Agência de Jornalismo Investigativo

A Reportagem Pública chega à sua terceira edição e você pode escolher o que vamos investigar nos próximos meses

12 de setembro de 2017

Em 2015, quando publicamos a reportagem “A Nova Roupa da Direita”, recebemos centenas de leitores recém-chegados à nossa página do Facebook, ainda incrédulos com as revelações. Seguindo a trilha do dinheiro, a nossa diretora de redação Marina Amaral descobriu que grupos que na época capitaneavam os protestos pelo impeachment de Dilma Rousseff se dizendo “indignados” com a corrupção, como o MBL, foram gestados por think tanks de ultradireita dos Estados Unidos.

Um deles quis desmerecer o trabalho de investigação, perguntando: afinal, QUEM financia a Agência Pública? Outro leitor foi rápido a responder: “Eu. Fui eu que doei para o crowdfunding e fui eu que votei para essa reportagem ser feita”.

É esse o espírito da Reportagem Pública, a campanha de financiamento coletivo que chega hoje à sua terceira edição. Nas duas edições anteriores, através de doações de mais de 1700 pessoas, conseguimos realizar 25 reportagens – muitas delas foram furos, como a citada acima, outras receberam prêmios nacionais e internacionais.

Temos a certeza que o futuro do bom jornalismo depende do leitor: ele tem que financiar o trabalho que fazemos, ou nossa profissão corre sério risco. Mas nós da Pública acreditamos que os leitores têm muito mais a contribuir.

Por isso, a Reportagem Pública 2017 é, acima de tudo, um chamado à participação. Queremos que os leitores nos ajudem a decidir o que deve ter prioridade para ser investigado a cada momento, que nos ajude a guiar o timão do nosso barco.

Todo mundo que doa, recebe todo mês por email três propostas de reportagem dos nossos jornalistas, e vota em qual devemos ir atrás. Nessa edição, vamos aprofundar ainda mais a participação, pedindo sugestões de pautas, a serem votadas e eleitas pela maioria. Os leitores também vão poder conversar com nossos jornalistas através de um grupo fechado no Facebook, onde todos vão trocar impressões sobre as descobertas.

Não é à toa que passamos boa parte do ano planejando essa campanha: a Reportagem Pública é um momento muito especial, que nos alegra bastante. Ela permite que se crie uma verdadeira comunidade de leitores, que nos ajuda a ser sempre melhores.

Já estávamos morrendo de saudades dessa interação.

A Pública tem até o dia 27 de outubro para arrecadar os 80 mil reais, que vão financiar oito reportagens investigativas. É tudo ou nada: se não arrecadarmos a meta, o projeto não acontece. Vamos fazer esse projeto virar realidade?

Vem com a gente!

www.catarse.me/reportagempublica2017

 

Mais recentes

Milhares de imóveis da União estão vagos para uso

21 de junho de 2018 | por e

Parte dos mais de 10 mil imóveis vazios em todo o país poderia ser destinada à habitação popular

Investigação indica que dinheiro dos credores da Boi Gordo virou terra em Matopiba

19 de junho de 2018 | por

Enquanto 30 mil pessoas lesadas por uma das maiores falências do Brasil lutam por ressarcimento na Justiça, investigação aponta lucros astronômicos obtidos por grupo proprietário da massa falida, com auxílio de fundo de investimento

Quem fiscaliza os tribunais de contas?

14 de junho de 2018 | por

Abarrotados de denúncias de corrupção, TCEs são compostos de membros políticos nomeados pelos governadores e seus aliados

Explore também

Em Fortaleza, plebiscito do Acquário volta à pauta depois de protestos

5 de julho de 2013 | por

Três anos depois do governo anunciar a criação de um aquário de 258 milhões de reais em Fortaleza, a população da capital cearense está perto de dizer se quer ou não a obra

Americanos observam crescimento da classe média brasileira

2 de julho de 2011 | por

Telegramas de 2006 e 2009 mostram interesse dos EUA na ascensão da Classe C

| De olho | Briga pela sucessão de Cunha esquenta o clima na Câmara

10 de julho de 2016 | por

Líderes partidários e pré-candidatos discutem como se dará a escolha do novo presidente; maior polêmica é em relação à data da eleição