Agência de Jornalismo Investigativo

Jornalistas internacionais ficam hospedados na Casa Pública enquanto investigam pautas de direitos humanos

14 de março de 2018

(To read the english version, click here)

A Agência Pública convida jornalistas internacionais para participar do programa de residências da Casa Pública, o primeiro centro cultural de jornalismo do Brasil. O espaço funciona como um polo para a produção, discussão e apoio ao jornalismo independente e inovador na América Latina.

O programa, que agora entra em sua terceira edição, oferece hospedagem e mentoria gratuita para jornalistas interessados em produzir reportagens com temas relacionados aos direitos humanos. As inscrições abrem no dia 14 de março e devem ser feitas pelo formulário.

 

Mariana Simões/Agência Pública
O jornalista inglês Frederick Bernas, residente que fez uma matéria para o NBC Left Field, toma um café na cozinha da Casa Pública

 

A cada mês selecionaremos dois jornalistas para passarem 15 dias morando na Casa Pública enquanto desenvolvem suas pautas. As residências vão acontecer entre abril e novembro de 2018. As inscrições permanecem abertas durante todo esse período.

A seleção será feita em duas etapas, sendo a primeira o preenchimento do formulário online e a segunda, uma entrevista por Skype com as coordenadoras da Agência Pública. Apenas os finalistas serão contatados mês a mês. Os candidatos serão escolhidos com base em sua experiência e na pauta que têm interesse em investigar.

Além da hospedagem e do uso da estrutura do escritório da Agência Pública no Rio, os contemplados vão receber o apoio da Pública na elaboração das reportagens e para realizar contatos com jornalistas e fontes locais.

As oportunidades oferecidas pelo Programa de Residências vão para além do foco do matéria. Ao residir na Casa Pública os repórteres poderão conhecer um gama variada de colaboradores entre eles jornalistas e especialistas que frequentam a Casa Pública e participam de seus eventos.

Mariana Simões/ Agência Pública
Milagros Salazar, fundadora do veículo Convoca e participante do segundo Programa de Residências da Casa Pública

“Casa Pública é um espaço de encontro de jornalistas de diversos países do mundo, que compartilham experiências e visões, em um momento em que o exercício do bom jornalismo está cada vez mais urgente” diz Milagros Salazar fundadora do veículo peruano Convoca e participante da segunda edição do programa.

 

 

 

Leia o regulamento completo.

Após concluir a residência, os jornalistas publicam a reportagem em veículos de seus países e poderão ter a oportunidade também de publicar no site da Agência Pública, em português.

 

Mariana Simões/Agência Pública
O residente argentino Facundo F. Bairro, que trabalha para o jornal Perfil, escrevendo a sua matéria na Casa Pública

Para fazer a inscrição, o jornalista deve comprovar experiência em realizar reportagens e detalhar seu plano de investigação. Na segunda etapa da seleção, a Pública exige também uma carta de um meio de comunicação que se comprometa a publicar a matéria produzida durante a residência. É recomendável que o residente providencie um seguro para seus equipamentos.

A Pública não se responsabiliza pelo visto, pela alimentação e nem pelo transporte no Rio de Janeiro.

Explore também

Abandonada, barragem com maior risco de vazamento em Minas espera solução há sete anos

7 de fevereiro de 2019 | por

Após sumiço dos proprietários, caso foi parar na justiça e ação do Ministério Público responsabilizou o Estado; fechamento da mina de ouro tem processo de licitação programado para este mês

Retrato em branco e preto

7 de abril de 2013 | por

Em telegrama secreto de 1976, embaixador americano qualifica governo militar de "paranoico" e aliado a "uma elite temerosa das massas"

Dow como patrocinadora contraria espírito olímpico, acusa ONG

19 de abril de 2013 | por

Dona da empresa responsável por um enorme desastre ambiental ocorrido na Índia em 1984, Dow Chemical se recusa a reparar vítimas e danos que ainda afetam a saúde da população

Mais recentes

Homens de farda não choram

20 de fevereiro de 2019 | por e

Treinados para não revelarem suas próprias dores, policiais militares de todo o país enfrentam números explosivos de transtornos mentais e suicídios sem quase nenhum apoio da corporação

O calabouço onde o governo da Nicarágua prendeu jornalistas

19 de fevereiro de 2019 | por

Condições da prisão não servem “nem para criar porcos”, diz deputado europeu que foi visitar o dono de um canal de TV detido pelo governo de Daniel Ortega

Perfis de paródia se organizam no Twitter em apoio a Bolsonaro e contra a imprensa

18 de fevereiro de 2019 | por

Organizadas por uma central que ganhou força após a exclusão de contas pelo Twitter, sátiras misturam notícias tendenciosas com piadas