AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Eles falam, nós checamos

Discutível

O Truco é o projeto de checagem (fact-checking) da Agência Pública. Verificamos falas de políticos e personalidades e informações em circulação na rede para saber se são verdadeiras, sem contexto, contraditórias, discutíveis, exageradas, distorcidas, impossíveis de provar ou falsas. Nosso objetivo é aprimorar o discurso público e a democracia, tornando as autoridades mais responsáveis por suas declarações.


Selo do Truco emitido pelo IFCN, como signatário do código de princípios.Na sua quarta fase, iniciada em fevereiro de 2017, o Truco ampliou o seu radar e passou a verificar afirmações de quaisquer personalidades públicas ou divulgadas na internet, sempre que for encontrada uma frase relevante e que paute o debate na sociedade. Nossa preocupação permanente é analisar diferentes discursos e pontos de vista, sem qualquer distinção partidária ou ideológica. O Truco integra a International Fact-Checking Network (IFCN), rede organizada pelo Instituto Poynter que reúne os principais sites de fact-checking do mundo. Após passar por uma auditoria independente concluída em 28 de março de 2017, tornou-se um dos signatários verificados do código de princípios da IFCN.

Para ler todas as nossas verificações, basta acessar a área Checagens. Conheça a nossa metodologia, as classificações adotadas, a equipe, os financiadores e a política de correções.

 

Últimas checagens

 

Nossa metodologia

Verdadeiro

Todas as checagens seguem o mesmo roteiro. Primeiro, selecionamos uma frase que possa ser verificada. Para isso, é preciso que contenha um dado, faça referência a leis, permissões, proibições, situações verificáveis ou traga afirmações categóricas. Dentre as várias declarações que podem ser analisadas, escolhemos apenas aquelas que têm relevância para o debate público. Fazemos também um rodízio entre as personalidades e autoridades verificadas, para manter o equilíbrio da cobertura e garantir que todos sejam fiscalizados.

Em seguida, entramos em contato com o autor da frase e pedimos para que forneça a fonte da informação. Paralelamente, procuramos outras fontes, oficiais ou não, e, se necessário, recorremos a especialistas. Comparamos nossa apuração com os dados fornecidos e, com isso, classificamos a afirmação. Atribuímos, então, um selo, que mostra o resultado da nossa checagem. Por fim, voltamos a entrar em contato com o autor da frase e damos uma última chance para que se explique, diante da nossa conclusão.

Nossa classificação

O Truco conta com oito selos para classificar as informações checadas. Usamos uma personagem, a Coringa do baralho de cartas, com diferentes expressões e cores, para facilitar o entendimento. Veja quais são os selos e em que situações são aplicados:

 

A análise dos dados e de outras fontes mostra que a afirmação é verdadeira.

A afirmação está correta, mas deixa de explicar o contexto.

A afirmação contradiz declarações anteriores feitas pelo mesmo autor.

 

A conclusão sobre a frase varia de acordo com a metodologia adotada.

A afirmação não usa dados certos, mas aponta um conceito verdadeiro ou uma tendência correta.

 

Os dados foram usados na afirmação para produzir uma falsa interpretação da realidade.

Não existem dados confiáveis – oficiais ou de outras fontes – que comprovem a afirmação.

A análise dos dados e de outras fontes mostra que a afirmação é falsa.

Nossa equipe

A equipe de checagem do Truco é formada por jornalistas da Agência Pública, com colaboração eventual de outros integrantes da equipe. Veja mais abaixo e em Quem somos.

Maurício Moraes – Formado em Jornalismo (1997) e História (2015) pela Universidade de São Paulo (USP), é editor de fact-checking do Truco. Está na Agência Pública desde agosto de 2013. Trabalhou no jornal O Estado de S. Paulo de 1998 a 2003, cobrindo política municipal, e, de 2005 a 2008, como repórter de tecnologia. Em 2008, atuou como repórter de política na Gazeta de Ribeirão, em Ribeirão Preto. De 2008 a 2013, foi editor da revista INFO Exame, da Editora Abril.

Anna Beatriz Anjos – Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero (2013) e pós-graduanda em Estudos Brasileiros pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Na Agência Pública, atua como secretária de redação e repórter, sobretudo no projeto de fact-checking Truco. Já passou por outros veículos brasileiros como a TV Record, onde trabalhou principalmente como rádio-escuta.

Étore Medeiros – É correspondente da Agência Pública em Brasília desde agosto de 2015, quando foi iniciado o projeto Truco no Congresso. Trabalhou no Correio Braziliense, entre 2013 e 2014, cobrindo o Congresso Nacional para a editoria de Política e meio ambiente no caderno de Brasil. Em 2015, trabalhou na Agência Brasília, portal de notícias institucional do governo do Distrito Federal. Graduou-se em Jornalismo pela Universidade de Brasília, em 2012.

Patrícia Figueiredo – Jornalista com formação pela Universidade de São Paulo (2017) e Université Lumière, em Lyon, atua como repórter de fact-checking do Truco desde maio de 2016. Anteriormente, trabalhou na revista Viagem e Turismo, da Editora Abril, e na agência de comunicação Edelman. Como freelancer, tem reportagens publicadas em veículos como L’Officiel, Veja São Paulo, Viagem e Turismo, Viaje Mais e VIP.

Gabriele Roza – É estagiária na Agência Pública. Estudante de Jornalismo da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), integra o Grupo de Pesquisa em Comunicação, Internet e Política da PUC-Rio (COMP).

Nossos financiadores

O Truco é um projeto da Agência Pública. A relação completa dos nossos apoiadores está disponível em Financiadores.

Política de correções

No final do texto de todas as nossas checagens incluímos nosso e-mail de contato, truco@apublica.org, para que fontes e leitores possam enviar críticas, sugestões ou apontar erros. Sempre que detectamos um problema, corrigimos o texto imediatamente e escrevemos uma atualização no final da checagem, com data e hora da mudança, para indicar o que foi alterado e explicar o porquê. Também divulgamos que houve uma correção em nossas redes sociais, com link para a versão corrigida, e enviamos um alerta para os nossos republicadores.

Trucos anteriores

Na nossa estreia, em agosto de 2014, verificamos as falas dos candidatos a presidente durante o horário eleitoral gratuito. Em agosto de 2015, passamos a fiscalizar o que diziam deputados federais, senadores e outras autoridades no Congresso Nacional, no projeto Truco no Congresso, encerrado em dezembro de 2016 e feito em parceria com o Congresso em Foco. Naquele ano, também checamos o discursos dos candidatos a prefeito na campanha eleitoral em cinco capitais – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife (em parceria com a Marco Zero Conteúdo) e Belém (em parceria com o Outros 400).

Truco Eleições 2014

Truco Eleições 2014

Estreamos nas eleições de 2014, com a cobertura da campanha presidencial. Verificamos o discurso dos candidatos no 1º e 2º turnos

 

Truco no Congresso

Truco no Congresso

Desde agosto de 2015, em parceria com o Congresso em Foco, analisamos o que dizem parlamentares na Câmara dos Deputados e no Senado Federal

Truco Eleições 2016

Truco Eleições 2016

Estamos de olho no discurso dos candidatos a prefeito em cinco capitais: Belém, Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook