PA Boato
Bolsonaro não rejeitou aliança com Helder Barbalho: seu partido está coligado com MDB no Pará

Bolsonaro não rejeitou aliança com Helder Barbalho: seu partido está coligado com MDB no Pará

É falsa a imagem que reproduz suposta postagem do candidato Jair Bolsonaro declarando que jamais se aliaria “a uma família de corruptos”, em referência à família Barbalho. A coligação liderada por Helder Barbalho (MDB) recebe apoio do PSL, partido de Bolsonaro.

Boatos Corrupção

Jéssica Oliveira, Guilherme Guerreiro Neto, Moises Sarraf
4 minutos

Dos cinco candidatos ao governo do Pará, restaram dois: Helder Barbalho (MDB) e Márcio Miranda (DEM), que tiveram 47,69% e 30,21% dos votos válidos, respectivamente, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Dos três candidatos derrotados, dois – Fernando Carneiro (PSOL) e Cleber Rabelo (PSTU) – não apoiam nem Helder, nem Miranda.

Já Paulo Rocha (PT) declarou apoio ao candidato do MDB. Em nota, a Executiva Estadual do PT anunciou apoiar “a candidatura de Helder no segundo turno das eleições para o governo do Pará”. Segundo a manifestação do partido, a decisão foi tomada “a partir do debate de ampliação e fortalecimento da campanha Haddad Presidente no Pará; de acolhimento dos pontos centrais do programa apresentado por Paulo Rocha no primeiro turno das eleições; e da defesa incondicional das liberdades e do estado democrático de direito”.  

A suposta troca de mensagens entre um usuário do Twitter e o candidato Jair Bolsonaro é falsa.

Sobre o apoio de Jair Bolsonaro (PSL), candidato que lidera as pesquisas para presidente, foi publicada uma imagem falsa, que reproduz suposta conversa entre um usuário e Bolsonaro no Twitter. O usuário pergunta se Bolsonaro está apoiando Helder Barbalho ao governo do Pará. A imagem mostra uma falsa postagem, que seria a resposta de Bolsonaro, na qual o candidato falaria: “eu, combatente contra a corrupção, jamais me aliaria a uma família de corruptos”.

O post originalmente publicado no grupo do Facebook “Bolsonaro – Belém”, que tem 1.371 participantes, alcançou 259 curtidas e 139 compartilhamentos.

Perguntamos à assessoria de Helder sobre o apoio pessoal de Bolsonaro, mas não recebemos posição do candidato do MDB.

Também procuramos as supostas postagens do usuário e de Bolsonaro. O perfil do eleitor (@JMBarbosa2018) de fato existe e foi registrado poucos dias antes da votação no primeiro turno. O cadastro no Twitter foi feito em 5 outubro de 2018. Em sua página, há apenas três tuítes, sendo que dois deles indagam o candidato Bolsonaro sobre a parceria com Helder Barbalho. Acontece que nas duas mensagens, ao invés de mencionar o perfil @JairBolsonaro, o usuário menciona o nome @JairBol5onaro, com o número 5 no lugar do S, um perfil que não existe.

Já no perfil do candidato Jair Messias Bolsonaro, procuramos os tuítes a partir do dia 5 de outubro, data em que ele teria supostamente respondido à mensagem sobre o apoio do emedebista. No perfil, não há o tuíte reproduzido na imagem.

O próprio Twitter tem um mecanismo de veracidade de seus usuários. Contas de interesse público possuem um selo de verificação azul, posicionado ao lado do nome do usuário. Na postagem em questão, não há o selo de confirmação para o perfil do candidato Jair Bolsonaro. A troca de mensagens, portanto, nunca existiu.

O selo é utilizado pelo Twitter para conferir autenticidade de contas de interesse público. Na suposta mensagem de Bolsonaro, não há selo de confirmação.

Outro fato que demonstra a falsidade da imagem são as próprias alianças partidárias que se estabeleceram no Pará. Partido de Bolsonaro, o PSL faz parte da coligação “O Pará daqui pra frente”, chapa de Helder Barbalho, liderada pelo MDB. O apoio foi oficializado no dia 4 de agosto, em Belém (PA). Ainda no Twitter, desde o dia 5 de outubro, eleitores de Bolsonaro indagam o candidato quanto à veracidade de uma parceria entre o PSL e o MDB no Pará.

O deputado federal reeleito, Éder Mauro (PSD), que é o principal cabo eleitoral de Bolsonaro no Pará, há anos critica o governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), principal apoiador de Márcio Miranda, que disputa o segundo turno pelo DEM. Na último dia 9, Éder Mauro postou um vídeo com a seguinte legenda no Facebook: “Segurança pública: péssima com Jatene, pior com Márcio Miranda”.

Como a imagem foi fruto de uma montagem, o Truco nos Estados – projeto de checagem de informações coordenado pela Agência Pública que, no Pará, tem como parceiro o Portal Outros400 – considera falsa a publicação com manifestação pessoal de apoio de Jair Bolsonaro a Helder Barbalho, ressaltando que é real a coligação entre o MDB de Helder e o PSL de Bolsonaro, no Pará.

Boato semelhante circulou nas redes sociais sugerindo apoio mútuo entre Márcio Miranda e Jair Bolsonaro, mas o Truco nos Estados apontou que a mensagem é falsa. Levantamento do portal DW Brasil mostra que a maioria dos candidatos ao governo dos estados apoia a candidatura de Jair Bolsonaro à presidência.

Temer não fechou a base flutuante em Óbidos e a Polícia Federal ainda atua no município
Márcio Miranda - DEM
Temer não fechou a base flutuante em Óbidos e a Polícia Federal ainda atua no município

Entreposto logístico na região amazônica, Óbidos teve a atuação da PF reduzida com o fechamento da base flutuante de Candiru. Ainda assim, a polícia possui contingente no município.

Falso, Helder: não houve impedimento ambiental para içar navio naufragado em Barcarena
Helder Barbalho - MDB
Falso, Helder: não houve impedimento ambiental para içar navio naufragado em Barcarena

Navio Haidar que naugrafou com quase 5 mil bois aguarda andamento da licitação para ser retirado do fundo do rio Pará, no porto de Vila do Conde

Márcio Miranda diz que até 3 mil caminhões cruzam Belém diariamente, mas órgãos de trânsito não confirmam o dado
Márcio Miranda - DEM
Márcio Miranda diz que até 3 mil caminhões cruzam Belém diariamente, mas órgãos de trânsito não confirmam o dado

Em entrevista à rádio Unama FM, o candidato usou a circulação de caminhões na capital paraense para justificar a implantação de um projeto logístico na cidade

PA Candidatos - Pará