AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Casa Pública, o novo centro cultural de Jornalismo no Rio de Janeiro

Lançamos hoje um espaço dedicado a produzir, apoiar e discutir o jornalismo independente; pioneira, a Pública também lança mapa do jornalismo independente no Brasil

Neste mês de março, comemoramos cinco anos de existência da Agência Pública. Hoje anunciamos novos passos nessa caminhada de produção e apoio ao jornalismo independente: no dia 19 de março, vamos inaugurar a Casa Pública, o primeiro centro cultural de jornalismo do país, no Rio de Janeiro. Lançamos também o Mapa do Jornalismo Independente, um extenso levantamento sobre as novas iniciativas de mídia no Brasil.
casa4-vetor-v3
A Casa Pública é um centro para a produção, fomento, discussão e apoio ao jornalismo independente e inovador no Brasil a na América Latina.

O espaço será inaugurado no próximo dia 19 e irá funcionar das quartas aos sábados das 10h às 21h na rua Dona Mariana, 81, Botafogo, Rio de Janeiro.

O objetivo é fortalecer a produção de conteúdos de qualidade, aprofundados, pautados pelo interesse público e pela defesa da democracia, em um momento de explosão de novas iniciativas, coletivos, sites e organizações que se propõem a produzir jornalismo fora da tradicional indústria de notícia.

Nestes cinco anos, a Agência Pública tem coberto persistentemente as violações dos direitos dos brasileiros. Agora, a partir da Casa Pública pretende incubar novas iniciativas de jornalismo independente e promover a troca de experiências entre profissionais do mundo todo interessados em jornalismo investigativo e direitos humanos. Com a chegada dos Jogos Olímpicos de 2016, o Rio é o local ideal para gerar esse intercâmbio.

A Casa Pública também vai promover exposições e mostras de filmes, apoiar e receber eventos de jornalismo e criar workshops e laboratórios. A redação da Agência Pública continua em São Paulo.

Mapa do jornalismo independente

No mesmo sentido de fomentar o jornalismo independente, a Pública lança hoje o Mapa do Jornalismo Independente, que traz informações sobre 70 iniciativas de mídia de todo o Brasil. Neste mapa interativo, são mostrados veículos que nasceram na rede, fruto de projetos coletivos e não ligados a grandes grupos de mídia, políticos, organizações ou empresas.

Além das organizações listadas pela Pública, o Mapa do Jornalismo Independente tem caráter colaborativo e permite que os leitores adicionem outras iniciativas através do preenchimento de um formulário no próprio site.
O objetivo é entender como funcionam e como se sustentam essas novas iniciativas, em um momento de ruptura e renascimento do jornalismo. O Mapa é uma construção coletiva, que busca abrir discussões sobre os novos atores que têm surgido no jornalismo brasileiro.

Acesse aqui o Mapa do Jornalismo Independente

O mapa do jornalismo independente.clipular

Tags: , , ,

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

Quem julga o juiz?

Quem julga o juiz?

| por | 21 de setembro de 2016

Uma exame da lista de juízes e desembargadores investigados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostra que, mesmo quando a acusação é de venda de sentença, o caso nem sempre segue para a Justiça criminal e a pena se reduz à aposentadoria

Adeus, Guyraroká

Adeus, Guyraroká 2

| por | 8 de setembro de 2016

Como o STF decidiu que uma terra em demarcação no Mato Grosso do Sul não era dos Kaiowá – e abriu as portas para outras decisões que podem impedir o direito territorial dos índios