Agência de Jornalismo Investigativo

Na inauguração da Pública, o jornalista Kristinn Hrafnsson, porta-voz do WikiLeaks, participou de uma conversa com o público. Assista.

18 de outubro de 2011

No dia 3 de julho a Pública fez um evento de inauguração na Casa de Cultura Digital. Kristinn Hrafnsson, porta-voz do WikiLeaks, participou de uma conversa com o público presente.

Kristinn  é um dos mais aclamados jornalistas investigativos da Islândia. Ele comandou programas investigativos na televisão comercial e no canal estatal da Islândia, expondo atividades criminosas, corrupção política e fraude pelo setor financeiro do país. Pela sua atuação destemida foi demitido 4 vezes

Nesta CONVERSA PÚBLICA ele afirmou que iniciativas independentes estão preenchendo um vácuo no jornalismo. “Há menos dinheiro para investigação enquanto os poderosos estão ficando mais poderosos”.

Kristinn  também defendeu o direito de pessoas romperem com contratos ou até leis para obter documentos e enviar para o WikiLeaks.

“Todas as grandes mudanças sociais foram alcançadas contrariando as leis. Se uma informação é importante para o público, e alguém dentro do sistema com uma boa consciência sente a necessidade de publicar, a obrigação moral de fazer isso para o bem comum é superior a qualquer lei ou qualquer contrato”.

 


Comentários

Mais recentes

Uma ativista perseguida no governo Macri

18 de Janeiro de 2018 | por

Líder da Tupac Amaru, importante organização social da Argentina, Milagro Sala está presa em condições ilegais por crimes que não cometeu segundo organizações internacionais de direitos humanos

“Licitação de Dória traz muitos pontos duvidosos”, diz especialista em transporte

17 de Janeiro de 2018 | por

Em entrevista à Pública, o geógrafo Oliver França Scarcelli examina criticamente o novo edital para a concessão do serviço de ônibus em São Paulo

Sorteio do Supremo é caixa preta

16 de Janeiro de 2018 | por

STF não detalha procedimentos que definem o sorteio de processos entre ministros; levantamento de dados da última década revela equilíbrio, mas não há como descartar possíveis manipulações

Explore também

Sorteio do Supremo é caixa preta

16 de Janeiro de 2018 | por

STF não detalha procedimentos que definem o sorteio de processos entre ministros; levantamento de dados da última década revela equilíbrio, mas não há como descartar possíveis manipulações

Greenhalgh e os diplomatas

5 de agosto de 2011 | por

Em encontros com diplomatas americanos, o ex-deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh teria revelado bastidores do PT, detalhado o funcionamento de caixa dois e chamado o MST de “hipócrita”

Checamos o vídeo de Doria sobre a Cracolândia

12 de junho de 2017 | por e

Criticado pela ação repressiva a usuários no centro de São Paulo, prefeito fez gravação para dizer que não vai recuar