Agência de Jornalismo Investigativo

Natalia Viana, diretora da Pública, está concorrendo ao Troféu Mulher Imprensa na categoria web. Votar é simples e rápido. Clique e vote!

16 de Janeiro de 2013

clique aqui para votar

Quem é Natalia?

A diretora da Pública começou sua carreira na revista Caros Amigos em 2002.  Desde então, foi correspondente da Bandnews em Londres e colaborou com organizações de jornalismo investigativo como o Center for Investigative Journalism de Londres e o Center for Investigative Reporting em Berkeley, nos EUA, e com veículos internacionais como Independent, The Sunday Times e Guardian. Nessa época foi ainda produtora-assistente dos documentários Black Money, do Frontline World, exibido pela PBS americana, e Anthrax War, da CBC canadense.

Publicou o livro Plantados no Chão e foi coautora dos livros Movimento, uma Reportagem, sobre um jornal de resistência durante a ditadura militar, e Habeas Corpus – Apresente-se o Corpo.

Em 2005 recebeu o Prêmio Andifes e Menção Honrosa do Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos.

Em novembro de 2010, foi convidada pelo WikiLeaks para coordenar a publicação dos documentos diplomáticos das embaixadas americanas no Brasil e a parceria com os jornais Folha de S.Paulo e O Globo. Escreveu sobre os documentos publicados pelo site do Wikileaks para um blog, no site da revista Carta Capital. Em março de 2011 fundou, junto com Marina Amaral e Tatiana Merlino, a agência de jornalismo investigativo Pública.

A fundação da Pública, primeira do gênero no Brasil, foi anunciada na cerimônia do Troféu Mulher Imprensa 2011, do qual Natalia foi vencedora na categoria Web.

clique aqui para votar

 

Tags

Comentários

Mais recentes

Uma ativista perseguida no governo Macri

18 de Janeiro de 2018 | por

Líder da Tupac Amaru, importante organização social da Argentina, Milagro Sala está presa em condições ilegais por crimes que não cometeu segundo organizações internacionais de direitos humanos

“Licitação de Dória traz muitos pontos duvidosos”, diz especialista em transporte

17 de Janeiro de 2018 | por

Em entrevista à Pública, o geógrafo Oliver França Scarcelli examina criticamente o novo edital para a concessão do serviço de ônibus em São Paulo

Sorteio do Supremo é caixa preta

16 de Janeiro de 2018 | por

STF não detalha procedimentos que definem o sorteio de processos entre ministros; levantamento de dados da última década revela equilíbrio, mas não há como descartar possíveis manipulações

Explore também

Um campo de concentração indígena a 200 quilômetros de Belo Horizonte (MG)

25 de junho de 2013 | por

Nos anos 1970, a Fazenda Guarani aprisionou índios "delinquentes" e grupos que lutavam por terras. “Ninguém podia entrar e ninguém podia sair”, conta um ex-confinado

Copa sem casa

23 de junho de 2014 | por

Moradores da comunidade vizinha à Arena de Pernambuco, na área rural de Recife, perderam suas casas ou parte de seus lotes e ainda lutam para receber indenização