AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Resumo dos programas

Aécio Neves (PSDB)

O programa do candidato Aécio Neves (PSDB) começou mostrando os resultados da última pesquisa do Instituto Veritá em que o candidato aparece com 53,2% das intenções de voto enquanto Dilma Rousseff aparece com 46,8%. O candidato disse que “o que o brasileiro tem de mais profundo é o caráter, algo que não se pode abandonar nunca, nem mesmo em uma disputa eleitoral”.

Falou que viajando pelo Brasil ele pode sentir o afeto e o apoio dos brasileiros de todas as regiões. “Um anseio por um novo caminho, um caminho que nos permita superar os grandes desafios que teremos pela frente”. Disse ainda que o presente do país tem sido marcado por decepções, que “valores importantes como justiça, verdade, honestidade e respeito estão se perdendo” e prometeu, além de educação de qualidade, saúde e segurança para as nossas famílias, melhores empregos e melhores salários. “Juntos, realizarmos o melhor governo de nossa história”. Aécio falou que há 30 anos o povo se uniu com seu avô, Tancredo Neves, para vencer a ditadura gritando “muda Brasil”. E que hoje ele repete a mesma frase. “Estou pronto para construir um futuro com você a partir de agora. E cabe a você decidir”.

Artistas como a banda Tianastácia, Fernando Brant, Afroreggae, Ney Latorraca, Romário, o ator Marcelo Serrado e Sandra de Sá declararam seu apoio ao candidato. O jogador Neymar apareceu pela primeira vez, dizendo que “não podemos ter votos nulos” pois “cada voto vai ser importante para a mudança do Brasil”: “Geralmente a opinião pública trata o apoio de uma personalidade como oportunismo ou a falta dele como alienação. Não podemos ter medo de nos posicionar. É um direito nosso e democrático escolher um candidato”. A campanha encerrou mostrando mais imagens de comícios pelo país.

Dilma Rousseff (PT)

No programa eleitoral do PT, metade do tempo foi usado para criticar a revista Veja, cuja capa, divulgada ontem, sugere que a candidata Dilma Rousseff e Lula tinham conhecimento do esquema de corrupção na Petrobras. “Toda campanha é a mesma coisa. Na reta final, quando todas as pesquisas indicam a liderança de um candidato do PT, seja ele Lula ou Dilma, a revista Veja solta uma denúncia supostamente bombástica numa tentativa vergonhosa de reverter a decisão popular”, diz o apresentador. Depois, o programa utiliza uma série de oito capas da Veja, publicadas desde 2002, com manchetes contra o PT como “O PT deixou o Brasil mais burro?”, “Os monstros do radicalismo” e “Os PTbulls”. O narrador chama as capas de “tática do medo” para “aterrorizar eleitores”, e afirma que as denúncias que “nunca foram comprovadas”.

Em seguida, a própria candidata ataca a postura da revista. “Não posso me calar frente a esse ato de terrorismo eleitoral articulado pela revista Veja e seus parceiros ocultos. Uma atitude que envergonha a imprensa e agride a nossa tradição democrática. Sem apresentar nenhuma prova concreta e mais uma vez baseando-se em declarações de pessoas do submundo do crime, a revista tenta envolver diretamente a mim e ao presidente Lula nos episódios da Petrobras que estão sob investigação da Justiça. Todos os eleitores sabem da campanha sistemática que essa revista move há anos contra Lula e contra mim.” Segundo a presidente, a revista excedeu todos os limites da decência e da ética. “A revista comete esta barbaridade, esta infâmia, contra mim e Lula, sem apresentar a mínima prova. Isso é um absurdo. Isso é um crime. É mais do que clara a intenção malévola da Veja de interferir de forma desonesta e desleal nos resultados das eleições.” Ela diz que a Veja e seus “cúmplices” não conseguirão “confundir” o eleitor. “Eu darei a minha resposta a eles na Justiça”.

O programa apresentou também os mais recentes resultados das pesquisas Datafolha e do IBOPE que indicam a ampliação da vantagem da candidata sobre Aécio Neves, e comícios em diversos lugares.

Veja a checagem dos programas eleitorais do 1º turno

Veja a checagem dos programas eleitorais do 2º turno

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

  • Orlando Coelho

    A resposta virá das urnas e o preço dessa infâmia será a derrota dos coxinhas. .. Dilma 13 …