Versão mais leve permite que usuários em qualquer cidade descubram os segredos do passado da história do país

Versão mais leve permite que usuários em qualquer cidade descubram os segredos do passado da história do país

27 de julho de 2017
15:52
Este texto foi publicado há mais de 4 anos.

Recentemente, o Cais do Valongo foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Nada mais justo, já que o antigo porto do Rio recebeu mais de 700 mil africanos escravizados, que vieram para construir a colônia e, depois, o Brasil. O cais do Valongo – hoje um pequeno retângulo escavado na área portuária – é apenas um dos pontos pouco conhecidos da história brasileira que se concentram no centro do Rio. Foi ali que aportou a esquadra de Dom João VI, que vinha fugindo de Napoleão, onde nasceu o samba e também onde foi relevado um esquema de propina do PMDB liderado pelo ex-deputado Eduardo Cunha.

Revelar esses pontos históricos, e muito segredos que não estão nos livros de História, é a proposta do aplicativo Museu do Ontem, lançado pela Agência Pública em junho (saiba mais aqui).

Agora, a Pública lança uma nova versão do app, que permite que pessoas de qualquer cidade possam também descobrir esses segredos. Ao baixar o app, o usuário vai poder selecionar “Tour Virtual”, e então poderá caminhar onde estiver para destravar os conteúdos do Museu do Ontem. O usuário pode selecionar entre três tours: Tour do Terror, Tour do Samba e Tour da Corrupção.

(Imagem: Reprodução/Museu do Ontem)

A outra opção, “Explore as ruas do Porto”, só funciona se o usuário está de fato na área portuária.

Todos os conteúdos conquistados vão para o Cofre e contam pontos e medalhas.

A nova versão também é mais leve, e conta com todos os conteúdos em inglês e português.

Desde o seu lançamento, o Museu do Ontem teve mais de 2.500 downloads na AppStore e no Google Play. Uma prova de que os brasileiros se importam, sim, em conhecer e explorar o nosso passado.

Agora, é baixar o aplicativo e desvendar o nosso passado!

O update já está disponível no Google Play e na AppStore!

 

Seja aliada da Pública

Todos precisam conhecer as injustiças que a Pública revela. Ajude nosso jornalismo a pautar o debate público.

Mais recentes

Família sofre racismo e tentativa de golpe ao tentar repatriar imigrante morto no Brasil

20 de maio de 2022 | por

Sem apoio do governo brasileiro e da Guiné-Bissau, familiares de Milton Sanca fazem campanha online para arrecadar valor para traslado do corpo

Renato Freitas: um vereador entre o racismo e o fundamentalismo religioso

19 de maio de 2022 | por

Um dos poucos parlamentares negros da Câmara de Vereadores de Curitiba pode ter seu mandato cassado por participação em ato antirracista

Duas mãos descascam feijão em recipiente

Feijão contaminado: alimento tem agrotóxico proibido ou fora do limite em teste do governo

18 de maio de 2022 | por

Em 2019, 89% das amostras de feijão-de-corda e 32% do feijão comum não atendiam aos parâmetros, segundo pesquisa do Ministério da Agricultura