AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Dilma concluiu apenas 12% das obras prometidas no PAC”- campanha de Aécio Neves

O candidato Aécio Neves (PSDB) está usando números desatualizados. |LEIA MAIS|

Para fazer a afirmação, a campanha tucana se baseia no 9º Balanço do PAC 2, lançado em fevereiro deste ano, com dados que cobrem a execução do PAC 2 até dezembro de 2013.

Após o lançamento da publicação, a ONG Contas Abertas fez um levantamento com base nos próprios números oficiais para aferir a porcentagem de execução. Com os números daquela época, o PAC 2 tinha, de fato, 12% de seu rol de obras concluídas ou em operação. 

No entanto, já há dados mais atuais. Em junho, o governo lançou o 10º Balanço do PAC 2 . Atualmente, 15,7% das obras estão concluídas ou em operação, ainda segundo a Contas Abertas. Outros 38,6% das obras estão em execução e 45,6% estão no papel, pelo critério da organização.

O governo federal utiliza uma metodologia diferente para apresentar os resultados do PAC em suas publicações periódicas. O número utilizado pelo governo é o de volume de recursos aplicados e não o estágio de cada empreendimento listado no PAC, como faz a Contas Abertas. No critério do governo, são contabilizados como ações do PAC os financiamentos habitacionais a pessoa física, por exemplo, que correspondem a 34% dos recursos destinados.

tá certo mas perai dilma

“Os recursos do Plano Safra, que financia a nossa produção agropecuária, não chegavam a R$ 21 bilhões no ano-safra de 2002-2003. Agora, já chegam a mais de R$ 156 bilhões.”- campanha de Dilma Rousseff

Os números citados na frase estão corretos, mas um deles precisa ser atualizado. |LEIA MAIS|

Em 2014/15, o orçamento do Plano Safra foi de R$ 156,3 bilhões, enquanto o de 2002/03 foi de R$ 20,54 bilhões (Plano Agrícola Pecuário). No entanto, a comparação com um número de mais de uma década atrás deveria ser feita com valores corrigidos, para que o eleitor pudesse mensurar o aumento real do orçamento.

Em valores atualizados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), os recursos destinados ao plano de 2002/03 foram R$ 43,57 bilhões – mais de 100% de diferença em relação ao que foi dito no programa da candidata.

“Dilma entregou apenas 24% das unidades básicas de saúde prometidas.”- campanha de Aécio Neves

Na verdade, o governo federal concluiu 28% das unidades básicas de saúde previstas na segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). |LEIA MAIS|

Segundo o 10º balanço do PAC 2, até junho de 2014 o governo Dilma concluiu 2.432 das 8.694 UBSs prometidas quando o programa foi lançado, em março de 2010, antes de a presidente ser eleita – o que corresponde aos 28%. O PAC 2 só foi implementado em 2011, depois da eleição de Dilma. O programa foi modificado e até hoje o governo federal já contratou a construção ou a ampliação de 15.095 UBSs, das quais 10.759 estão em obras.

De acordo com o Ministério do Planejamento, o governo federal contratou 26 mil unidades básicas de saúde desde 2009, sendo que 15.095 fazem parte do PAC 2 e o restante está vinculado ao Ministério da Saúde. Desse total, 6.843 estão concluídas (26%). Até o fechamento do Truco!, não foi possível saber quantas das 4.411 UBSs terminadas (que não fazem parte do PAC 2) foram entregues no governo Dilma ou no governo Lula.

Resumo do Programa

O programa do candidato Aécio Neves (PSDB) começou dizendo que o governo de Dilma levou a indústria brasileira ao maior déficit comercial da história, concluiu apenas 12% das obras prometidas pelo PAC e entregou apenas 24% das Unidades Básicas de Saúde prometidas. Aécio disse que chegou a reta final da campanha e que apenas 4 dias o separam de uma grande vitória. Que o Brasil quer um novo governo na sua prática, na sua generosidade e na capacidade de melhorar a vida das pessoas. Faz um apelo aos companheiros para que continuem trabalhando até o último dia e, aos que ainda não decidiram o voto, pediu para que acreditassem e confiassem nele para um governo honrado, decente e que cuidará das pessoas.

A campanha mostrou artistas declarando apoio ao candidato: o ator Lima Duarte, a atriz Rosamaria Murtinho, o jogador Oscar Schmidt, o governador eleito de Pernambuco Paulo Câmara. A apresentadora disse que, no Nordeste, Tasso Jereissati, o senador Jarbas Vasconcelos, ACM Neto e Cassio Cunha Lima também estão com Aécio. A esposa de Eduardo Campos, Renata Campos, apareceu também declarando seu apoio.

A campanha repetiu algumas propostas de Aécio, como o programa Guardiões das Fronteiras e os consultórios populares de saúde para acabar com as demoras nas consultas com especialistas. O candidato disse que vai investir 10% do que o governo arrecada com impostos e contribuições na saúde e fazer 500 Centros Saúde de uma Vez. Na educação, prometeu levar para todo o país o Poupança Jovem e fundar a Nova Escola Brasileira, além de ampliar a escola em tempo integral e garantir avanços na remuneração dos professores e equipamento das escolas.

Aécio apareceu dizendo que o Brasil não precisa só de um bom presidente mas de pessoas de bem que estão dispostas a deixar as diferenças de lado para construir um país melhor para todos. Mostrou trechos da Caminhada da Mudança em Copacabana, em João Pessoa, Salvador, Campina Grande e Porto Alegre. Artistas e celebridades apareceram cantando o jingle do candidato: Tuca Fernandes, Zezé di Camargo e Wanessa, Giovani, André Valadão, Celina Borges, Inimigos da HP, Bruno e Marrone, Cesar Menotti e Fabiano, Fagner, Jorge, Luan Estilizado, Xandy, Sandra de Sá, Christyan, Bernardinho, Luis Fernando Guimarães, Leonardo, Chitãozinho e Xororó, Lobão, Zico, José Jr, Tianastácia, Ronaldo, Milton Gonçalves, Renato Teixeira, Velha Guarda da Mangueira, Sá, André Valadão, Henrique Portugal, Haroldo Ferreti, Cris do Morro e Fernando Brant.

O programa da candidata Dilma Rousseff (PT) começou com artistas declarando apoio à candidata: Lirinha, o Dream Team do Passinho, Carlos da Fé, Arthur Maia, Antonio Pitanga, Chico César, Sergio Loroza, Fred Zero Quatro, Teresa Cristina, Otto, GOG, Beth Carvalho, Zeca Baleiro, Renegado, Marina Lima, Elza Soares e Chico Buarque. A campanha comemorou os resultados das pesquisas divulgadas na segunda-feira, que mostram Dilma com 52% das intenções de voto e Aécio com 48%.

A candidata apareceu dizendo que, ao longo da campanha, provou que o Brasil de hoje é muito mais forte que o Brasil de antes. Voltou a dizer que, mesmo enfrentando uma grave crise internacional, os salários foram preservados, mais de 5,7 milhões de empregos foram criados e mais de 22 milhões de pessoas foram tiradas da miséria. Reforçou a importância do Minha Casa Minha Vida e do Pronatec. Lembrou que criou o Mais Médicos e disse que está realizando o maior programa de obras de mobilidade e infraestrutura das últimas décadas.

A campanha mostrou as realizações do governo no campo. Dilma disse que o país está produzindo alimentos para a população e para o mundo todo. A apresentadora falou que, com Dilma, o campo encontrou apoio que sempre faltou nos governos tucanos. “Os recursos do Plano Safra, que financia nossa produção agropecuária não chegavam a R$ 21 no ano safra 2002-2003. Agora já chegam a mais de R$ 156 bilhões.” Disse que o Seguro Agrícola alcançou uma cifra recorde de 700 milhões de reais. “Dilma também sancionou o novo Código Florestal, que deu segurança jurídica aos produtores. Baixou os juros e criou várias linhas de crédito que, entre outros benefícios, facilitam a compra de máquinas e equipamentos e a construção de armazéns para estocar a produção.” Afirmou ainda que, de 2002 até hoje, a produção agrícola saltou de quase 97 para mais de 193 milhões de toneladas, “um recorde histórico”. E acrescentou que hoje o Brasil é o maior exportador mundial de açúcar, café, suco de laranja, soja em grãos, carne bovina, carne de frango e óleo de soja. E o segundo maior de milho e farelo de soja, o quarto em carne suína e o quinto em algodão.

A presidente apareceu novamente, dizendo que todos os produtores, independentemente do porte, nunca tiveram tanto apoio para modernizar e ampliar os negócios. Disse que reconhece que ainda existem problemas para transportar a produção e que, por isso, iniciou um conjunto de obras, cujo resultado se dará no médio prazo. Mostrando obras pelo país, a campanha mostrou que hidrovias, portos e rodovias estão sendo construídos para beneficiar o Centro-Oeste e outras regiões que concentram a produção agrícola nacional.

A meta, segundo a candidata, é integrar todas essas modalidades de transporte em torno de quatro grandes corredores logísticos: o Corredor Madeira-Amazonas, o Corredor Tapajós, o Corredor Tocantins e o Corredor Leste-Oeste. Também estão sendo construídas novas rotas de transporte em direção aos terminais portuários no norte do país, que esse conjunto de medidas vai descongestionar os portos de Santos e Paranaguá e garantir que a produção chegue aos centros consumidores e ao mercado exterior de forma mais rápida, segura e econômica.

Falou da recuperação de ferrovias e mostrou a Ferronorte, ferrovia que liga as cidades do Alto Araguaia e Rondonópolis, no Mato Grosso. Que lá também foi construído o maior complexo intermodal da América Latina. Disse que a principal obra ferroviária é a Norte-Sul. O traçado original de 1.574 quilômetros, ligando Açailândia a Anápolis, já foi construído e fez surgir ao redor o Porto Seco e o Terminal Intermodal de cargas de Anápolis. De acordo com o programa, Dilma e Lula resolveram ampliar a ferrovia para ligar o Pará com o Rio Grande do Sul e foi parte desse novo traçado que Aécio mostrou em seu programa para dizer que a obra está incompleta, “sem explicar que o trajeto original Norte-Sul já está pronto”. A presidente voltou para falar que 2500 quilômetros de ferrovias estão em obras e outros 4 mil quilômetros estão em processo de concessão. “Ou seja, o Brasil vai voltar a andar nos trilhos, reduzindo custos e ganhando tempo e segurança no transporte de sua produção.” Lula apareceu novamente, fazendo um apelo para que haja mobilização para refletir sobre o que está em jogo nessas eleições.

Principais promessas

Aécio Neves 

– Controlar com mais rigor as fronteiras do Brasil e aumentar a punição e a repressão ao tráfico, com o programa Guardiões das Fronteiras.

– Criar os consultórios populares de saúde para acabar com as demoras nas consultas com especialistas.

– Investir na saúde 10% do que o governo arrecada com impostos e contribuições.

– Fazer 500 Centros Saúde de uma Vez, com remédios, consultas e exames juntos com hora marcada e transporte exclusivo.

– Levar para todo o país o Poupança Jovem.

– Fundar a Nova Escola Brasileira.

– Ampliar a escola em tempo integral.

– Garantir avanços na remuneração dos professores e equipamento das escolas.

Dilma Rousseff 

– Integrar rodovias, portos, hidrovias e ferrovias em torno de quatro grandes corredores logísticos: o Corredor Madeira-Amazonas, o Corredor Tapajós, o Corredor Tocantins e o Corredor Leste-Oeste.

Veja a checagem dos programas eleitorais do 1º turno

Veja a checagem dos programas eleitorais do 2º turno

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook