O Copa Pública lança concurso cultural para que você (e não publicitários ou a Fifa) sugira um nome para o mascote da Copa

O Copa Pública lança concurso cultural para que você (e não publicitários ou a Fifa) sugira um nome para o mascote da Copa

21 de setembro de 2012
09:00
Este texto foi publicado há mais de 10 anos.
Especial: Copa Pública

Há poucos dias, após a divulgação do nome da bola que rolará nos campos durante a Copa de 2014 no Brasil – Brazuca – a Fifa divulgou os possíveis nomes do tatu-bola, sugerido por agências de publicidade e aprovados pelo departamento jurídico da Fifa como mascote da Copa do Mundo de 2014 no Brasil.

As opções, “Amijubi”, “Fuleco” e “Zuzeco”, que agora seguem para votação popular, parecem ter causado indignação geral.

Nas redes sociais, os nomes já ganharam versões carinhosas como “Furreco”, “Fuleiro” e “Amijubi” – ops, este é assim mesmo. Sobre ele, as piadas são a respeito da origem, a junção das palavra “amizade” e “júbilo”. Um tuiteiro disparou: “Ainda bem que não lembraram de caráter e trabalho”.

Como a Fifa não nos deixará saída a não ser chutar a Brazuca e nomear nosso tatu com uma destas pérolas, o Copa Pública resolveu abrir um concurso cultural para que você escolha um nome para o mascote que seja, digamos, mais coerente com a realidade dos brasileiros e com os preparativos para a Copa no Brasil. O jornalista britânico Andrew Jennings, parceiro da Pública, dá a sua dica: “deve ser algo que tire um sarro da nova dirigência da CBF”.

Posts antigos do Copa Pública são ótimas inspirações.

O concurso

Você tem até o dia 30 de setembro para enviar suas sugestões, quantas quiser, para o e-mail: promo@apublica.org. Após uma pré-seleção, realizada pela equipe da Pública, as 10 sugestões mais criativas de nomes seguirão para votação popular na nossa página no Facebook. O resultado final sairá no dia 9 de outubro.

Os autores dos dois nomes mais votados ganharão um exemplar do livro “Jogo Sujo – O Mundo Secreto da Fifa: Compra de Votos e Escândalos de Ingressos”, de Andrew Jennings, com autógrafo e dedicatória do autor . E os oito finalistas ganharão um exemplar do livro “Plantados no Chão”, que denuncia os assassinatos de lideranças sociais no Brasil, da jornalista Natalia Viana. Além de fama e notoriedade, claro. Bora? Já está valendo!

O blog Copa Pública é uma experiência de jornalismo cidadão que mostra como a população brasileira tem sido afetada pelos preparativos para a Copa de 2014 – e como está se organizando para não ficar de fora.

Precisamos te contar uma coisa: Investigar uma reportagem como essa dá muito trabalho e custa caro. Temos que contratar repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores, profissionais de redes sociais, advogados… e muitas vezes nossa equipe passa meses mergulhada em uma mesma história para documentar crimes ou abusos de poder e te informar sobre eles. 

Agora, pense bem: quanto vale saber as coisas que a Pública revela? Alguma reportagem nossa já te revoltou? É fundamental que a gente continue denunciando o que está errado em nosso país? 

Assim como você, milhares de leitores da Pública acreditam no valor do nosso trabalho e, por isso, doam mensalmente para fortalecer nossas investigações.

Apoie a Pública hoje e dê a sua contribuição para o jornalismo valente e independente que fazemos todos os dias!

Mais recentes

Garimpo ilegal utilizou base da Funai que deveria proteger Yanomami, mostra ofício inédito

27 de janeiro de 2023 | por

Documento de 2021 cita helicópteros clandestinos, homens armados e garimpo utilizando estrutura do governo dentro da TI

Gravações colocam governador do MT sob suspeita de tramar contra jornalista

26 de janeiro de 2023 | por

Infiltrado no esquema, repórter denunciou intenção de atingir o colega, Alexandre Aprá, que desagradava governador

Primeiras imagens do STF mostram facilidade de bolsonaristas na invasão ao Tribunal

25 de janeiro de 2023 | por

Policiais não barraram acesso de grupos golpistas; Polícia Judicial deixou vulnerável prédio principal