Agência de Jornalismo Investigativo

“O Brasil formava, em 2003, em torno de 500 mil estudantes. Em 2014, já graduamos mais de 1,1 milhão de estudantes.” – Fátima Bezerra (PT-RN), senadora, no plenário, na terça-feira (18)

21 de agosto de 2015
Falso

Ainda não se sabe quantos brasileiros concluíram cursos universitários no ano passado, porque o Censo da Educação Superior de 2014 só será divulgado pelo Inep em setembro. Logo, o número usado pela senadora Fátima Bezerra não existe.

Também não é correto dizer que os estudantes se graduaram ou se formaram. O Inep faz a contagem dos alunos que concluíram todos os créditos exigidos pelo curso. Parte deles pode não ter obtido o diploma por vários motivos, como não cumprimento de atividades complementares ou inadimplência no pagamento de mensalidade. De 2012 para 2013, houve inclusive uma queda na quantidade de estudantes que teriam terminado seus cursos de graduação.

De acordo com o Censo da Educação Superior de 2013, 991 mil alunos conseguiram cumprir todos os créditos naquele ano. Em 2012, o número foi de 1,05 milhão, pouco mais do que o dobro em 9 anos, o que é considerado um recorde. Na época, o Ministério da Educação explicou a queda de 2012 para 2013 por conta da supervisão feita em parte das instituições de ensino privado. Isso teria resultado em descredenciamentos, suspensão ou redução de vagas.

Procurada pelo Truco no Congresso, a assessoria da senadora afirmou que, para chegar a 1,1 milhão de alunos, foi feita uma projeção com base na evolução do número de matrículas de 2008 a 2010 e no crescimento registrado até 2012. A queda de 2013 teria sido um ponto fora da curva. Mas isso não ficou claro no discurso da senadora e pode ou não ser confirmado pelos resultados oficiais, que serão divulgados em breve.

A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) em discurso no plenário
A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) em discurso no plenário. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Explore também

Reforma política e financiamento de campanhas. Zap, Jandira!

7 de agosto de 2015 | por

“[Foi] uma reforma [política] que criou restrições, que buscou constitucionalizar, e ainda vai para o segundo turno o financiamento empresarial de campanhas, que é uma das grandes bases da corrupção no Brasil.” – Jandira Feghali, deputada federal, líder do PC do B na Câmara

Exagerado, distorcido ou discutível

CPMF é quase nada? Não é bem assim, Marroni!

18 de setembro de 2015 | por

“Resumindo: em R$ 1.000, a CPMF será de R$ 2; quase nada.” – Fernando Marroni (PT-RS), deputado federal, no plenário, na terça-feira (15)

Corrente exagera ao comparar remunerações de professores e políticos

6 de julho de 2017 | por

Piso de professores é maior - e o auxílio a deputados é menor - do que os valores utilizados na comparação

Mais recentes

Vídeo falso diz que eleições de 2014 foram fraudadas

27 de outubro de 2018 | por

Vídeo de suplente de deputada coloca em dúvida eleições de 2014 com dados irreais e um "especialista" não identificado

Em economia, Bolsonaro cita dados falsos e Haddad subestima e acerta

26 de outubro de 2018 | por , e

Em 4 frases checadas, presidenciável do PSL usou informações falsas; já Haddad citou número inferior ao real e fez uma afirmação correta

Alunos da rede pública de ensino do Distrito Federal realizam atividades: candidatos têm propostas distintas para a área

Haddad exagera e Bolsonaro erra em frases sobre educação

26 de outubro de 2018 | por e

Números foram superestimados por candidato do PT, enquanto presidenciável do PSL citou informações falsas