Gastos do cartão corporativo mostram pagamentos em hotéis em locais em que Bolsonaro passou férias durante a pandemia

Gastos do cartão corporativo mostram pagamentos em hotéis em locais em que Bolsonaro passou férias durante a pandemia

12 de janeiro de 2023
09:46

Mais de R$ 13 milhões pagos em hospedagem durante quatro anos — essa é uma das revelações dos dados de gastos do cartão corporativo do Governo Federal durante o governo Bolsonaro. Os valores foram publicados no site da Secretaria da Presidência da República na noite desta quarta-feira (11). Na mesma data, o Governo Federal respondeu a um pedido de Acesso à Informação da Agência Pública informando a liberação dos dados.

Resposta ao pedido de Lei de Acesso à Informação sobre os gastos do cartão corporativo do governo Bolsonaro
Pública protocolou diversos pedidos de Acesso à Informação para revelar os segredos do governo Bolsonaro

Segundo a Pública apurou, nenhum dos gastos foi feito através do CPF de Jair Bolsonaro ou da ex-primeira dama Michelle Bolsonaro. Os valores foram pagos por funcionários da Secretaria da Presidência, como Magda Oliveira de Myron Cardoso. Estão no nome dela a maior parte dos pagamentos com o cartão corporativo durante o governo de Bolsonaro — mais de R$ 4 milhões.

Os gastos do “cartão corporativo”, nome pelo qual o cartão de pagamento do Governo Federal se popularizou, vinham sendo solicitados pela Pública e diversas outras organizações e veículos jornalísticos há anos. Apenas uma parte dos gastos era conhecida. Outra, ficava sob sigilo no site do Portal da Transparência, e o governo negava o acesso via Lei de Acesso à Informação.

Agora, com os dados divulgados pelo governo, é possível saber os nomes dos estabelecimentos que foram pagos usando os cartões, os valores individuais dos gastos e quem foi o responsável por esses pagamentos.

Hotel no Guarujá é maior gasto de Bolsonaro com hospedagem

O cartão de Magda, por exemplo, foi o utilizado no dia 16 de abril de 2022 para pagar R$ 107 mil em hospedagens na Hotur São Paulo Participações e Empreendimentos, empresa hoteleira sediada no Guarujá, no litoral de São Paulo. Na data — o feriado de Páscoa — Bolsonaro esteve de folga na cidade, após realizar uma motociata até Americana. Na praia, ele conversou com apoiadores, disse que pretendia assistir a uma partida de futebol do Santos e foi recebido aos gritos de mito em uma pizzaria.

Ex-presidente Jair Bolsonaro na orla de uma praia. Bolsonaro veste uma camiseta branca do Santos.
Gastos do cartão corporativo mostram pagamentos em hotéis em locais em que Bolsonaro passou férias durante a pandemia

Além dos R$ 107 mil gastos com a hospedagem na praia, o cartão da presidência mostra diversos outros pagamentos com alimentação, combustíveis e transporte naquele fim de semana. Ao todo, foram R$ 174 mil pagos no cartão entre 16 e 17 de abril, quando Bolsonaro estava na praia e sem agenda oficial. 

A Hotur é o maior gasto do cartão corporativo da presidência com hospedagens em todos os quatro anos do governo Bolsonaro. Segundo a Pública apurou, mais de R$ 1,4 milhão foi pago à empresa por cartões de pagamento da Secretaria da Presidência.

A empresa está sediada numa avenida de alto padrão no litoral do Guarujá, a dois quarteirões da praia. No endereço, está o hotel Ferrareto.

Fachada do Ferraretto Hotel, hospedagem em que Bolsonaro gastou mais de 1 milhão de reais no cartão corporativo
Gastos com hospedagens da Hotur chegam a R$ 1,4 milhão

O governo também pagou hospedagens no local em abril de 2019, em janeiro e em novembro de 2020, na virada do ano de 2020 para 2021, em outubro de 2021, novamente na virada de 2021 para 2022, e na Páscoa do ano passado.

Gastos com cartão corporativo sob Bolsonaro podem ser maiores

Os dados de pagamentos do cartão corporativo da gestão de Jair Bolsonaro podem ser ainda maiores. Apenas em 2022, no Portal da Transparência, há registros de R$ 14 milhões em pagamentos considerados sigilosos pela Secretaria Especial de Administração da Presidência.

As informações divulgadas nesta quarta, contudo, informam ao todo R$ 4,9 milhões de gastos em todo o ano de 2022. Ou seja, há valores que são informados como sigilosos no Portal da Transparência, mas que não estão na lista de gastos divulgados pelo governo federal. A reportagem enviou pedidos de esclarecimentos e entrou com recurso no sistema de acesso à informação e ainda aguarda resposta.

Ao todo, foram liberados dados sobre R$ 27 milhões realizados em pagamentos do cartão corporativo do governo Bolsonaro. Isso equivale a 65% do total que estava sob sigilo de pagamentos do cartão pela Secretaria da Presidência — isto é, há gastos do cartão que não constam na lista tornada pública pelo governo federal.

Os dados do cartão de pagamento do governo federal foram publicados no site da Secretaria da Presidência na noite de quarta-feira, dia 11 de janeiro, e podem ser acessados aqui.

Colaboradora: Bianca Muniz

*Reportagem em atualização

Esta reportagem pertence ao especial Caixa-Preta do Bolsonaro – viabilizado graças ao apoio de milhares de leitores – que revela os potenciais crimes e abusos cometidos pelo governo Bolsonaro que ficaram escondidos por trás de sigilos, negativas e outras táticas de sonegação de informação. A cobertura completa está no site do projeto.

Precisamos te contar uma coisa: Investigar uma reportagem como essa dá muito trabalho e custa caro. Temos que contratar repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores, profissionais de redes sociais, advogados… e muitas vezes nossa equipe passa meses mergulhada em uma mesma história para documentar crimes ou abusos de poder e te informar sobre eles. 

Agora, pense bem: quanto vale saber as coisas que a Pública revela? Alguma reportagem nossa já te revoltou? É fundamental que a gente continue denunciando o que está errado em nosso país? 

Assim como você, milhares de leitores da Pública acreditam no valor do nosso trabalho e, por isso, doam mensalmente para fortalecer nossas investigações.

Apoie a Pública hoje e dê a sua contribuição para o jornalismo valente e independente que fazemos todos os dias!

Reprodução
Reprodução Redes Sociais
Reprodução

Mais recentes

Garimpo ilegal utilizou base da Funai que deveria proteger Yanomami, mostra ofício inédito

27 de janeiro de 2023 | por

Documento de 2021 cita helicópteros clandestinos, homens armados e garimpo utilizando estrutura do governo dentro da TI

Gravações colocam governador do MT sob suspeita de tramar contra jornalista

26 de janeiro de 2023 | por

Infiltrado no esquema, repórter denunciou intenção de atingir o colega, Alexandre Aprá, que desagradava governador

Primeiras imagens do STF mostram facilidade de bolsonaristas na invasão ao Tribunal

25 de janeiro de 2023 | por

Policiais não barraram acesso de grupos golpistas; Polícia Judicial deixou vulnerável prédio principal