Em entrevista à Pública, o sargento Nóbrega descreve detalhes da Operação Registro

Em entrevista à Pública, o sargento Nóbrega descreve detalhes da Operação Registro

26 de agosto de 2014
19:29
Este texto foi publicado há mais de 6 anos.

Entre o final e abril e o começo de maio de 1970, o II Exército brasileiro realizou a maior mobilização de sua história, com quase 3000 homens, para cercar e vasculhar a área do Vale do Ribeira, a 200 km de São Paulo. O local era usado para centros de treinamento de guerrilha da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), organização comandada pelo Capitão Carlos Lamarca.

No dia 11 de maio, o sargento José de Araújo Nóbrega, um dos comandados de Lamarca, perdeu-se do grupo e foi capturado pelos militares. De dentro do cerco militar, ele observava de longe as bombas destinadas ao grupo.

Mais de 40 anos depois, a reportagem da Pública levou a Nóbrega fragmentos de bomba encontrados no meio da floresta por moradores do Ribeira. O ex-guerrilheiro avaliou os destroços e identificou, inclusive, o tipo de avião utilizado nos bombardeios.

Assista ao encontro:

Seja aliada da Pública

Ajude a Pública a investigar os poderosos. Sua doação permite que a gente revele os abusos que outros preferem esconder.

Mais recentes

Faculdade em SP teria usado professores de fachada em curso de pós-graduação

21 de junho de 2021 | por e

Metade dos professores que aparecem em certificado com suspeita de fraude afirmou à Pública que não ministrou o curso

Coronel insufla seguidores extremistas a defender Bolsonaro de golpe imaginário

18 de junho de 2021 | por

Em artigo dirigido a grupos da Escola Superior de Guerra e divulgado nas redes bolsonaristas, coronel da reserva fala em fantasioso movimento armado de esquerda e em guerra civil

Ajude a mapear a perseguição política nas universidades brasileiras

17 de junho de 2021 | por e

Você conhece algum professor que foi processado por sua posição política? Sabe de pesquisas acadêmicas vetadas por abordarem temas polêmicos? Conte sua história