Agência de Jornalismo Investigativo

“A chamada ‘banda larga’ (…) já alcança 94 milhões de brasileiros, principalmente com a disseminação do uso dos acessos móveis”, disse Telmário Mota (PDT-RR), senador, no plenário, na segunda-feira (9)

10 de novembro de 2015

ta certo m laranjaA informação de que 94 milhões de brasileiros têm conexão à internet por meio de banda larga foi divulgada pelo ministro das Comunicações, André Figueiredo, durante reunião dos ministros das Comunicações dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) na Rússia, no final de outubro. O dado mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), disponível na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), era referente a 2013 e estimava em 85,6 milhões o número de brasileiros de 10 anos ou mais conectados à rede. Nesse cenário, 97,7% dos 31 milhões de domicílios com acesso tinham conexão à banda larga fixa ou móvel. Logo, o número está dentro do previsto. Mas há outros problemas na frase do senador Telmário Mota (PDT-RR).

O que o parlamentar não menciona é que esse número está muito abaixo do que havia sido prometido pelo governo em 2010, quando foi anunciado o Plano Nacional de Banda Larga. Na época, a meta era chegar a 40 milhões de domicílios com conexões de alta velocidade em 2014 – o que não aconteceu. Um balanço do programa divulgado pelo Ministério das Comunicações em 2014 mostra que havia 23,1 milhões de conexões de banda larga fixa em domicílios brasileiros em maio daquele ano. O documento também informa que a quantidade de conexões de internet móvel teria chegado a 123,6 milhões de acessos na época. Não é possível, no entanto, saber quantas pessoas estão representadas nesse número, porque muitos celulares com conexão à web usam dois chips. Mais difícil ainda é saber quantos domicílios estão dentro desse universo.

A ampliação do acesso à banda larga foi também uma promessa de campanha da presidente Dilma Rousseff. No ano passado, durante o programa eleitoral de 23 de outubro, o narrador informava: “[Dilma] vai criar o Banda Larga para Todos. E vai garantir internet rápida, barata e segura para milhões de brasileiros.” A afirmação recebeu uma carta Truco! durante a checagem da campanha, mas as três perguntas encaminhadas à candidata não foram respondidas. O projeto também ainda não saiu do papel.

Outro aspecto não falado pelo parlamentar é a velocidade das conexões de banda larga no Brasil. De acordo com um estudo feito pelo G1, com base nos dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a velocidade média no país está em 3 Mbps, atrás de Kuwait, Sri Lanka e Iraque. Em 406 cidades brasileiras, o máximo registrado foi de 512 kbps, inferior a países como a Líbia. O resultado poderia ser ainda pior se tivesse incluído as conexões 3G e 4G, mas o levantamento considerou apenas a banda larga fixa. Outros 456 municípios do país contam com velocidades similares a países como Suíça e Japão.

O senador Telmário Mota (PDT-RR), durante discurso no plenário
O senador Telmário Mota (PDT-RR), durante discurso no plenário. Foto: Moreira Mariz/Agência Senado.
Você precisa ser um aliado para comentar.
Fechar
Fechar
Só aliados podem denunciar comentários.
Fechar

Explore também

Checamos os 5 principais candidatos a vice-presidente

14 de setembro de 2018 | por , e

Erros e acertos marcam frases ditas em entrevistas ou posts nas redes sociais por General Mourão, Kátia Abreu, Eduardo Jorge, Ana Amélia e Manuela D’Ávila

O que checamos no 2º turno da eleição presidencial

18 de outubro de 2018 | por

Confira as declarações e boatos que checamos sobre os candidatos à presidência Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL)

Áudio de WhatsApp sobre déficit da Previdência é verdadeiro

16 de fevereiro de 2018 | por

Mensagem resume as conclusões do relatório de CPI que analisou o tema, em gravação atribuída à Voz do Brasil

Mais recentes

Vídeo falso diz que eleições de 2014 foram fraudadas

27 de outubro de 2018 | por

Vídeo de suplente de deputada coloca em dúvida eleições de 2014 com dados irreais e um "especialista" não identificado

Em economia, Bolsonaro cita dados falsos e Haddad subestima e acerta

26 de outubro de 2018 | por , e

Em 4 frases checadas, presidenciável do PSL usou informações falsas; já Haddad citou número inferior ao real e fez uma afirmação correta

Alunos da rede pública de ensino do Distrito Federal realizam atividades: candidatos têm propostas distintas para a área

Haddad exagera e Bolsonaro erra em frases sobre educação

26 de outubro de 2018 | por e

Números foram superestimados por candidato do PT, enquanto presidenciável do PSL citou informações falsas