Agência de Jornalismo Investigativo

Na primeira entrevista da série “O mundo Amanhã”, o fundador do WikiLeaks entrevista o líder do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah

3 de outubro de 2012

“Você lutou contra a hegemonia dos Estados Unidos. Alá ou a noção de Deus não é o máximo superpoder?”, pergunta Julian Assange ao secretário-geral do Hezbollah. A pergunta, que soa ainda mais provocativa em tempos de protestos no Oriente Médio contra o vídeo que satirizava o profeta Maomé, resume a postura do criador do WikiLeaks na primeira – e polêmica – entrevista da série “O Mundo Amanhã”. Nela, Assange entrevista pensadores, ativistas e líderes políticos em busca de ideias que podem mudar o mundo.

O partido Hezbollah é membro do governo libanês, mas seu braço militar foi descrito como “a guerrilha mais proficiente do mundo”. Sob a liderança de Nasrallah, o Hezbollah administrou a retirada das tropas israelenses do sul do Líbano no ano 2000 e a vitória tática sobre Israel na guerra de 2006. Sayyed Nasrallah foi nomeado uma das pessoas mais influentes do mundo pelas revistas americanas Time e Newsweek. A sua reputação alcança diferentes divisões sectárias e países, e ele é reverenciado ou vilipendiado por milhões de pessoas no Oriente Médio e no mundo todo.

Esta é a primeira entrevista de Nasrallah feita em inglês em uma década. Enquanto os conflitos se acirram no Oriente Médio, Assange aborda temas espinhosos como a posição de Hezbollah – visto como grande aliado do regime de Assad – no conflito da Síria. “Somos amigos da Síria, mas não agentes da Síria”, responde o libanês, antes de revelar que o Hezbollah procurou setores da oposição síria para pedir que dialogassem com Assad, sem sucesso.

Impossibilitado de deixar a Inglaterra, onde estava em prisão domiciliar, Assange entrevista Nasrallah através de um videolink na casa onde esteve por mais de 500 dias. Por sua vez, Hassan Nasrallah participa da entrevista na sede do Hezbollah no Líbano, cuja localização exata é mantida em segredo por segurança. É lá que ele trabalha sob constante medo de ser assassinado por diferentes grupos e Estados.

Assista a seguir a entrevista, ou clique aqui para baixar o texto completo.

https://youtube.com/watch?v=1n6d51quUJA%3Ffeature%3Doembed

Republicadores da série O Mundo Amanhã:

Anonymous Brasil * Agora SustentabilidadeBaixa Cultura * Blog Brasil Acadêmico * Coletivo Catarse * Coletivo Digital * Desculpe a Nossa Falha * Diário de S. Paulo * DVeras em rede * EBC * Estadão Online * Estado de Minas * Felipe Cabral * Jornal Informação * Jornal Mercadão * Nota de Rodapé * Opera Mundi * Papo de Homem * Portal Administradores * Portal Desacato * Revista Babel * Revista Fórum * Revista Samuel * Revista Sina * TV Unochapecó * TVT * Yahoo Brasil

Comentários

Mais recentes

No abril indígena, três líderes falam de resistência

17 de Abril de 2018 | por e

Sônia Guajajara, Raoni, o líder Kaipó e David Kopenawa falam sobre os desafios da questão indígena no Brasil

Pelo menos 14 governadores são alvo de processos no STJ

16 de Abril de 2018 | por

Levantamento no tribunal localizou 13 ações penais e um inquérito que tramitam publicamente; um governador já é réu

Justiça Eleitoral deveria ser o destino de muitos processos da Lava Jato, diz advogado

16 de Abril de 2018 | por

Para Fernando Neisser, da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político, força-tarefa do MP não enquadra caixa 2 como crime eleitoral por uma estratégia “ilegal e injustificada” e decisão sobre Alckmin deveria ser aplicada a outros casos

Explore também

PL quer punir "terroristas" e grevistas na Copa

27 de Fevereiro de 2012 | por

“É a ditadura transitória da FIFA” diz presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, sobre PL que corre no Senado em paralelo à Lei Geral da Copa

A pedido do Departamento de Estado, empresa americana veio ao Brasil pesquisar "terrorismo"

8 de Abril de 2013 | por

De acordo com os telegramas, entre 4 e 22 de fevereiro de 74, a RAND, empresa de pesquisa, veio ao Brasil estudar casos de sequestros políticos

ARAGUAIA: Depoimento de Colaboradores – 3

20 de junho de 2011 | por

                                                                                                              …