AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Feridos pelo Estado – Parte 1: Fogo, Borracha e Fumaça

Da invasão da PUC em 1977 as jornadas de junho em 2013, nosso documentário investiga a repressão a manifestações; nessa primeira parte, abordamos a atuação da PM nos protestos populares

Os protestos contra os preços do transporte público em junho de 2013 deram visibilidade ao modo como o Estado reage a manifestações populares no Brasil. Desde então, os casos de violência policial contra manifestantes ganharam notoriedade no país.

No entanto, a repressão violenta aos movimentos de rua antecede as chamadas Jornadas de Junho. Um exemplo é o episódio conhecido como invasão da PUC, que aconteceu no campus Perdizes da universidade, em São Paulo, há exatos 40 anos. Na ocasião, em meio à Ditadura, a Polícia Militar deixou quatro estudantes gravemente feridas ao interromper um ato estudantil com bombas e cassetetes.

Assista também: Feridos pelo Estado – Parte 2: Vítimas e culpados

A invasão da PUC guarda semelhanças com casos recentes, como o do fotógrafo Sérgio Silva e o da estudante Deborah Fabri, ambos atingidos no olho esquerdo pela munição menos letal disparada pela polícia.

Em duas partes, o documentário “Feridos pelo Estado” investiga o que mudou e o que permaneceu igual na relação do Estado brasileiro com as manifestações populares entre 1977 e 2017, a partir desses três casos.

“Feridos pelo Estado” é uma parceria entre a Agência Pública e a TV PUC.

 

Gostou da reportagem? 

Contribua com a nossa campanha de financiamento coletivo

www.catarse.me/reportagempublica2017

Tags: , , , , , ,

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

A última viagem de Ernesto

A última viagem de Ernesto

| por | 9 de outubro de 2017

Em entrevista feita há seis anos, amigo de infância conta detalhes da personalidade e da viagem que fez pela América Latina com Che Guevara, morto há 50 anos

Dia de tiroteio no Alemão

Dia de tiroteio no Alemão 2

| por , | 29 de setembro de 2017

Uma avó não consegue buscar os netos na escola; duas mães que perderam seus filhos – um era trabalhador, outro traficante. Os repórteres Alejandra S. Inzunza e José Luis Pardo acompanharam as agruras dos moradores do complexo carioca, onde acontece um tiroteio a cada 30 horas

Supremas relações

Supremas relações 8

| por | 18 de setembro de 2017

Processo trabalhista revela acesso à cúpula do Judiciário em troca de patrocínio de eventos de site jurídico. Gilmar Mendes tem conversa exposta em que trata sobre projetos de seu IDP