirchner é descrita como “tensa”: “Bergoglio recentemente falou de sua preocupação com a concentração de poder de Kirchner e o enfraquecimento das instituições democráticas na Argentina”. Além disso, reportam os documentos, Bergoglio agia fortemente nos bastidores, provocando a irritação dos partidários de Kirchner. “O prefeito de Buenos Aires, Jorge Telerman, e sua parceira de coalizão e candidata a presidência, Elisa Carrio, supostamente encontraram-se com Bergoglio em abril, e a inclusão do líder muçulmano Omar Abud na lista de candidatos ao legislativo de Telerman foi supostamente ideia de Bergoglio”, reportaram os diplomatas. O religioso também era muito próximo de Gabriela Michetti, então ex-vice prefeita de Buenos Aires e atualmente deputada federal da oposição, segundo outro telegrama, de 26 de janeiro de 2010.

A relação desgastada entre a Casa Rosada e a Arquidiocese de Buenos Aires chegou ao rompimento entre as duas instituições. Os laços institucionais entre a presidência argentina e o cardeal só seriam retomados por Cristina Kirchner em 2008, quando ela se encontrou com Bergoglio, segundo telegrama de abril daquele ano. Dias depois, os americanos especulam sobre a possibilidade do Cardeal negar-se a celebrar a missa de 25 de maio – data nacional na Argentina – em decorrência da mudança das festividades de Buenos Aires para Salta.

Um líder manchado pela relação com a ditadura

Outro telegrama que cita Bergoglio, de outubro de 2007, narra a condenação de Christian Von Wernich, padre e ex-capelão da polícia de Buenos Aires durante a ditadura na Argentina. Wernich foi considerado cúmplice em sete assassinatos, 31 casos de tortura e 42 sequestros.

Após o veredito, a arquidiocese de Buenos Aires publicou uma nota em que convocava o sacerdote a se arrepender e pedir perdão em público. “A Arquidiocese disse que a Igreja Católica Argentina estava transtornada pela dor causada pela participação de um dos seus padres nestes crimes graves”, relata o despacho.

Para os americanos, este evento acabaria impactando na imagem de Bergoglio. “Entretando, numa época em que alguns observadores consideram o primaz católico romano Cardeal Bergoglio ser um líder da oposição à administração Kirchner por conta de seus comentários sobre questões sociais”, comenta o documento, “o caso Von Wernich pode ter o efeito, alguns acreditam, de minar a autoridade moral ou capacidade da Igreja (e, por conseguinte, do Cardeal Bergoglio) de comentar questões politicais, sociais ou econômicas”.

Tags: , ,

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

  • Regina Maria

    Acho que de fato a verdade deve vir à tona, doa a quem doer. O interessante é que em termos de religião somente os podres da igreja católica é que são mostrados, em especial no que se refere à pedofilia. No entanto isso ocorre praticamente com a mesma frequência entre os protestantes e os judeus. Por que não trazer a público isso tb? Seria porque fazem partes dos impérios?

    • Rainer Beltrame

      Pra começo de conversa Catolicismo não deveria nem existir, pois prega algo que nunca aconteceu, e em segundo lugar, a mídia noticia o que é de interesse dela, o que gera dinheiro pra ela, o que polemiza e deixa o espectador intrigado… porque a mídia do Brasil falaria em minorias do país?

    • Daniel Jesus

      Minha querida, isso se deve
      porque o antinatural e antibíblico celibato é uma instituição
      católica, ou você pode nos informar um indício de que a pedofilia ocorra em um
      índice próximo em qualquer outra organização, religiosa ou não?

      Mas, referenciando o tema central do texto, leiam o
      livro; “A história secreta dos Jesuítas” de Edmond Paris, então vocês
      entenderão que é verdade sim a influência católica em termos políticos de todos
      os países, além do papel central da ordem jesuíta, a mesma do Papa Chico.

  • Douglas Bonafe

    Odeio ver comentário de gente ignorante como Rainer Beltrame assim como análises políticas de coisas que não são política. As pessoas, antes de falar da Igreja deveriam ouví-la. E ouví-la significa estudar e estudar muito, coisa que nenhum curso sequer de doutorado no Brasil chega nem perto.

    Sou da opinião de que as pessoas não deviam sair por aí simplesmente falando sem motivos. Aqueles que criticam a Igreja e duvida de sua soberana autoridade sobre questões de Fé e Moral, outorgada a ela e SOMENTE a ela, pelo próprio Cristo que é o próprio Deus, deviam estudar. Se achar uma única incoerência (comprovada com uma prova filosófica ou científica irrefutável) de que a Igreja cometeu sequer um único erro, ou seja, uma única inconsistência partindo das próprias premissas da Igreja, ou ainda comprovar da mesma forma que uma única premissa da Igreja seja falsa… então este tem o direito de falar algo.

    A questão é: quanto mais se estuda, e aí falo das pessoas de boa vontade e dotadas de uma inteligência e ávida busca por atingir a Sabedoria, mais se chega à conclusão de que a Igreja tem razão – embora, como sempre se soube, seus membros sejam falhos.

    O Sr. Beltrame diz que a Igreja prega algo que nunca existiu. Mas isso me deixou curioso: primeiro, o que o senhor acha que a Igreja prega? Pois a Igreja prega o que aos domingos, nós Católicos, rezamos no Credo (vide Credo Niceno-constantinopolitano em Latim). Agora o senhor afirma que nunca existiu o que está no Credo? Prova-me. Sinceramente não me importo com sua opinião e tampouco quero que compartilhe uma opinião, pois em nada me acrescentam opiniões. Agora, se tem uma prova e é mais douto que São Tomás de Aquino, Santo Agostinho, São Cura D’Ars, São Bento, e toda a orla de santos que deram sua vida por Cristo, a ponto de chamá-los de tolos por doarem a vida por algo que o senhor rebaixa a uma ideologia e uma ideologia barata… então, prova-me tua hipótese.

    Do contrário, o senhor é um hipócrita que ofende o intelecto daqueles que gastaram seu tempo lendo este site. O qual não é também, diga-se de passagem, grande coisa.

    • rafael silva

      A imbecilidade humana é tão grande, que alguns não reconhecem a pobreza e os limites humanos… Deus é uma invenção para responder nossas perguntas mais “profundas” e mesmo que se “alguma coisa” existisse, não iria fazer porra nenhuma para ser humano, iria fazer para o todo. Prefiro a índole e a sociedade dos chipanzés ou dos bonobos porque com a nossa sociedade acho que qualquer “fantasminha camarada” não iria se identificar.

      • Douglas Bonafe

        Não diria que o ser humano é imbecil! Isso é, não só incoerente para alguém que se propõe a um debate (já que se o ser humano é um imbecil, o senhor, como ser humano e, consequentemente, pela sua lógica, também um imbecil, não faz senão uma imbecilidade expondo o que pensa – ainda mais pelo fato de que meras opiniões em nada acrescentam à sociedade, ao contrário das provas filosóficas, teológicas, físicas, matemáticas, etc. que aliás… diga-se de passagem, o senhor continua devendo). Todavia, concordo que a humanidade está rumando a um abismo de auto-suficiência, de egoísmo e de falta de pensamento lógico e coerente e, principalmente, de falta de verdade. Ou seja, o relativismo ateu está levando a humanidade à intolerância. Cada um vê-se no direito de acreditar e seguir o que quiser, de difamar e combater quem quiser e de falar o que dá na telha ainda que não se prove. A sociedade moderna vê-se dividida entre aqueles que crêem em Jesus Cristo, Deus como o Pai e o Espírito Santo, Deus que é amor e que tanto amou o mundo a ponto de dar-nos seu Filho, de se fazer presente na História. Ainda que miseráveis que somos… E por nós, e para a nossa Salvação, padeceu sob Pôncio Pilatos. E Ressuscitou dos mortos. Há, porém, e o senhor acertou aí, muitos que não são capazes de reconhecer a miséria e a insignificância do homem diante de Deus. Estes sentem-se mais doutos criticando a Santa Igreja, ao invés de buscar aprender com ela. Os cientistas e filósofos mais brilhantes do mundo concebiam a existência de Deus, e a grande maioria era católico. Oras… se Deus fosse o bichinho virtual dos adultos, como sugere, quem teria criado todas estas maravilhas? Se a ciência concebe que a melhor definição para a vida, nos dias de hoje, tenha que admitir a existência de uma “força vital”, a qual não se explica, a não ser pelos escritos escolásticos que a define como vinda de Deus. Há aqueles que preferem à índole dos animais àquela de grandes Santos Doutores… que se prendem em si mesmos, em suas próprias convicções sem nunca questioná-las, sem nunca duvidar do próprio pensamento, do “conhecimento” adquirido, da “educação” que teve… e se acha maior que os demais porque cometeu o ato altamente destrutivo de se tornar ateu.
        Há de se lembrar que o Papa pode falhar enquanto homem: claros exemplos disso tivemos na História, sendo seu maior expoente Bento IX, referenciado no Liber Pontificalis como dedecus Petri Sede. Todavia, os livros de História o referenciam como um homem incoerente – que era católico radical com uma ortodoxia espantosa ao se manifestar em relação à Fé e Moral em nome da Igreja, embora ele mesmo seja tido como imoral (um papa de 20 anos).
        Assim com todos os demais Papas.
        Uma pesquisa de um ex-anglicano, agora convertido e padre católico, de mais de 30 anos, com o objetivo de destruir a Igreja, foi feita com tamanha honestidade intelectual que o então “bispo” anglicano converteu-se a si e toda a sua diocese, sendo criada para os anglicanos uma prelazia pessoal. A pesquisa constatou que jamais houve na História da Igreja um Papa que tenha falhado ex cathedra.
        Mas nem todos se dispõem à busca da verdade como este padre ex-anglicano.
        A grande maioria apega-se a si mesmo e em seus achismos.

        Estou certo, sem sombra de dúvidas, que o Espírito Santo guia cada um dos passos de SS. Francisco I.
        Que Deus abençoe o Sto. Padre e lhe conceda saúde e paz.
        Que Maria Santíssima Mãe da Igreja o guie.

        In Xto. Cum Maria et sub Petro. Ad majorem gloria Dei. Semper.

        • rafael silva

          Concordo com tudo o que você disse, inclusive que é incoerente um imbecil interagir num site onde só há pessoas não imbecis. Concordo com você, desde que me colocando sob o ponto de vista do homem criador de paradigmas.

          Você propõe uma argumentação “racional”, porém, minha definição de “racional” pode ser diferente da sua, eu por exemplo, acredito mais nos limites de minha cognição e dos meus sensores.
          A história me ajuda a entender certas coisas e eu realmente admiro a fortaleza e o mundo criado à partir do paradigma cristão, porém, não me sinto inferior por estar tentando descontruir essa cultura em mim, pelo contrário, continuo achando que poderemos sim construir a partir do que temos, um outro ser humano (menos humano), esquecer jesus e suas histórias, esquecer de um deus que não tem forma, é vibrante na nossa e em outras dimensões.
          A minha imbecilidade é fruto de um ser imbecil que sou (não me sinto TÃO diferente dos outros animais), porém, tenho muito orgulho de mim e da força que faço para encontrar deus (nesse caso, pra mim nada mais é que a gratidão, respeito e a força de mantermos uma sociedade baseada no “bem comum” e no amor).

          Minha sorte de ter o que tenho ao meu lado e de ter tudo que existe ao meu redor, inclusive de ter você e essa nossa discussão, eu agradeço à qualquer coisa, menos ao deus criado por pessoas imbecis quanto à mim, se deus quiser, ele que venha a mim, pois NÃO FAÇO MAIS do que correr atrás dele, até lá, serei cético, ou ateu, ou capeta, o que quiserem… mas estarei atrás de MEU deus, não do deus que alguns criaram para “manter” ou “acalmar” a sociedade, não compartilho do medo seu, sobre os ateus.

          Como você disse, todos sabemos da existência de algo superior:

          “Se a ciência concebe que a melhor definição para a vida, nos dias de hoje, tenha que admitir a existência de uma “força vital”, a qual não se explica, a não ser pelos escritos escolásticos que a define como vinda de Deus”

          Porém eu não me envolvo com ela da mesma maneira que você e continuo achando parte da nossa imbecilidade essa tentativa de ser feliz à partir de imaginações e da existência de um deus semelhante à nós. Seria o Deus dos imbecis?

  • Zé das Cove

    daora

Operação Limpeza

| por | 15 julho, 2014

Desde os preparativos da Copa, moradores de rua foram retirados das ruas e sofreram agressões em pelo menos 6 cidades-sede; as denúncias mais graves são de Salvador (BA)

As quatro irmãs 8

| por | 30 junho, 2014

Negócios familiares, proximidade com governos, financiamento de campanhas e diversificação de atividades - da telefonia ao setor armamentício – compõem a história das gigantes Odebrecht, OAS, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez

Tools