Propostas podem ser enviadas até 04/06. Agência Pública e Conectas vão distribuir quatro bolsas de R$ 7 mil para repórteres realizarem investigações jornalísticas

Propostas podem ser enviadas até 04/06. Agência Pública e Conectas vão distribuir quatro bolsas de R$ 7 mil para repórteres realizarem investigações jornalísticas

25 de Maio de 2018
14:11

Agência Pública e Conectas Direitos Humanos prorrogaram hoje, 25/5 o prazo de inscrição para o programa de Microbolsas sobre violência policial e intervenção militar. Com a proximidade do feriado de Corpus Christi, o novo prazo permitirá mais tempo para a elaboração das propostas. Jornalistas de todo o Brasil têm, agora, até dia 04/06 para enviar suas propostas de investigação.

Os vencedores serão definidos pela direção da Agência Pública e da Conectas. Os repórteres vencedores receberão, além da bolsa de R$ 7 mil, mentoria e edição da Agência Pública, que fica responsável pela publicação e distribuição do conteúdo.

Os candidatos devem detalhar sua pauta, planos de trabalho e de orçamento. Também é necessário comprovar a experiência na produção de reportagens investigativas. Fica a critério do repórter a utilização da bolsa, que pode ser usada para cobrir as despesas com a produção da reportagem.

Nesta edição do programa, os repórteres pré-selecionados passarão por uma fase de entrevistas. Os vencedores serão anunciados dia 11 de junho.

Leia aqui o regulamento do concurso. Para mais informações, escreva para contato@apublica.org.

Sobre a Agência Pública: A Agência Pública foi fundada em 2011 e tem como missão produzir reportagens de fôlego pautadas pelo interesse público, sobre as grandes questões do país do ponto de vista da população – visando o fortalecimento do direito à informação, à qualificação do debate democrático e a promoção dos direitos humanos. Todas as reportagens são livremente reproduzidas por mais de 700 veículos por ano, sob licença creative commons. A Pública também atua para promover o jornalismo investigativo independente através de programas de mentoria para jovens jornalistas, bolsas de reportagem e incubação de projetos de jornalismo independente. Em 2017 a Agência Pública foi vencedora dos prêmios Vladimir Herzog e Prêmio República e duas vezes finalista do Prêmio Gabriel García Marquez. Em 2016, foi o terceiro veículo mais premiado do país, e o primeiro veículo brasileiro indicado ao Prêmio Liberdade de Imprensa, da organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF). https://apublica.org/

Sobre a Conectas: A Conectas Direitos Humanos é uma ONG fundada em 2001 e sediada em São Paulo, cuja missão é efetivar e ampliar os direitos humanos e combater as desigualdades para construir uma sociedade justa, livre e democrática a partir de um olhar do Sul Global. Com status consultivo na ONU e presença no Conselho Nacional de Direitos Humanos e no Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, atuamos por meio de incidência política, denúncias internacionais, litigio e mobilização de pessoas para produzir transformações nos temas mais urgentes em matéria de direitos fundamentais. http://www.conectas.org/

Seja aliada da Pública

Faça parte do nosso programa de apoio recorrente e promova jornalismo investigativo de qualidade. Doações a partir de R$ 10,00/mês.

Mais recentes

A mineração em terra indígena com nome, sobrenome e CNPJ

20 de fevereiro de 2020 | por , , , , e

Levantamento exclusivo revela explosão de processos desde 2019 e lista os beneficiários com mais pedidos minerários em TIs: políticos, cooperativas de garimpo e até um artista plástico paulista

PL da Mineração: “É como se o Estado decidisse legalizar o homicídio por não saber controlar”, diz subprocurador-geral da República

20 de fevereiro de 2020 | por

Em entrevista à Pública, Antônio Carlos Bigonha, que medeia a relação de indígenas com o Estado, alerta que, se há uma ideologia a ser defendida, é a ideologia da Constituição de 1988

Enquanto Brasil debate isenção de agrotóxicos, Europa tem imposto maior para os mais tóxicos

19 de fevereiro de 2020 | por e

STF decide hoje sobre benefícios ao comércio de agrotóxicos, isenções chegam a 10 bilhões de reais por ano