Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

A Pública foi até uma favela na zona leste de São Paulo. E descobriu que ela está virando uma grande fábrica.

5 de junho de 2012
08:00

Desde 2004 tramita na Câmara dos Deputados um projeto de lei que visa regulamentar a terceirização do trabalho no Brasil. O PL 4330,  de autoria do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), é criticado por sindicatos de trabalhadores, para quem ele vai aumentar a precarização do trabalho.

Já os defensores da nova lei dizem que a terceirização é uma realidade no Brasil e deve ser regulamentada. Segundo o sindicato das empresas de prestação de serviços terceirizados (Sindeprestem), a indústria é o setor que mais contrata mão de obra terceirizada: 74% das grandes indústrias no Brasil usam esse tipo de trabalho.

A Pública foi até o Jardim Pantanal, na zona leste de São Paulo, para conhecer de perto como funciona a terceirização de produtos industriais. E conversou com os operários dessas novas fábricas improvisadas – em sua maioria, idosos, mulheres e crianças.  Veja a reportagem em vídeo.

Seja aliada da Pública

Faça parte do nosso novo programa de apoio recorrente e promova jornalismo investigativo de qualidade. Doações a partir de R$ 10,00/mês.

Mais recentes

A luta das Guarani e Kaiowá na região mais perigosa para mulheres indígenas no país

21 de outubro de 2019 | por e

Reportagem foi a Dourados, município com mais casos de violência sexual contra mulheres indígenas

Demora na justiça fez prescrever ação que investigava Edir Macedo por lavagem de dinheiro

19 de outubro de 2019 | por

Além do bispo da Igreja Universal, ação do MPF investigava outras três pessoas; processo estava pronto para ter uma sentença desde 2018, o que não aconteceu

Antonieta veste uma camisa florida e olha para a câmera. Ao fundo, plantas verdes

“Não se faz revolução no conforto”, diz liderança do Movimento Negro

18 de outubro de 2019 | por

Antonieta Luísa Costa, presidente do Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso (Imune), falou à Pública sobre a Amazônia negra, identidade racial e governo Bolsonaro