Agência de Jornalismo Investigativo

Se incluirmos os custos à saúde, qual é o preço real da gasolina? Veja animação do Center for Investigative Reporting

1 de novembro de 2012

Que os Estados Unidos são os maiores consumidores de bens e serviços do mundo talvez não seja novidade. De fato, no consumo de produtos derivados do petróleo, os EUA saem na frente, muito acima do consumo da China, o segundo colocado, e da União Europeia, o terceiro colocado.

Lá, o galão da gasolina (que corresponde a aproximadamente 3,8 litros) custa entre US$ 3 e US$ 4 dólares (R$ 6 a R$ 8), ou seja: metade do que pagamos no Brasil. Mas o preço da gasolina depende de uma série de fatores que variam de país para país – entre eles, o preço do petróleo bruto, o custos de refino, os valores da distribuição e comércio, além dos impostos.

A única coisa que não é contabilizada é o custo à saúde – a nossa e a do planeta.

Por isso, em 1998 a Alemanha estabeleceu um imposto ecológico sobre a eletricidade e o petróleo. Desde então, a ecotax tem sido centro de grandes debates políticos em território alemão. A iniciativa, inovadora ainda hoje, é só uma pequena amostra de como se pode cobrar os custos reais que estão por trás da produção da gasolina.

Mas afinal, quais são os custos invisíveis da gasolina? Assista ao vídeo do Center for Investigative Reporting e entenda um pouco mais dessa história.

O vídeo possui legenda em português.

 

Mais recentes

Essa foto não pode ser publicada separadamente

Sob o domínio do medo

14 de novembro de 2018 | por e

Em 14 meses de operações comandadas por militares, moradores da Rocinha sofrem com tiroteios e choram mortes de parentes e vizinhos; sintomas de doenças mentais decorrentes da violência cotidiana são cada vez mais frequentes

É preciso trabalhar em rede para não deixar a democracia ruir

14 de novembro de 2018 | por

Para a presidente da Fundação Rosa Luxemburgo e cientista social Dagmar Enkelmann, é essencial a união entre setores da esquerda e do centro, mesmo com divergências, para enfrentar a onda reacionária que se levanta no mundo

“Só uma investigação nacional terá condições de entender a intolerância política”

13 de novembro de 2018 | por

Em entrevista à Publica, advogada explica por que grupo pediu a federalização dos casos de violência eleitoral

Explore também

Pode invadir, pode derrubar, só não pode atrasar

5 de junho de 2012 | por

Artigo do Código Florestal que permite construir em áreas de proteção ambiental para megaventos não foi vetado por Dilma; leia entrevista com promotor

Que nome é esse?

28 de setembro de 2012 | por e

Amijubi, Fuleco ou Zuzeco? Publicitários e pelo menos 34.462 torcedores não gostaram nada dos nomes sugeridos pela Fifa para a mascote da Copa de 2014

Depois que a casa caiu

13 de novembro de 2012 | por

Elisângela, que viu seu barraco desmoronar, conta o que aconteceu depois da demolição de sua casa