Agência de Jornalismo Investigativo

Publicado em junho de 2007, o livro Plantados no Chão é uma compilação de mais de 180 casos de militantes assassinados nos primeiros 3 anos do governo Lula por causa da sua convicção. É uma tentativa de entender esses assassinatos, buscar estabelecer que padrão eles seguem, por que eles acontecem e perguntar como continuam a ocorrer em um governo que foi eleito com o apoio desses mesmos movimentos sociais. Autora: Natalia Viana

14 de dezembro de 2011

CLIQUE AQUI PARA O PDF

Mais recentes

Essa foto não pode ser publicada separadamente

Sob o domínio do medo

14 de novembro de 2018 | por e

Em 14 meses de operações comandadas por militares, moradores da Rocinha sofrem com tiroteios e choram mortes de parentes e vizinhos; sintomas de doenças mentais decorrentes da violência cotidiana são cada vez mais frequentes

É preciso trabalhar em rede para não deixar a democracia ruir

14 de novembro de 2018 | por

Para a presidente da Fundação Rosa Luxemburgo e cientista social Dagmar Enkelmann, é essencial a união entre setores da esquerda e do centro, mesmo com divergências, para enfrentar a onda reacionária que se levanta no mundo

“Só uma investigação nacional terá condições de entender a intolerância política”

13 de novembro de 2018 | por

Em entrevista à Publica, advogada explica por que grupo pediu a federalização dos casos de violência eleitoral

Explore também

Andrew Jennings: O futebol brasileiro não deveria ir ao congresso de Blatter

4 de junho de 2015 | por

Para jornalista britânico, a Fifa está morta e enterrada. Agora é hora dos torcedores tomarem conta do futebol

Ouçam o alerta da Aldeia Maracanã

15 de janeiro de 2013 | por e

Esse prédio é testemunha da história do branco e do índio no Brasil. O governo do Rio quer derrubá-lo para abrir mais um acesso ao Maracanã. Os índios criaram um centro cultural e querem uma universidade indígena aqui

Proibido discutir Belo Sun

1 de dezembro de 2017 | por

Em entrevista, a professora Rosa Acevedo Marin conta como foi a agressão do prefeito de José Porfírio (PA) aos pesquisadores que debatiam Belo Sun no campus da UFPA