Agência de Jornalismo Investigativo

Doadores votam nas propostas que vão receber bolsas de R$ 6 mil; público pode comentar e se oferecer para colaborar com as investigações

8 de outubro de 2013

Desde a última segunda-feira, dia 7 de outubro, o site do projeto Reportagem Pública está no ar, com 48 propostas de reportagem enviadas por jornalistas de todo o Brasil.

O projeto inédito de jornalismo investigativo foi financiado coletivamente através da plataforma de crowdfunding Catarse, a mais antiga do país. A campanha durou de meados de agosto até o dia 20 de setembro, e arrecadou R$ 58.935 de 808 doadores. A fundação Omidyar, criada pelos fundadores do E-Bay, vai doar um real para cada real arrecadado junto ao público, chegando ao valor total necessário.

A verba vai financiar bolsas de jornalismo no valor de R$ 6 mil para repórteres que enviaram suas propostas até o dia 27 de setembro.

Inicialmente, o projeto previa a distribuição de 10 bolsas. Mas, como a arrecadação ultrapassou a meta minima em mais de R$ 10 mil, a Agência Pública poderá distribuir mais duas bolsas, totalizando DOZE repórteres de todo o Brasil que vão receber, além do financiamento, a orientação e apoio da Agência durante a apuração.

Vote, compartilhe, comente e ajude os repórteres!

O projeto Reportagem Pública recebeu mais de 120 propostas de pauta de jornalistas de todo o país, desde estudantes até jornalistas experientes e premiados. As reportagens foram pré-selcionadas segundo os critérios de consistência na pré-apuração, experiência do repórter, capacidade de realizar reportagens de forma independente, segurança e viabilidade da investigação.

Foram pre-selecionadas 48 pautas, que irão para votação nesta segunda-feira (7/10) através do site www.apublica.org/reportagempublica.

Aqueles que doaram para o crowdfunding terão até o dia 20/10, domingo, para votar nas suas 12 reportagens favoritas através do site. Cada um receberá, por email, um login e senha para terem acesso a sistema de votação, e podem clicar nas propostas escolhidas.
Mas o projeto é aberto para todo mundo que quiser colaborar, mesmo que não tenha doado para o crowdfunding. Cada proposta de reportagem pode ser comentada e compartilhada através das redes sociais. Quem quiser interagir diretamente com o reporter pode usar o site www.apublica.org/reportagempublica para fazer isso.

A ideia é justamente que mais pessoas colaborem com ideias, fontes, informações sobre a pauta, ou até se voluntariem para apoiar o repórter na apuração. A Agência Pública acredita que dá sim para fazer jornalismo investigativo de maneira colaborativa. Estamos construindo uma comunidade que aposta nessa ideia.

Explore também

O presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL)

| De olho | Oposição tenta apertar contas do governo em 2016

15 de novembro de 2015 | por

Presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), pretende colocar em votação os vetos de Dilma para analisar o orçamento do governo para 2016; oposição quer superávit primário mais alto

Até 4 mil famílias podem perder suas casas por obras da Copa em Fortaleza

11 de setembro de 2012 | por

Em entrevista, pesquisadora diz que obras não vão beneficiar a maioria da população. Minidoc conta a história da comunidade Trilha do Senhor

Evangélicos parecem coesos para definir agenda de Bolsonaro, diz Monica de Bolle

23 de novembro de 2018 | por

Para diretora de estudos latino-americanos e mercados emergentes da Johns Hopkins University, implosão dos partidos gerou espaço político para os evangélicos, que, unidos a outros grupos fora da estrutura partidária, buscam ditar rumos do novo governo

Mais recentes

Operando com 10% do orçamento, Funai abandona postos e coordenações em áreas indígenas

25 de março de 2019 | por

Em zonas de conflito, há coordenações que funcionam dentro de carros e funcionários que sofrem de esgotamento físico e mental por atuar sozinhos

A fome que come

21 de março de 2019 | por

Acompanhamos famílias em São Paulo e Rio de Janeiro vítimas, sem saber, de um problema que atinge milhões de pessoas: a fome oculta, caracterizada por sintomas relacionados à falta de nutrientes

Como a internet está matando a democracia

19 de março de 2019 | por

Em entrevista à Pública, o pesquisador e autor inglês Jamie Bartlett diz que hoje em dia cuidar do nosso comportamento online é mais importante que votar