Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

Julia Dolce

Repórter e fotojornalista da Agência Pública, formada em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Também cursou graduação em fotografia pelo Senac. Passou pelas redações do observatório do agronegócio De Olho nos Ruralistas e do jornal Brasil de Fato, onde trabalhou por três anos, cobrindo política e direitos humanos. Em 2017, trabalhou por um mês na Palestina para o site de notícias Alternative Information Center, em Beit Sahour (Cisjordânia), onde produziu uma série de reportagens sobre a ocupação israelense. Sua reportagem Famélicos: A fome que o Judiciário não vê recebeu menção honrosa no 36º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo e compõe o Especial Fome, indicado pelo Prêmio Gabriel García Márquez como uma das 10 melhores coberturas da América Latina em 2019. Também foi finalista do prêmio Anamatra de Direitos Humanos de 2018, pela reportagem “Dispensa maternidade, histórias de mães demitidas após a gravidez”.


Mais recentes

Famélicos: A fome que o Judiciário não vê

11 de março de 2019 | por e

Descompasso entre visão de agentes da Justiça e a realidade vivida pelos mais pobres resulta em tratamento cruel aos que furtam alimentos para sobreviver e garantir a nutrição dos filhos

“Vale não ofereceu lista identificando terceirizados de Brumadinho até hoje”, diz sindicalista

21 de fevereiro de 2019 | por

Eduardo Armond, representante dos sindicatos unificados afirmou à Pública que a Vale quer "dividir para reinar" e que as indenizações devem ser acordadas na justiça do trabalho