Agência de Jornalismo Investigativo

A Pública convida a população a fazer perguntas para os candidatos à presidência

13 de setembro de 2014

trucoA partir da próxima semana, o “Truco!”, projeto de cobertura eleitoral realizado pela Agência Pública de Jornalismo Investigativo vai entrar na sua fase final. Agora, as perguntas serão feitas pelos leitores, para todos os candidatos.
Na segunda-feira, dia 15, será aberto pelo Facebook da Pública o envio das perguntas, cada dia para um candidato. A primeira a ser “Trucada” pelos eleitores será Luciana Genro, do PSOL.

Participe: https://www.facebook.com/agenciapublica

A questão que tiver mais “likes” em um dia será enviada à campanha, que tem o prazo de uma semana para responder.

As regras são simples:

As perguntas têm que ser relativas a uma declaração do candidato, incluindo um link.

As perguntas podem ser feitas por texto, imagem ou vídeo.

A perguntas que receber mais “likes” será enviada para o candidato.

Perguntas com termos ofensivos ou preconceituosos serão excluídas.

“A campanha presidencial está chagando na reta final, e estamos convidando o público da internet para participar ainda mais do debate democrático. As novas regras do Truco são claras e o objetivo é só um: aumentar o diálogo e a prestação de contas dos candidatos com o público, usando as redes sociais”, diz Natalia Viana, diretora de estratégia da Agência Pública.

Das 11 candidaturas à presidência, 10 já se comprometeram participar: Dilma Rousseff (PT), Levy Fidelix (PRTB), José Maria Eymael (PSDC), Pastor Everaldo (PSC), Eduardo Jorge (PV), Luciana Genro (PSOL), Marina Silva (PSB), Mauro Iasi, (PCB), Zé Maria (PSTU) e Rui Costa Pimenta (PCO) se comprometeram a responder ao Truco do Eleitor!

Vale lembrar que a Agência Pública seguirá checando informações ditas pelos candidatos no horário eleitoral.

O Truco!

Desde o início do horário eleitoral gratuito na TV, a Agência Pública tem se dedicado a checar os dados veiculados pelos candidatos à presidência no horário eleitoral gratuito. O resultado das checagens é publicado no site da agência todas as terças, quintas-feiras e aos sábados. Para manter a independência característica da Pública, a agência reuniu uma extensa base de dados de pesquisas, especialistas e instituições de diversas áreas prioritárias na campanha.  A Pública também está produzindo a série Cartas na Mesa, com reportagens especiais confrontando cidadãos e candidatos.
Com um tom provocativo, bem humorado e inovador, o projeto “Truco!” tem identidade visual inspirada em jogos de cartas, desenhada pelo quadrinista Alexandre De Maio. Aos dados checados, são atribuídas cartas, de acordo com o que é apurado. São elas: Truco!”, “Não é bem assim”, “Tá certo, mas peraí”, “Blefe”, “Zap!” e “Que medo”. Saiba Mais: www.apublica.org/truco.

Truco

Este texto foi produzido pelo Truco, o projeto de fact-checking da Agência Pública. Entenda a nossa metodologia de checagem e conheça os selos de classificação adotados em https://apublica.org/truco. Sugestões, críticas e observações sobre esta checagem podem ser enviadas para o e-mail truco@apublica.org e por WhatsApp ou Telegram: (11) 96488-5119. Acompanhe também no Twitter e no Facebook.

Mais recentes

Ministério de Direitos Humanos recebe quatro denúncias contra policiais militares por dia

19 de julho de 2018 | por

Nos últimos sete anos, Disque 100 recebeu 7.856 denúncias, com 9.496 vítimas

Condenação dos 23 é recado para impedir novas mobilizações, diz Eloisa Samy

18 de julho de 2018 | por

A advogada condenada a 7 anos de prisão por sua participação nas jornadas de junho de 2013 conversou com a Pública sobre a sentença

Clamor por justiça

17 de julho de 2018 | por

A jornalista britânica Jan Rocha, que foi correspondente da BBC durante o regime militar, traz um trecho inédito do livro recém-lançado sobre grupo de apoio às famílias perseguidas pelas ditaduras latino-americanas

Explore também

O ditador e seus amigos

3 de abril de 2012 | por

Como o dinheiro do presidente da Guiné Equatorial comprou apoio nos EUA – de lobistas, advogados, políticos e ONGs. Até a luva brilhante de Michael Jackson entrou na trama

Muitas perguntas, poucas respostas

30 de junho de 2016 | por

Levantamento inédito da Artigo 19 revela que falta de transparência é regra no plano de segurança da Olimpíada; órgão mais problemático, Secretaria de Segurança do Rio acaba de receber mais R$ 2,9 bilhões do governo federal

Judiciário é tábua de salvação de direitos indígenas, diz procurador

23 de abril de 2018 | por

Conhecido por sua atuação pela garantia dos direitos constitucionais de indígenas e quilombolas na Amazônia, Felício Pontes diz que poder Judiciário, embora ainda em transição, é a principal barreira contra retrocesso ruralista