AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Você tem uma semana para apoiar o jornalismo investigativo!

Precisamos bater a meta de R$ 80 mil para produzir oito reportagens que serão escolhidas por você!

O último mês foi cheio de emoções aqui na Pública. No dia 12 de setembro, lançamos nosso terceiro crowdfunding, que vai financiar a terceira edição da Reportagem Pública, projeto que fazemos em parceria com nossos leitores. Agora, falta uma semana para a campanha acabar e você pode fazer parte do nosso conselho editorial!

Funciona assim: todo mês, nossos repórteres propõem três pautas para os apoiadores do projeto e eles decidem qual devemos investigar. Fizemos uma animação que explica como é:

A Reportagem Pública só acontece se batermos a meta de R$ 80 mil em uma semana. É com esse dinheiro que vamos financiar oito reportagens que serão escolhidas por quem apoiar o crowdfunding. Um ótimo exemplo de reportagem escolhida pelos leitores é o “Especial Quilombolas”, realizado na Reportagem Pública 2015 e que neste mês ganhou o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos!

Se não conseguirmos o dinheiro até dia 27 de outubro, as contribuições que recebemos até agora serão devolvidas para as mais de 700 pessoas que já apoiaram e o projeto não vira realidade. Já recebemos apoios muito importantes, mas ainda precisamos da sua contribuição para fazer reportagens investigativas!

Acreditamos que a participação e o engajamento dos  leitores é fundamental para um jornalismo mais independente. Venha ser parte do conselho editorial da Pública!

Apoie a Reportagem Pública!

https://www.catarse.me/reportagempublica2017

 

Tags: , , , , , ,

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

À espera de Belo Sun

| por , | 7 de novembro de 2017

Indígenas Juruna veem o peixe rarear em seu território enquanto o maior projeto de ouro a céu aberto do Brasil se aproxima; documento dos Juruna exige o direito à consulta prévia, previsto em tratado internacional em vigor no país desde 2003

No mapa, o trabalho escravo no Brasil

No mapa, o trabalho escravo no Brasil

| por | 31 de outubro de 2017

Levantamento mostra presença de empreiteiros entre a maioria dos empregadores, composta por fazendeiros e empresários do agronegócio. Irmão da senadora Kátia Abreu, que estava na lista divulgada pela Globo, é o único ausente na nova lista do MTE