Agência de Jornalismo Investigativo

Estimativa do valor pago usa números desatualizados em cálculo sobre o benefício

8 de março de 2018
As regras do auxílio-moradia pago a juízes serão analisadas pelo STF em 22 de março

“Faça as contas: são 16.429 juízes em todo o Brasil e 12.262 integrantes do Ministério Público. Com um auxílio-moradia desses, o custo para o orçamento público possivelmente é de R$ 1,5 bilhão ao ano e de R$ 125 milhões ao mês.” – Jonathas Oliveira, autor de um abaixo-assinado do site Change.org

FalsoO pagamento de auxílio-moradia para membros do Judiciário, integrantes do Ministério Público (MP), autoridades e funcionários públicos tem mobilizado pessoas contrárias ao benefício na internet. Os críticos afirmam que o recebimento desse adicional onera os cofres públicos de maneira injusta, por ser direcionado a pessoas que ganham salários altos em relação à maioria dos trabalhadores do país e que muitas vezes têm imóvel na cidade onde vivem. A questão será analisada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no dia 22 de março.

Um abaixo-assinado no site Change.org pede o fim do benefício e conseguiu o apoio de 255 mil pessoas no início de março. O Truco – projeto de checagem da Agência Pública ­– verificou uma das frases do texto, que estima o custo do auxílio-moradia para juízes e membros do MP em R$ 1,5 bilhão por ano ou R$ 125 milhões por mês. O dado, contudo, é falso.

O adicional está previsto na Lei Orgânica da Magistratura Nacional, que garante ajuda de custo para moradia nas localidades onde o magistrado não tem imóvel próprio. Além disso, a lei prevê outras ajudas de custo para despesas com transporte e salário-família, por exemplo.

A reportagem procurou por Jonathas Oliveira, autor do abaixo-assinado, para solicitar a fonte da informação usada. Foi enviado um e-mail ao Change.org, pedindo os dados de Oliveira para que ele pudesse ser questionado. A equipe do site informou que o autor da petição “pediu para não repassar o contato a jornalistas”.

Há uma série de problemas no cálculo feito no abaixo-assinado. O primeiro deles está no valor que serviu de base para essa estimativa. O limite de R$ 4.377,73 para o auxílio-moradia foi estabelecido pelo STF e também por meio de Resolução n° 117/2014 do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), alguns tribunais pagam valores diferentes, que podem ser mais altos ou mais baixos do que o definido.

Já a quantidade de juízes e representantes do MP é maior do que a citada na frase. O Brasil tinha, segundo o levantamento “Justiça em Números – 2017”, do CNJ, 18.011 magistrados em 2016 – não 16.429. De acordo com as informações da publicação “Ministério Público – Um Retrato – 2017”, elaborada pelo CNMP, o órgão contava com 13.087 membros em 2016 – em vez de 12.262.

Multiplicando-se o valor do auxílio-moradia pelo número de magistrados e integrantes do MP, o benefício custaria R$ 136.138.647,54 por mês e ficaria em R$ 1.633.663.770,48 por ano. Os dois valores são superiores aos citados no abaixo-assinado. Contudo, esse é um dado dinâmico, porque há magistrados e servidores que optam por não receber o benefício e o valor pode variar. Logo, essa conta não mostra o custo real do auxílio-moradia aos cofres públicos.

Truco

Este texto foi produzido pelo Truco, o projeto de fact-checking da Agência Pública. Entenda a nossa metodologia de checagem e conheça os selos de classificação adotados em https://apublica.org/truco. Sugestões, críticas e observações sobre esta checagem podem ser enviadas para o e-mail truco@apublica.org e por WhatsApp ou Telegram: (11) 99816-3949. Acompanhe também no Twitter e no Facebook. Desde o dia 30 de julho de 2018, os selos “Distorcido” e “Contraditório” deixaram de ser usados no Truco. Além disso, adotamos um novo selo, “Subestimado”. Saiba mais sobre a mudança.

Mais recentes

O que checamos no 2º turno da eleição presidencial

18 de outubro de 2018 | por

Confira as declarações e boatos que checamos sobre os candidatos à presidência Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL)

Verdades e mentiras misturam-se em corrente contra Haddad

18 de outubro de 2018 | por e

Mensagem que circula no WhatsApp traz quatro afirmações verdadeiras, uma exagerada e três falsas sobre o candidato à Presidência pelo PT

O que é falso ou verdadeiro em corrente contra Bolsonaro

18 de outubro de 2018 | por

Mensagem que circula no WhatsApp faz dez acusações contra o candidato, mas cinco são inverídicas e apenas três, verdadeiras

Truco!

Márcio França cita dado impossível de provar sobre investimento em pesquisa

19 de outubro de 2018

Valor gasto por SP em relação ao PIB estadual superou o de países como Espanha e Rússia em 2011, mas não há números recentes

Doria exagera ao acusar França de ter sido líder de Lula no Congresso

19 de outubro de 2018

Embora tenha comandado bloco de partidos que apoiava medidas do ex-presidente, governador nunca ocupou liderança do governo como deputado federal

Zema infla valor que o Estado gasta com uma pessoa presa

19 de outubro de 2018

Candidato afirma que o custo é de R$ 4 mil por mês mas, em Minas, o valor médio é de R$ 2,7 mil

Explore também

O ministro da Justiça licenciado, Alexandre de Moraes, em sabatina no Senado

Moraes só será revisor da Lava Jato em casos do plenário

21 de fevereiro de 2017 | por

Analisamos se o indicado para o STF vai mesmo ser responsável por revisar os processos da operação judicial

PL do aborto se baseia em dados incorretos

19 de julho de 2017 | por e

O Truco checou três argumentos apresentados no projeto de lei da deputada do Distrito Federal Celina Leão (PPS) e constatou erro, exagero e uma informação impossível de provar

O presidente Michel Temer durante entrevista no programa Roda Viva da TV Cultura

5 deslizes de Temer ao falar do Congresso no Roda Viva

18 de novembro de 2016 | por , e

Ao destacar a boa relação com a base aliada na Câmara e no Senado, presidente distorceu dados e omitiu informações