Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

José Cícero da Silva

Fotógrafo e videomaker.
Atuou como freelancer para veículos de comunicação que abordam violações de direitos humanos.
Contribuiu para Carta Capital, Rede Brasil Atual e Outras Palavras.
Além da Agência Pública, faz parte do DiCampana Foto Coletivo.


Mais recentes

Sob o cerco da soja

1 de outubro de 2019

“Não há segurança de que o ouro do seu anel não seja clandestino”, diz procurador do MPF

18 de setembro de 2019 | por e

Luís de Camões Boaventura explicou à Pública o descontrole da cadeia econômica do ouro paraense, que movimenta ilegalmente seis vezes mais recursos que o mercado legal

Mortes, garimpo e grilagem assolam assentamento mais incendiado do Pará

3 de setembro de 2019 | por e

Além do fogo, assentamento está tomado por fazendas em terras griladas e uma mineradora de ouro; e já registrou nos últimos anos cinco assassinatos e um desaparecimento

“Eu sei que vou morrer. Só não quero que matem meu filho”, diz liderança no Pará

3 de setembro de 2019 | por e

Maria Márcia Elpídia de Melo tirou o filho do assentamento Terra Nossa devido às ameaças que sofre por denunciar atividades ilegais de fazendeiros, venda de lotes e assassinatos

Queimadas quadruplicam em assentamento mais incendiado do Pará

27 de agosto de 2019 | por , e

Nossa reportagem visitou uma das áreas públicas mais incendiadas no estado; aumento de queimadas no assentamento Terra Nossa coincide com o "dia do fogo"

Amazônia em chamas

27 de agosto de 2019

Ameaçados pelo veneno

19 de agosto de 2019

Dário Kopenawa: “São 20 mil garimpeiros explorando a nossa casa”

8 de agosto de 2019 | por

Liderança yanomami denuncia o garimpo ilegal de ouro, ameaças e danos ambientais no território em Roraima; governo Bolsonaro pretende legalizar a mineração em terras indígenas

Fogo e bala no acampamento

15 de julho de 2019

“Caveirão voador” é usado como plataforma de tiro, dizem moradores

18 de abril de 2019 | por

No Rio de Janeiro, instrução normativa do estado proíbe rajadas a partir de helicópteros da polícia, mas disparos aéreos com intervalos são permitidos; moradores relatam rasantes com tiros em direção às comunidades

“Eles são os caçadores e nós somos bichos aqui em baixo”, diz moradora de favela alvejada por tiros vindos de torre da polícia

14 de fevereiro de 2019 | por e

Pública teve acesso ao relatório feito por Defensorias na favela de Manguinhos, no Rio de Janeiro, onde moradores acusam policiais civis de usar atiradores ‘snipers’ contra jovens