Agência de Jornalismo Investigativo

“O único setor que está dando respostas positivas [à crise] é o da agricultura.” – Ana Amélia (PP-RS), senadora, no plenário, na terça-feira (11)

14 de agosto de 2015
17:00
Este texto foi publicado há mais de 7 anos.
Exagerado, distorcido ou discutível
Exagerado, distorcido ou discutível

As previsões para a economia são bem negativas, segundo o próprio governo federal. O Produto Interno Bruto (PIB) deve ter retração de 1,49% este ano e a inflação deve ficar em 9%, de acordo com estimativas do Ministério do Planejamento. Mas a senadora está enganada ao afirmar que o setor agrícola é o único que registrou um desempenho positivo em 2015. O setor de serviços também teve um bom resultado.

Nessa área, que concentra o maior número de postos de trabalho do país, houve crescimento de 1,1% em maio em relação ao mesmo período do ano passado. Embora tenha sido a segunda menor alta desde que as medições começaram, em 2012, não foi um índice negativo. Em 2015, os primeiros cinco meses registraram aumento acumulado de 2,3%. Em 12 meses, a alta foi de 3,8%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada em julho.

Isso não significa que todos os estados tiveram resultado positivo na comparação entre maio deste ano e maio do ano passado. A retração no setor de serviços atingiu o Distrito Federal e 10 estados – a maior, de -8,6%, ocorreu no Amazonas. O que assegurou o resultado positivo no índice geral foi o crescimento registrado em 16 deles – o maior foi em Rondônia, de 12,9%.

O setor de franquias cresceu 9,2% no primeiro trimestre deste ano, segundo pesquisa da Associação Brasileira de Franchising (ABF). E o setor financeiro tem conseguido lucros altos. O Itaú Unibanco registrou um lucro líquido de R$ 5,9 bilhões no segundo trimestre de 2015. O do Bradesco foi de R$ 4,4 bilhões. Já o Santander Brasil conseguiu R$ 3,8 bilhões e o Banco do Brasil, R$ 3 bilhões.

A senadora Ana Amélia (PP-RS), em pronunciamento no Senado. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Precisamos te contar uma coisa: Investigar uma reportagem como essa dá muito trabalho e custa caro. Temos que contratar repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores, profissionais de redes sociais, advogados… e muitas vezes nossa equipe passa meses mergulhada em uma mesma história para documentar crimes ou abusos de poder e te informar sobre eles. 

Agora, pense bem: quanto vale saber as coisas que a Pública revela? Alguma reportagem nossa já te revoltou? É fundamental que a gente continue denunciando o que está errado em nosso país? 

Assim como você, milhares de leitores da Pública acreditam no valor do nosso trabalho e, por isso, doam mensalmente para fortalecer nossas investigações.

Apoie a Pública hoje e dê a sua contribuição para o jornalismo valente e independente que fazemos todos os dias!

Truco

Este texto foi produzido pelo Truco, o projeto de fact-checking da Agência Pública. Entenda a nossa metodologia de checagem e conheça os selos de classificação adotados em https://apublica.org/truco. Sugestões, críticas e observações sobre esta checagem podem ser enviadas para o e-mail truco@apublica.org e por WhatsApp ou Telegram: (11) 99816-3949. Acompanhe também no Twitter e no Facebook. Desde o dia 30 de julho de 2018, os selos “Distorcido” e “Contraditório” deixaram de ser usados no Truco. Além disso, adotamos um novo selo, “Subestimado”. Saiba mais sobre a mudança.

Mais recentes

Governo de MG avaliza exploração na Serra do Curral após negativa da AGU

29 de novembro de 2022 | por

Mineradoras Gute Sicht e Fleurs Global são investigadas pela PF e atuam sem licenciamento ambiental

COP27 entrega fundo de perdas e danos mas tem trégua com combustíveis fósseis

22 de novembro de 2022 | por

Analisamos os resultados da conferência que, apesar de decisão histórica, não foi capaz de aumentar ambição climática

Na COP27, Lula inicia retorno do Brasil à agenda global de combate às mudanças climáticas

19 de novembro de 2022 | por

Com perspectiva de nova postura para o Brasil, passagem do presidente eleito se tornou um dos grandes destaques da COP