A partir de hoje, o Greenpeace se junta à Pública para realizar a 4ª edição do Concurso de Microbolsas de Reportagem. Temas deste ano são hidrelétricas e pré-sal

A partir de hoje, o Greenpeace se junta à Pública para realizar a 4ª edição do Concurso de Microbolsas de Reportagem. Temas deste ano são hidrelétricas e pré-sal

27 de outubro de 2014
11:57
Este texto foi publicado há mais de 8 anos.

Vamos investigar os megaprojetos de energia no país? É essa a ideia do quarto Concurso de Microbolsas de Reportagem, que lançamos hoje.

Através dele vamos financiar e apoiar a produção de investigações independentes, realizadas por repórteres de todo o Brasil, sobre dois temas cruciais para o debate democrático, mas que nem sempre têm recebido a cobertura que merecem: os grandes projetos de hidrelétricas e de exploração do pré-sal.

Por isso, nos unimos ao Greenpeace para promover o Concurso de Microbolsas para Reportagens sobre Energia.

Foto: Greenpeace/Rodrigo Paiva

Convidamos jornalistas a propor pautas que sempre quiseram investigar sobre esses dois temas. As pautas devem ser inéditas e relevantes, e o repórter – ou grupo de repórteres – tem que apresentar uma boa pré-apuração e experiência em realizar reportagens de maneira independente.

Serão selecionadas duas pautas sobre cada tema. Cada vencedor receberá uma bolsa de R$ 5 mil para executar a pauta, que terá mentoria e edição da Pública.

As inscrições estão abertas desde segunda-feira, 27 de outubro, até dia 14 de novembro de 2014.

Nas edições anteriores, algumas das reportagens que ajudamos a tornar realidade foram reconhecidas e premiadas nacional e internacionalmente. É o caso de “Severinas”, minidocumentário de Eliza Capai que foi finalista do Prêmio Gabriel García Márquez, da Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano (FNPI); a série sobre “Cadeias Indígenas na Ditadura“, de André Campos, finalista do Prêmio Iberoamericano de Periodismo, do Instituto Prensa y Sociedad (IPYS); e “Dor em Dobro”, de Anna Beatriz dos Anjos, Gabriela Sá Pessoa e Natacha Corrêa, que ganhou neste ano o prêmio SindhRio de Jornalismo e Saúde.

A próxima grande reportagem pode ser a sua! Inscreva-se!

Leia aqui o regulamento e faça sua inscrição aqui, pelo formulário.

Precisamos te contar uma coisa: Investigar uma reportagem como essa dá muito trabalho e custa caro. Temos que contratar repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores, profissionais de redes sociais, advogados… e muitas vezes nossa equipe passa meses mergulhada em uma mesma história para documentar crimes ou abusos de poder e te informar sobre eles. 

Agora, pense bem: quanto vale saber as coisas que a Pública revela? Alguma reportagem nossa já te revoltou? É fundamental que a gente continue denunciando o que está errado em nosso país? 

Assim como você, milhares de leitores da Pública acreditam no valor do nosso trabalho e, por isso, doam mensalmente para fortalecer nossas investigações.

Apoie a Pública hoje e dê a sua contribuição para o jornalismo valente e independente que fazemos todos os dias!

Mais recentes

Garimpo ilegal utilizou base da Funai que deveria proteger Yanomami, mostra ofício inédito

27 de janeiro de 2023 | por

Documento de 2021 cita helicópteros clandestinos, homens armados e garimpo utilizando estrutura do governo dentro da TI

Gravações colocam governador do MT sob suspeita de tramar contra jornalista

26 de janeiro de 2023 | por

Infiltrado no esquema, repórter denunciou intenção de atingir o colega, Alexandre Aprá, que desagradava governador

Primeiras imagens do STF mostram facilidade de bolsonaristas na invasão ao Tribunal

25 de janeiro de 2023 | por

Policiais não barraram acesso de grupos golpistas; Polícia Judicial deixou vulnerável prédio principal