Agência de Jornalismo Investigativo

Ficou com alguma dúvida sobre o projeto Reportagem Pública 2015, o segundo crowdfunding da Pública para financiar reportagens?

21 de janeiro de 2015

Veja as dúvidas mais frequentes:

O que é o conselho editorial?

O conselho editorial é formado por todas as pessoas que contribuíram com o projeto Reportagem Pública 2015. Após o período de arrecadação, os conselheiros serão convidados a participar da escolha das reportagens financiadas pelo crowdfunding. A partir de março, todo dia 15 a Agência Pública vai colocar para votação três propostas de pauta. Durante 10 meses, o conselho editorial será responsável por decidir o que a Pública vai investigar. Os membros do conselho também participam de um grupo secreto no Facebook.

 

Eu posso votar mais de uma vez na mesma reportagem?

Não. Cada conselheiro da Agência Pública tem direito a um voto por mês.

 

Como eu vou ter acesso ao hotsite?

Assim que o período de arrecadação for encerrado, cada conselheiro receberá por email as instruções de como acessar o site, com login e senha. O acesso ao painel de votação será exclusivo àqueles que contribuírem com o projeto.

 

Quando será o período de votação?

Todo dia 15 será aberta uma nova votação. Os conselheiros têm uma semana para votar em uma das três pautas propostas pela redação da Pública.

 

E se o projeto não atingir a meta de financiamento?

Temos até o dia 06/03 para arrecadar a nossa meta de 50 mil reais. Caso isso não aconteça, todos os apoiadores serão reembolsados.

 

E se a meta for ultrapassada?

Quanto mais dinheiro arrecadado, mais reportagens serão financiadas e mais temas serão escolhidos pelos nossos financiadores.

 

Quando as recompensas serão entregues?

As recompensas serão enviadas até dia 31/03. Os livros e o adesivo serão enviados por correio num prazo máximo de 15 dias. Os apoiadores receberão um email com informações sobre a entrega. O “Ocupe a Pública”, workshop prático de como elaborar uma pauta investigativa, será realizado aos sábados, com data a ser definida, na sede da Pública, em São Paulo.

 

Mas a Pública vai deixar de distribuir bolsas para jornalistas?

É claro que não! Seguimos distribuindo bolsas e oferecendo mentorias para repórteres independentes através dos nossos concursos de microbolsas.  Os bolsistas da última edição já estão realizando suas pautas  e nós já estamos planejando a próxima edição!

 

Ainda tem dúvidas? Fale com a gente: contato.publica@gmail.com

Quer doar? Corre lá:  http://catarse.me/pt/reportagempublica2015

Mais recentes

Essa foto não pode ser publicada separadamente

Sob o domínio do medo

14 de novembro de 2018 | por e

Em 14 meses de operações comandadas por militares, moradores da Rocinha sofrem com tiroteios e choram mortes de parentes e vizinhos; sintomas de doenças mentais decorrentes da violência cotidiana são cada vez mais frequentes

É preciso trabalhar em rede para não deixar a democracia ruir

14 de novembro de 2018 | por

Para a presidente da Fundação Rosa Luxemburgo e cientista social Dagmar Enkelmann, é essencial a união entre setores da esquerda e do centro, mesmo com divergências, para enfrentar a onda reacionária que se levanta no mundo

“Só uma investigação nacional terá condições de entender a intolerância política”

13 de novembro de 2018 | por

Em entrevista à Publica, advogada explica por que grupo pediu a federalização dos casos de violência eleitoral

Explore também

“O Congresso não tem perfil para garantir a terra indígena”, diz presidente da Funai

20 de maio de 2016 | por

Para João Pedro Gonçalves da Costa, o governo Temer representa atraso na pauta indígena. Na entrevista, ele reconhece ter sofrido pressões políticas durante sua gestão e aborda temas como a PEC 215 e demarcações de terras indígenas

Prorrogado o prazo de inscrições para as Microbolsas Fome

21 de setembro de 2018 | por

Agência Pública e Oxfam Brasil vão receber propostas de pauta sobre fome no país até dia 30 de setembro; quatro repórteres serão selecionados para receber a bolsa de R$ 7 mil e mentoria da Pública

Reunião da CCJ da Câmara em que foi aprovado o substitutivo do PL Espião.

PL Espião ameaça liberdade na internet

7 de outubro de 2015 | por

Projeto avança na Câmara e será analisado agora pelo plenário; entidades defendem que internautas se mobilizem para garantir que não haja retrocessos