Agência de Jornalismo Investigativo

Pra quem não me conhece, Kawex

21 de novembro de 2018

Pra quem não me conhece, Kawex

21 de novembro de 2018

Rapper que vive há 20 anos na cracolândia entrou num estúdio para gravar seu primeiro álbum e a Pública registrou o momento

Das iniciais em inglês, Kawex. Na tradução livre, “Combate e argumentos numa guerra extrema”. Assim se define Antônio Carlos Nascimento, 49 anos, o Mc Kawex, que há 20 anos mora na região da cracolândia, no centro de São Paulo.

Em maio de 2017, Kawex viveu a agonia e o sofrimento junto com moradores e usuários da região com a violenta operação policial que prometia limpar o tráfico da região do fluxo. Do episódio, fez o rap “São Paulo à noite, o mundo se divide em dois” onde rima “um outro mundo que ninguém quer ver / Um mundo onde não se distingue o amor da maldade / Que ganha vida quando escurece nossa cidade”.

Desde então, entre idas e vindas, participa do programa de redução de danos, e usa a música como ferramenta de sobrevivência social e mental. Atualmente, Kawex mora no Atende 2, um braço do projeto Redenção da prefeitura que destina acolhimento e atendimento de dependentes químicos.

No mês da consciência negra, nossa reportagem foi ouvir sua história de vida e registrou a sua primeira vez num estúdio, onde gravou faixas do seu disco independente, financiado com a colaboração de amigos, com previsão de lançamento para o ano que vem.

Créditos

Reportagem, imagens, edição e montagem 
Caio Castor

Imagens adicionais
José Cícero da Silva

Artes e finalização
Julio Falas

Editor e coordenador
Thiago Domenici

Trilha
Produção Musical: Charles Tixier
Gravado no Estúdio Canoa por Guilherme Jesus Toledo