Agência de Jornalismo Investigativo

Tire suas dúvidas sobre o Concurso de Microbolsas para Reportagens sobre Energia

31 de outubro de 2014

postal1_faq

Ficou com alguma dúvida sobre o Concurso de Microbolsas para Reportagens sobre Energia?

Veja as dúvidas mais frequentes:

– A proposta de pauta precisa ser sobre hidrelétricas ou pré-sal? Posso fazer sobre outro tema relacionado a energia?

A pauta necessariamente deve se enquadrar em uma das duas categorias (hidrelétricas ou pré-sal). Os dois subtemas são amplos e podem ser abordados por diversos ângulos, como impactos ambientais, histórias das comunidades locais, etc.

– A inscrição é individual ou pode ser em dupla/grupo?

A inscrição pode ser realizada tanto individualmente como em grupo. A diferença, é que no caso da inscrição em grupo, o valor da premiação (R$ 5 mil) será dividido entre todos os componentes.

– Quem trabalha em algum veículo pode se inscrever?

Sim. Aquelas pessoas que têm interesse em inscrever um projeto, mas trabalham para algum outro veículo devem confirmar junto ao seu local de trabalho se o contrato prevê exclusividade.

– Estudante pode se inscrever? Mas como eu vou comprovar experiência em reportagem investigativa?

Sim, estudantes podem participar. No caso específico de estudantes, a Pública aceita como exemplos reportagens realizadas durante a faculdade. O estudante deve provar ser capaz de realizar uma pauta bem apurada, com múltiplas fontes.

– E se eu não conseguir realizar a minha pauta, o que acontece?

Se mesmo sob orientação o microbolsista não conseguir realizar a pauta, o caso será analisado pela equipe da Pública para que se encontre uma solução viável. Em último caso, o microbolsista deverá devolver o dinheiro recebido através do concurso.

– Eu moro longe de São Paulo. Posso participar?

Sim. Interessados que não residam em São Paulo podem e devem sim participar do concurso. Nesse caso, as reuniões com as editoras da Pública serão realizadas via skype, em datas pré-definidas.

– Pode ser projeto de infografia ou animação?

Sim. A Pública busca por novas narrativas dentro do Jornalismo, e incentiva projetos que apresentem dados e histórias de maneira visualmente atraente, interativa e inovadora. Mas o crucial é a apuração e a boa reportagem, independente do formato.

– O prêmio de R$ 5 mil pode ser utilizado apenas para o pagamento do repórter?

Sim. Uma vez tendo sua pauta escolhida, o repórter tem autonomia na utilização do dinheiro recebido da maneira que lhe convier.

– Tem que ser brasileiro para poder participar?

O Concurso de Microbolsas busca fomentar o jornalismo brasileiro independente. Por isso, só serão aceitas as inscrições de cidadãos brasileiros, naturalizados ou residentes no Brasil.

– A Pública oferece identificação provisória (crachá)?

Sim.

 

 

Sua dúvida não foi respondida? Envie-nos um email: marinadias@apublica.org

Você precisa ser um aliado para comentar.
Fechar
Fechar
Só aliados podem denunciar comentários.
Fechar

Explore também

Elisângela chegou a tempo de ver sua casa cair: Veja o minidoc

26 de junho de 2012 | por

Vídeo conta a história da carioca que teve a casa onde morava com a filha derrubada sem aviso e comenta lógica de despejos para megaeventos

Essa é Maria Raimunda, líder do MST no Pará, ameaçada de morte

29 de julho de 2013 | por

Sem medo de assumir a frente do Movimento dos Sem Terra em um Estado que eles são mortos pelos fazendeiros, Maria Raimunda segue em frente

As novas rotas de tráfico na América Central

25 de outubro de 2011 | por

Com 370 mil habitantes, a pequena Belize tem sido usada por cartéis mexicanos como ponto de trânsito para o tráfico de cocaína

Mais recentes

“Desfaça tudo essas reservas”, diz produtora a secretário em reunião de fazendeiros do Pará com governo federal

22 de abril de 2019 | por

Em encontro fechado no Ministério da Agricultura, ruralistas do Pará cobram do governo Bolsonaro – apoiado por eles desde a campanha – medidas contra política ambiental, e mesmo ilegais, como fim da fiscalização e revogações de UCs

“Caveirão voador” é usado como plataforma de tiro, dizem moradores

18 de abril de 2019 | por

No Rio de Janeiro, instrução normativa do estado proíbe rajadas a partir de helicópteros da polícia, mas disparos aéreos com intervalos são permitidos; moradores relatam rasantes com tiros em direção às comunidades

Governo federal não sabe quantos conselhos foram extintos nem qual será a redução de custos

17 de abril de 2019 | por e

Celebrado por Bolsonaro como uma das medidas dos seus 100 dias de governo, nem governo nem ministérios sabem informar o impacto do decreto que acabou com os conselhos federais