Márcio Miranda subestimou o déficit de equipamentos de raio-x no Pará

Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), a ausência do equipamento pode atingir até 97% dos municípios paraenses.

Sabatina Rede Cultura Saúde

Jéssica Oliveira, Guilherme Guerreiro Neto, Moises Sarraf
3 minutos

“Como médico, não vou permitir que nenhuma cidade fique sem um raio-x […]. Hoje, 30% das cidades não têm [raio-x], ou 20%”, Márcio Miranda (DEM), em sabatina da Rede Cultura de Comunicação, 19 de setembro.

Em termos absolutos, a declaração do candidato significaria que, dos 144 municípios do estado do Pará, um número entre 29 a 43 não têm o equipamento necessário para a realização de exames de raio-x. Segundo a Secretaria de Saúde Pública do Estado do Pará (Sespa), o protocolo do Sistema Único de Saúde (SUS) define sete tipos da máquina de acordo com a intensidade de energia. Comparada a quantidade para cada um dos sete tipos nos municípios do estado, concluímos que os números são todos superiores ao informado pelo parlamentar.

Márcio Miranda foi um dos três candidatos sabatinados por jornalistas e representantes de movimentos sociais na Rede Cultura de Comunicação (Foto: Camila Lima/Rede Cultura de Comunicação).

Assim, o Truco nos Estados, projeto de checagem de fatos da Agência Pública cujo parceiro no Pará é o Portal Outros400, classificou a declaração como ‘subestimada’.

Sete tipos de raio-x são considerados pelo SUS

Conforme planilhas extraídas do site do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) do Ministério da Saúde e fornecidas pela Sespa, são sete tipos de raio-x contabilizados pelo SUS: raio-x de até 100 Mega Amper (MA), raio-x de 100 a 500 MA, raio-x de mais de 500 MA, raio-x para densitometria óssea, raio-x para hemodinâmica, raio-x dentário e raio-x com fluoroscopia.

O quantitativo varia de mês a mês, dependendo da contratualização do serviço envolvendo os entes públicos e a iniciativa privada. Por exemplo, uma clínica particular pode ser contratada pelo SUS para atender pacientes oriundos de Unidades Básicas de Saúde (UBS) quando precisam fazer algum exame ou procedimento que não esteja disponível no serviço público.

Considerando os equipamentos que são fornecidos pelo SUS, o percentual de municípios sem o equipamento de raio-x varia de 38,19% a 97,22%. O raio-x de 100 a 500 MA, por exemplo, é o mais presente no estado. Esse tipo da máquina está disponível em 100 dos 144 municípios do Pará. Deste total, em cinco municípios o serviço é prestado por clínicas privadas e pago pelo SUS: Canaã dos Carajás, Óbidos, Oriximiná, Paragominas e Vitória do Xingu.

Por outro lado, o raio-x para hemodinâmica, comumente utilizado para diagnosticar e tratar enfermidades dos sistemas cardiovascular e vascular, só existe em cinco municípios do estado: Ananindeua, Belém, Castanhal, Santarém e Tucuruí. Em Castanhal, no entanto, o serviço é prestado por clínica privada e pago pelo SUS.

Após checarmos os dados, concluímos que a média do déficit de equipamentos de raio-x nos municípios do estado, considerando todos os sete tipos protocolados pelo SUS, corresponde a 74,40% do estado, um número bem mais elevado do que os citados pelo deputado.

Procurada para comentar a classificação do Truco nos Estados, a equipe de Márcio Miranda informou que o candidato se referiu ao modelo de raio-x “mais simples”, reforçando que todos os municípios do Estado precisariam ter, ao menos, o tipo mais simples da máquina para a realização de exames, sem esclarecer qual seria este modelo. Considerando que todos os números apurados estão acima daquele citado pelo candidato e que nem todos os equipamentos são disponíveis diretamente pelo SUS, a checagem classificou a frase como ‘Subestimada’.

Temer não fechou a base flutuante em Óbidos e a Polícia Federal ainda atua no município
Márcio Miranda - DEM
Temer não fechou a base flutuante em Óbidos e a Polícia Federal ainda atua no município

Entreposto logístico na região amazônica, Óbidos teve a atuação da PF reduzida com o fechamento da base flutuante de Candiru. Ainda assim, a polícia possui contingente no município.

Falso, Helder: não houve impedimento ambiental para içar navio naufragado em Barcarena
Helder Barbalho - MDB
Falso, Helder: não houve impedimento ambiental para içar navio naufragado em Barcarena

Navio Haidar que naugrafou com quase 5 mil bois aguarda andamento da licitação para ser retirado do fundo do rio Pará, no porto de Vila do Conde

Márcio Miranda diz que até 3 mil caminhões cruzam Belém diariamente, mas órgãos de trânsito não confirmam o dado
Márcio Miranda - DEM
Márcio Miranda diz que até 3 mil caminhões cruzam Belém diariamente, mas órgãos de trânsito não confirmam o dado

Em entrevista à rádio Unama FM, o candidato usou a circulação de caminhões na capital paraense para justificar a implantação de um projeto logístico na cidade

PA Candidatos - Pará