Agência de Jornalismo Investigativo

Tag: crise da água

Conteúdo mais recente

Sabesp quer aumentar tarifa residencial, mas continua dando desconto para grandes empresas

6 de abril de 2017 | por

A Pública obteve através da Lei de Acesso à Informação a lista de 464 empresas que têm contratos de demanda firme para abastecimento de água em São Paulo. Clientes como Volkswagen, Itaú e Nestlé pagam menos e consomem mais

Finalmente, os contratos de demanda firme

22 de maio de 2015 | por , , e

Contratos assinados pela Sabesp com descontos para empresas que consomem muita água foram obtidos pela Pública e Artigo 19; conheça os maiores consumidores de São Paulo

Perguntas Frequentes – Concurso de Microbolsas sobre Criança e Água

22 de abril de 2015 | por

Preparamos uma seleção com perguntas e respostas recorrentes sobre o Concurso de Microbolsas para Reportagens sobre Criança e Água, realizado pela Pública em parceria com o projeto Prioridade Absoluta

Concurso vai distribuir bolsas para reportagens sobre a crise da água

15 de abril de 2015 | por

Agência Pública e projeto "Proridade Absoluta" do Instituto Alana lançam Concurso de Microbolsas que vai distribuir 5 mil reais para jornalistas independentes de todo o Brasil investigarem o tema "Criança e Água"

Concurso de Microbolsas de Reportagem – criança e água

15 de abril de 2015 | por

Confira o regulamento do concurso que vai distribuir cinco microbolsas para a produção de reportagens sobre Criança e Água. O projeto - parceria entre a Agência Pública e o Instituto Alana - é voltado a jornalistas freelancers e independentes.

Corregedoria determina que Sabesp entregue contratos de empresas

2 de fevereiro de 2015 | por

Interesse coletivo é inegável "quer por envolver a atuação de uma sociedade de economia mista quer por ter por objeto a administração de um bem público: a água"

Sabesp se nega a publicar contratos de empresas que mais consomem água

20 de janeiro de 2015 | por

Em resposta a pedido pela LAI, companhia defende sigilo de dados de interesse público alegando “segredo industrial” e “direito à privacidade e intimidade”