Agência de Jornalismo Investigativo

Versão mais leve permite que usuários em qualquer cidade descubram os segredos do passado da história do país

27 de julho de 2017

Recentemente, o Cais do Valongo foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Nada mais justo, já que o antigo porto do Rio recebeu mais de 700 mil africanos escravizados, que vieram para construir a colônia e, depois, o Brasil. O cais do Valongo – hoje um pequeno retângulo escavado na área portuária – é apenas um dos pontos pouco conhecidos da história brasileira que se concentram no centro do Rio. Foi ali que aportou a esquadra de Dom João VI, que vinha fugindo de Napoleão, onde nasceu o samba e também onde foi relevado um esquema de propina do PMDB liderado pelo ex-deputado Eduardo Cunha.

Revelar esses pontos históricos, e muito segredos que não estão nos livros de História, é a proposta do aplicativo Museu do Ontem, lançado pela Agência Pública em junho (saiba mais aqui).

Agora, a Pública lança uma nova versão do app, que permite que pessoas de qualquer cidade possam também descobrir esses segredos. Ao baixar o app, o usuário vai poder selecionar “Tour Virtual”, e então poderá caminhar onde estiver para destravar os conteúdos do Museu do Ontem. O usuário pode selecionar entre três tours: Tour do Terror, Tour do Samba e Tour da Corrupção.

(Imagem: Reprodução/Museu do Ontem)

A outra opção, “Explore as ruas do Porto”, só funciona se o usuário está de fato na área portuária.

Todos os conteúdos conquistados vão para o Cofre e contam pontos e medalhas.

A nova versão também é mais leve, e conta com todos os conteúdos em inglês e português.

Desde o seu lançamento, o Museu do Ontem teve mais de 2.500 downloads na AppStore e no Google Play. Uma prova de que os brasileiros se importam, sim, em conhecer e explorar o nosso passado.

Agora, é baixar o aplicativo e desvendar o nosso passado!

O update já está disponível no Google Play e na AppStore!

 

Mais recentes

Frei Betto: “Vejo paralelo entre o momento atual e a eleição de Hitler na Alemanha”

11 de outubro de 2018 | por

Em entrevista à Pública, o frade dominicano e escritor afirma que Bolsonaro é resultado da omissão do judiciário que permitiu a "lei esdrúxula da anistia recíproca" e que o PT "não cuidou de promover a alfabetização política do povo"

Apoiadores de Bolsonaro realizaram pelo menos 50 ataques em todo o país

10 de outubro de 2018 | por , , , , e

Levantamento inédito contabilizou relatos de agressões e ameaças contra pessoas em 18 estados e no DF nos últimos dez dias; 6 apoiadores do candidato do PSL também foram agredidos

Microbolsas: conheça os repórteres selecionados para investigar a volta da fome

10 de outubro de 2018 | por

Mais de 80 repórteres de 15 estados diferentes propuseram pautas sobre a volta da fome à realidade brasileira

Truco!

Desemprego no Brasil cresceu quando Armando era ministro, mas não foi o maior da história

5 de outubro de 2018

Candidato do PTB comandou a pasta da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, entre janeiro de 2015 e maio de 2016, durante o governo de Dilma Rousseff

Doria cita dado impossível de provar sobre empresas fechadas em governo do PT

5 de outubro de 2018

Candidato tucano fez referência às médias e grandes empresas, porém números disponíveis não usam essa classificação

Ops, Aílton: foram R$ 130 milhões para saneamento básico no Ceará

5 de outubro de 2018

Relatório Resumido da Execução Orçamentária (RREO) da Sefaz aponta um gasto de pouco mais de R$ 130 milhões em 2017

Explore também

"Julian está trabalhando na embaixada", diz jornalista amigo de Assange

21 de junho de 2012 | por

Em entrevista à Pública, Gavin MacFadyen fala do que viu e ouviu na embaixada do Equador em Londres

Só não vale deixar os gringos no escuro

22 de fevereiro de 2013 | por

Poluentes e caras, usinas termelétricas devem ficar ligadas o ano todo para armazenar energia para a Copa

Ouçam o alerta da Aldeia Maracanã

15 de janeiro de 2013 | por e

Esse prédio é testemunha da história do branco e do índio no Brasil. O governo do Rio quer derrubá-lo para abrir mais um acesso ao Maracanã. Os índios criaram um centro cultural e querem uma universidade indígena aqui