Em entrevista à Pública, o sargento Nóbrega descreve detalhes da Operação Registro

Em entrevista à Pública, o sargento Nóbrega descreve detalhes da Operação Registro

26 de agosto de 2014
19:29
Este texto foi publicado há mais de 7 anos.

Entre o final e abril e o começo de maio de 1970, o II Exército brasileiro realizou a maior mobilização de sua história, com quase 3000 homens, para cercar e vasculhar a área do Vale do Ribeira, a 200 km de São Paulo. O local era usado para centros de treinamento de guerrilha da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), organização comandada pelo Capitão Carlos Lamarca.

No dia 11 de maio, o sargento José de Araújo Nóbrega, um dos comandados de Lamarca, perdeu-se do grupo e foi capturado pelos militares. De dentro do cerco militar, ele observava de longe as bombas destinadas ao grupo.

Mais de 40 anos depois, a reportagem da Pública levou a Nóbrega fragmentos de bomba encontrados no meio da floresta por moradores do Ribeira. O ex-guerrilheiro avaliou os destroços e identificou, inclusive, o tipo de avião utilizado nos bombardeios.

Assista ao encontro:

Seja aliada da Pública

Investigar as ameaças à democracia é nossa forma de protegê-la.

Mais recentes

Presidente da República, Jair Bolsonaro recebendo Honras Militares ao desembarcar na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN)

Partido militar: mais de 1,5 mil candidatos militares concorrem nas eleições neste ano

16 de agosto de 2022 | por e

Candidatos militares somam patrimônio multimilionário; 158 declararam R$ 1 milhão ou mais de bens, incluindo generais do governo Bolsonaro, como Pazuello

Candidatos religiosos declararam patrimônio milionário nas eleições

16 de agosto de 2022 | por , , e

Juntos, 36 postulantes que usam títulos religiosos declararam mais de R$ 79 milhões em bens. Lista de milionários inclui aliados de Bolsonaro, como o pastor Marco Feliciano (PL-SP)

Ex ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi

Em Mato Grosso, quem manda nas eleições é o agro

16 de agosto de 2022 | por

Rei da soja, Blairo Maggi manobra governador Mauro Mendes, apoia Geller ao Senado e adere a Lula deixando MT sem alternativa política ao agronegócio