AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

EUA apontaram Lobão como defensor da privatização do setor elétrico

Telegramas da embaixada norte-americana em Brasília, em 2008, apontam o ministro Edison Lobão como um “amigo do setor privado” e criticam exigências ambientais para aprovação de hidrelétricas no país.

Por Débora Prado e Paula Sambo, especial para a Pública

O ministro de Minas e Energia brasileiro, Edison Lobão, foi classificado pela embaixada norte-americana em Brasília como um amigo do setor privado e favorável às privatizações no setor elétrico.

Um telegrama obtido pelo Wikileaks, do dia 5 de maio de 2008, afirma que Lobão, recém-empossado naquele momento, se mostrou “um amigo da indústria e a favor da privatização do setor elétrico”. Além disso, o documento assinala que, em seminário realizado no Rio de Janeiro naquele mesmo ano, o ministro teria enfatizado que o “MME [Ministério de Minas e Energia] deve ser obsessivo no que diz respeito a honrar os contratos para evitar ceticismo nos investidores”.

O telegrama indica ainda que, em ligação “de cortesia” para o embaixador norte-americano, “Lobão se mostrou positivamente inclinado para formalizar negócios com os EUA”.

A embaixada descreve Lobão como “um ex-jornalista e político sem experiência na área de energia, em particular, que se comprometeu a se cercar de especialistas no assunto”. O documento continua: “A maioria dos especialistas do setor nos dizem que o cargo requer mais habilidades políticas do que experiência no assunto e estão, portanto, confortáveis com a nomeação”.

A capacidade elétrica é apontada pelos norte-americanos como um ponto fundamental para o crescimento econômico brasileiro. Eles assinalam que o Brasil ainda podia enfrentar novos “apagões”.
“Como o Brasil pretende manter e até melhorar na esteira do recente crescimento do PIB de 5,4%, o sistema elétrico vai representar um desafio constante e talvez mesmo a limitação”.

Apagões e flexibilização ambiental

Outro telegrama, datado de 16 de maio de 2008, destaca que “conforme o Brasil parece continuar em sua trajetória de forte crescimento econômico, capitalizando a recente decisão da [agência norte-americana de classificação de rating] Standard and Poor’s de elevar o país para grau de investimento, este crescimento pode ser reprimido por limites no setor elétrico”. O documento explica que “nesse meio tempo, o governo se encontra obrigado a equacionar precariamente os recursos limitados no setor elétrico para evitar possíveis apagões e racionamento, por um lado, ou picos de custos elétricos, por outro”.

Segundo os documentos, um elemento crítico para o crescimento futuro será a capacidade do Brasil de fornecer um suprimento confiável de energia elétrica. “O País é altamente dependente da energia hidroelétrica, sem muita diversificação, o que gera dificuldades em anos com chuvas leves”.

A embaixada critica duramente as exigências para os licenciamentos ambientais. O argumento central é que as complicações para a obtenção das licenças acaba tendo efeito contrário e, ao invés de ajudar na preservação social e ambiental, estimulam o uso de fontes não limpas de energia, como a termelétrica.

Assim, a embaixada recomenda a flexibilização nos licenciamentos de hidrelétricas – cujas obras, atualmente, geram polêmicas ambientais e sociais, como é o caso da Usina Hidrelétrica de Belo Monte.  “O Banco Mundial concluiu recentemente um estudo que aborda esta e outras complicações no licenciamento de energia no Brasil, fazendo recomendações na tentativa de aliviar os desafios de licenciamento para empresas de energia elétrica que visam operar no Brasil”.

Uma turba de descontentes

Em diversos telegramas fica claro o descontentamento de representantes do setor de energia com a postura do governo Lula, buscando a embaixada para reclamar da pressão por preços baixos.

“A associação dos fornecedores independentes de energia, Abraceel [Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia], acredita que o papel do governo no processo de concessões tem levado a uma distorção do sistema. O presidente da Abraceel, Paulo Pedrosa, disse ao assessor econômico que as preocupações deste ano acerca de uma eventual crise energética não se deveram a limitações de geração, mas a uma escassez de oferta causada pela intervenção artificial do governo no sistema de leilões para manter os preços baixos. Ele aponta para um eufemismo do governo da demanda real contratada no leilão como forma de diminuir o número de contratos de fornecedores a serem disputados. Ao fazer isso, os fornecedores interessados oferecem um preço mais baixo, na tentativa de ganhar os contratos. Essa tática não só resulta em preços mais baixos de energia para o consumidor, como em uma oferta de energia mais baixa para os próximos anos também”.

As principais fontes citadas nos telegramas são figuras importantes no cenário elétrico do País até hoje, como é o caso de Pedrosa, que atualmente é presidente da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace) e atua em Brasília fazendo lobby para empresas como Arcelor, Rhodia, Usiminas, Vale, Nestlé, Schincariol junto ao governo e aos diversos atores do setor, e também de Luiz Fernando Leone Vianna, que preside a Apine, associação que defende os interesses de empresas como AES, CPFL, Duke Energy, EDP, Endesa, Light, MPX e Tractebel.

Tags: ,

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

  • Cesar Luiz da Silva Pereira

    Bem, até agora nenhuma novidade. A manutenção do Lobão nesse Ministério fica por conta do monstro denominado “governabilidade”. A atuação do PMDB fisiológico em áreas estratégicas pouco tem a oferecer de perigo, a não ser a voracidade por cargos para o partido manter-se ao lado do poder.

  • J.Rosa

    Ora, vcs não me enganam, são comunistas a serviço do governo do PT.

    Não aparecerá aqui nenhuma matéria falando de partidos que tenham ligação com FARC, nenhuma matéria falando de mensalão, nada que atinja o Lula.

    Anarquistas uma ova, vcs querem é derrubar a resistência à esse governo mundial tirânico de esquerda que se avizinha.

    Vendidos, suas consciências irão pesar, estão entregando a soberania brasileira em mãos estrangeiras.

  • Anonymous

    Verdade o que disse o carinha aí.
    Vcs trabalham para o governo do PT.
    Estão pintando o governo de santo e dizem que vão desmascarar o governo?
    O que estão fazendo é tentando derrubar o congresso, como no filme V de vingança.
    O STF já foi tomado pelo comunismo, o executivo nem se fala. Agora querem derrubar os congressistas, que são corruptos, mas ainda defendem o Brasil do capital internacional disfarçado de comunismo.

    Wikileaks é apoiado por Lula, é só pesquisar no youtube para ver a declaração que Lula fez quando prenderam o Assange.

    Prenderam? Que grande farça.

    Canalhas do wikileaks e do apublica.rg, vcs ainda vão cair na mão do povo. Não somos bobos, não esqueceremos.

    • Cesar Luiz da Silva Pereira

      Comentaristas “anônimos” são, na verdade, uma grande FARSA. Esse discurso de anticomunistas nem nos USA se usa mais. Mas pelo visto alguns apócrifos seguidores do Plinio Correa de Oliveira, da TFP, ainda acreditam nessas basófias. Anonymous, o Assenge já inseriu a internet na transparência do século XXI, chega de ranhetices de mensalões,FARCs, e outros delírios. Se você souber de algum documento que mereça divulgação (desde que não sejam as invencionices da nossa mídia tradicional, VEJAs, ÉPOCAs, e quejandos, que já caíram em descrédito), encaminhe-o aos responsáveis pelo site.

  • Renato

    Claro e evidente que se existe comenarios a respeito de ministros, e direito do povo saber e que ele tome as decisoes.
    Nao defendo A ou B, mas acho que se colocarem a reportagem sobre os famosos telegramas norte americanos, deve-se publicar os telegramas na intergra tambem. A atitude de noticiar e’ um direito de todos.

    • Vinicius Fiorio Custodio

      Também acho que deveriam publicar esses “telegramas” na integra, de preferência como Torrent igual ao wikileaks sempre fez

      • admin

        Olá Vinicius, os telegramas estão sendo publicados na íntegra, é só clicar no link das matérias – ou na coluna DOCUMENTOS, do nosso site. Abs, equipe Pública

  • O site apublica por si só já é bom, e é uma das muitas coisas q me fazem gostar da internet e ser defensor direto da tese de q a internet é uma potência de conteúdo e se usada para o conhecimento é o melhor socialismo q existe, e com esses reportagens do Wikileaks fica ainda melhor.

    Mas tem imbecis q não estão sendo felizes em seus comentários. Para os q falam das FARC digam a eles q quem mata na Colômbia são os paramilitares de direita e ainda jogam as pessoas em vala comum. E os cativeiros das FARC não são nem 50% do q são os bombardeios de Israel a faixa de gaza.

    E para o idiota q diz q o STF está tomado pelo comunismo, digam a ele q comunista q se preze não concede Habeas Corpus a corruptos como o banqueiro Daniel Dantas q foi solto pelo STF.

  • Gilliardt Dinu

    Deveriam, a meu ver, retirar qualquer pessoa do governo que seja a favor de privatização de setores vitais de um país.
    Acredito que existam outras formas de se melhorar sempre precisar entregar recursos nas mãos de terceiros.
    Mesmo que países pressionem, os governantes não deveriam esquecer do porque estão com o poder mas, eles sempre se esquecem e acabam entregando coisas a empresas privadas.

    Parabéns a Débora Prado e Paula Sambo pela reportagem.

  • pap

    Eu queria saber o que esse edson lobão tem que vira e mexe “causa”!
    É desde o tempo do sarney. Gente, qual é a expertise que esse homem tem?
    De energia so deve saber quando vem a conta da energia pra pagar!
    Não tem gente melhor que esse Edson lobão não?

    • Mateus

      Sua expertise é ser pau mandado do Sarney…

  • Evandro

    Que bom! Que felicidade! Ainda temos pessoas de coragem, como essas que fundaram a Pública, jornalismo investigativo de verdade! Chega de embromação, de jornais que manipulam a informação de acordo com seus anunciantes e outros poderosos interesses, de jornalistas tocados a jabá. Interessante o conceito que o embaixador tinha do nosso ministro, um incompetente mas um grande e bom puxa-saco! Lobão é daqueles que defendem os contratos perfeitos das privatizações, e não sou eu que estou dizendo,foi o embaixador que disse. Que coisa boa! Assenge! Dez pra ti, meu querido!

  • João Batista Carvalho

    Para um governo que se dizia que sempre foi contra as privatizações,más tem
    um ministro desses,que vão a privatizações de energia,portos,aeroportos e etc.
    ou seja só era errado nos governos anteriores a eles.

  • LOBÃO

    Sou do Maranhão, não entendo nada de energira mesmo, azar. O negócio aqui é fazer “negócio”. PMDB primeiro, quem quiser o resto, entra na fila. Pera ai, xô falar com o papis: Alô, Sarney, o negócio vai ser montado..fundo de pensão..Se a Dilma tirar, nós fazemos complô..ok, ok,

O Porto Maravilha é negro

O Porto Maravilha é negro 2

| por | 19 de julho de 2016

Construído na região que abrigou o maior porto negreiro das Américas, projeto da prefeitura “lembra pra esquecer” essa herança; debaixo da atração turística há milhares de ossos de escravos traficados, dizem especialistas

O relatório silenciado

| por | 12 de julho de 2016

Informe parlamentar sobre os desdobramentos da Lava Jato no Peru revela como as empreiteiras brasileiras enviavam dinheiro para subornar políticos no país. Mas o Congresso peruano quer esquecê-lo