Agência de Jornalismo Investigativo

Versão mais leve permite que usuários em qualquer cidade descubram os segredos do passado da história do país

27 de julho de 2017

Recentemente, o Cais do Valongo foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Nada mais justo, já que o antigo porto do Rio recebeu mais de 700 mil africanos escravizados, que vieram para construir a colônia e, depois, o Brasil. O cais do Valongo – hoje um pequeno retângulo escavado na área portuária – é apenas um dos pontos pouco conhecidos da história brasileira que se concentram no centro do Rio. Foi ali que aportou a esquadra de Dom João VI, que vinha fugindo de Napoleão, onde nasceu o samba e também onde foi relevado um esquema de propina do PMDB liderado pelo ex-deputado Eduardo Cunha.

Revelar esses pontos históricos, e muito segredos que não estão nos livros de História, é a proposta do aplicativo Museu do Ontem, lançado pela Agência Pública em junho (saiba mais aqui).

Agora, a Pública lança uma nova versão do app, que permite que pessoas de qualquer cidade possam também descobrir esses segredos. Ao baixar o app, o usuário vai poder selecionar “Tour Virtual”, e então poderá caminhar onde estiver para destravar os conteúdos do Museu do Ontem. O usuário pode selecionar entre três tours: Tour do Terror, Tour do Samba e Tour da Corrupção.

(Imagem: Reprodução/Museu do Ontem)

A outra opção, “Explore as ruas do Porto”, só funciona se o usuário está de fato na área portuária.

Todos os conteúdos conquistados vão para o Cofre e contam pontos e medalhas.

A nova versão também é mais leve, e conta com todos os conteúdos em inglês e português.

Desde o seu lançamento, o Museu do Ontem teve mais de 2.500 downloads na AppStore e no Google Play. Uma prova de que os brasileiros se importam, sim, em conhecer e explorar o nosso passado.

Agora, é baixar o aplicativo e desvendar o nosso passado!

O update já está disponível no Google Play e na AppStore!

 

Comentários

Mais recentes

Uma ativista perseguida no governo Macri

18 de Janeiro de 2018 | por

Líder da Tupac Amaru, importante organização social da Argentina, Milagro Sala está presa em condições ilegais por crimes que não cometeu segundo organizações internacionais de direitos humanos

“Licitação de Dória traz muitos pontos duvidosos”, diz especialista em transporte

17 de Janeiro de 2018 | por

Em entrevista à Pública, o geógrafo Oliver França Scarcelli examina criticamente o novo edital para a concessão do serviço de ônibus em São Paulo

Sorteio do Supremo é caixa preta

16 de Janeiro de 2018 | por

STF não detalha procedimentos que definem o sorteio de processos entre ministros; levantamento de dados da última década revela equilíbrio, mas não há como descartar possíveis manipulações

Explore também

| De olho | Recesso empurra para agosto votação da cassação de Cunha

17 de julho de 2016 | por

Deputados e senadores retomam os trabalhos em duas semanas; o novo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse que aguardará sessão com “garantia de quórum elevado” para a deliberação do processo contra Cunha

WIKILEAKS: Cônsul e FHC ironizam movimento “Cansei”

28 de junho de 2011 | por

Movimento não convenceu o ex-cônsul-geral dos EUA em São Paulo, para quem seus líderes se tornaram alvos fáceis de caricatura

O Brasil não está inteiro na COP21

9 de dezembro de 2015 | por

Metas para redução de emissão de gases do efeito estufa foram definidas sem participação das comunidades da Amazônia; desmatamento e hidrelétricas ameaçam liderança brasileira