Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

Programa Residências Públicas oferece hospedagem na Casa para interessados em investigar questões de direitos humanos no Rio de Janeiro

11 de agosto de 2017

(To read the english version, click here)

A Agência Pública convida jornalistas internacionais para participar do programa de residências da Casa Pública, o primeiro centro cultural de jornalismo do Brasil. O espaço funciona como um polo para a produção, discussão e apoio ao jornalismo independente e inovador na América Latina.

A segunda edição do programa, que oferece hospedagem e mentoria gratuita, procura apoiar jornalistas interessados em produzir reportagens em uma variedade de temas relacionados aos direitos humanos. As inscrições abrem no dia 11 de agosto e devem ser feitas pelo formulário.

A cada mês selecionaremos dois jornalistas para passarem pelo menos 15 dias morando na Casa Pública enquanto desenvolvem suas pautas. As residências vão acontecer em setembro, outubro e novembro de 2017 e em janeiro, fevereiro e março de 2018. As inscrições permanecem abertas durante todo esse período.

A seleção será feita em duas etapas, sendo a primeira o preenchimento do formulário online e a segunda, uma entrevista por Skype com as coordenadoras da Agência Pública. Os candidatos serão escolhidos com base em sua experiência e na pauta que têm interesse em investigar. Os finalistas serão contatados mês a mês.

Além da hospedagem e do uso da estrutura do escritório da Agência Pública no Rio, os contemplados vão receber o apoio da Pública na elaboração das reportagens e para realizar contatos com jornalistas e fontes locais.

“Aqui você tem todo o apoio para fazer jornalismo em um país estrangeiro, em um ambiente onde você se sente confortável, e com uma abordagem que é muito mais consciente da realidade social do país,” explica Caterina Clerici, jornalista italiana que participou da primeira edição do programa.

Leia o regulamento completo.

Após concluir a residência, os jornalistas publicam a reportagem em veículos de seus países e também no site da Agência Pública, em português.

Para fazer a inscrição, o jornalista deve comprovar experiência em realizar reportagens e detalhar seu plano de investigação. Na segunda etapa da seleção, a Pública exige também uma carta de um meio de comunicação que se comprometa a publicar a matéria produzida durante a residência. É recomendável que o residente providencie um seguro para seus equipamentos.

A Pública não se responsabiliza pelo visto, pela alimentação e nem pelo transporte no Rio de Janeiro.

[huge_it_gallery id=”42″]

Seja aliada da Pública

Faça parte do nosso novo programa de apoio recorrente e promova jornalismo investigativo de qualidade. Doações a partir de R$ 10,00/mês.

Comentários de nossos aliados

 Ver comentários

Esta é a área de comentários dos nossos aliados, um espaço de debate para boas discussões sobre as reportagens da Pública. Veja nossa política de comentários.

Carregando…
Você precisa ser um aliado para comentar.
Fechar
Só aliados podem denunciar comentários.
Fechar

Explore também

Viagem a Canaã

25 de novembro de 2012 | por

No Pará, a caminho do “maior projeto da história da Vale”, nossa equipe mostra a região onde tudo “tem, mas não está tendo”: empregos, royalties e desenvolvimento

Diretor do WikiLeaks: “Assange pode enfrentar décadas de prisão nos EUA”

12 de abril de 2019 | por

Se condenarem Assange nos EUA, nenhum jornalista estará seguro em lugar nenhum do mundo, avalia Kristinn Hrafnsson em entrevista exclusiva à Pública

Após invasão, EUA pediram anistia de dívida iraquiana com Brasil

29 de junho de 2011 | por

Embaixadores Donna Hrinak e John Danilovich fizeram lobby em nome do país invadido

Mais recentes

Mais terras públicas para o mercado, menos áreas coletivas

17 de maio de 2019 | por

Retrocesso na reforma agrária soma-se ao avanço de titulação em assentamentos ambientalmente diferenciados; registro de títulos individuais explode a partir de 2017, em especial na Amazônia

Não há registro de entrada na Câmara para assessor de Bolsonaro investigado pela Justiça

16 de maio de 2019 | por , , e

Além de Nelson Alves Rabello, que teve sigilo bancário quebrado, Pública revela mais cinco assessores sem crachá de funcionários na Câmara; “Wal do Açaí” é uma delas. Agora são 11 os assessores do então deputado federal sem registro de entrada no Congresso

Professores acusam Laureate de forjar documentos para obter o reconhecimento de cursos EAD no Brasil

15 de maio de 2019 | por

Docentes denunciam irregularidades, dizem que foram obrigados a mentir para o MEC e a dar aulas em disciplinas fora de sua área de formação; documentos e áudio obtido pela Pública apontam algumas denúncias

Login para aliados

Participe e seja aliado.

Fechar