Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

Assista ao vídeo do primeiro e único debate sobre temas que os candidatos não querem responder, mediado por Rafucko

22 de outubro de 2014

Quem assistiu aos programas eleitorais na TV percebeu: alguns temas extremamente importantes para o país simplesmente não passaram por lá. E não só nos programas, meticulosamente planejados pelas milionárias campanhas de ambos os partidos: a cada debate, as mesmas perguntas, as mesmas provocações se repetiram, com pouca profundidade e pouca novidade.

Depois de uma longa e estressante corrida eleitoral, pouco se sabe sobre o que Dilma Rousseff, candidata do PT, e Aécio Neves, do PSDB, pensam sobre cultura ou a crise da água no país, por exemplo. Outros temas, como o aborto clandestino – que chegou ao primeiro turno da corrida eleitoral apenas depois do trágico episódio em que Jandira Magdalena dos Santos, de 27 anos, morreu após fazer um aborto numa clínica clandestina no Rio de Janeiro – continuaram sendo tabus no segundo turno. Parecem que nem existem.Por isso convidamos Rafucko para, com seu saboroso humor, fazer as perguntas que ninguém faz aos presidenciáveis dessa eleição. Assim surgiu o programa Vácuo Eleitoral, com o propósito de jogar os holofotes sobre temas que os candidatos não querem responder.

Assista aos três blocos do programa e nos responda: que pergunta você acha que deixou de ser feita – e respondida – neste segundo turno?

 

 

Seja aliada da Pública

Faça parte do nosso novo programa de apoio recorrente e promova jornalismo investigativo de qualidade. Doações a partir de R$ 10,00/mês.

Truco

Este texto foi produzido pelo Truco, o projeto de fact-checking da Agência Pública. Entenda a nossa metodologia de checagem e conheça os selos de classificação adotados em https://apublica.org/truco. Sugestões, críticas e observações sobre esta checagem podem ser enviadas para o e-mail truco@apublica.org e por WhatsApp ou Telegram: (11) 99816-3949. Acompanhe também no Twitter e no Facebook. Desde o dia 30 de julho de 2018, os selos “Distorcido” e “Contraditório” deixaram de ser usados no Truco. Além disso, adotamos um novo selo, “Subestimado”. Saiba mais sobre a mudança.

Comentários de nossos aliados

 Ver comentários

Esta é a área de comentários dos nossos aliados, um espaço de debate para boas discussões sobre as reportagens da Pública. Veja nossa política de comentários.

Carregando…
Você precisa ser um aliado para comentar.
Fechar
Só aliados podem denunciar comentários.
Fechar

Explore também

Porto Alegre: prefeitura ignora proposta de cidadãos e liga a motosserra

16 de abril de 2013 | por

Para expandir avenida para Copa do Mundo, governo municipal quer cortar cerca de 100 árvores

O relatório silenciado

12 de julho de 2016 | por

Informe parlamentar sobre os desdobramentos da Lava Jato no Peru revela como as empreiteiras brasileiras enviavam dinheiro para subornar políticos no país. Mas o Congresso peruano quer esquecê-lo

Ajuda a países pobres financia empresas de países ricos

13 de junho de 2012 | por

Estudo revela que metade do valor doado pela comunidade internacional para iniciativas privadas em países pobres vai para empresas da OCDE

Mais recentes

“Tenho acesso direto aos assessores de Mourão”, diz presidente do Clube Militar

25 de maio de 2019 | por

Às vésperas da manifestação pró-governo, general Eduardo Barbosa defende a ditadura militar, a economia liberal de Paulo Guedes e até Flávio Bolsonaro, investigado no caso Queiroz: “Causa estranheza ao se ver tanta relevância no caso”

Manifestações podem definir futuro de Bolsonaro no Congresso

24 de maio de 2019 | por

A Pública conversou com parlamentares sobre a crise entre governo e Congresso; ceticismo predomina, mas o resultado das ruas no dia 26 terá peso decisivo no futuro dessas relações

Dois anos do massacre de Pau D’Arco: mandantes ainda impunes e ameaça de despejo

24 de maio de 2019 | por

Em entrevista à Pública, a advogada Andréia Silvério, da CPT de Marabá, conta que os sobreviventes da chacina que vitimou dez trabalhadores ocupantes da fazenda Santa Lúcia em Pau D’Arco (PA) não receberam nenhum apoio do Estado, e que novos conflitos são iminentes

Login para aliados

Participe e seja aliado.

Fechar