Buscar
Nota

“Mercantilização do luto”: PSOL pede fiscalização de cemitérios privatizados de SP

5 de junho de 2024
18:46

Celso Giannazi, vereador de São Paulo pelo PSOL, protocolou uma representação para o Tribunal de Contas do Município investigar a falta de ação da prefeitura e da agência SP Regula por problemas de infraestrutura e cobrança de taxas abusivas em cemitérios privatizados da cidade.

A ação ocorreu após reportagens mostrarem que, pouco mais de um ano depois da concessão, há uma série de irregularidades no serviço cemiterial da cidade, como a cobrança de serviços desnecessários, roubos e furtos, túmulos violados, mato alto, buracos e falta de pessoal. Uma reportagem da Agência Pública mostrou que taxas aumentaram até dez vezes para reenterrar mortos da covid-19. 

Segundo levantamento feito pela equipe do vereador, há irregularidades em 13 dos 22 cemitérios concedidos à iniciativa privada. Há registros de ossadas expostas, túmulos revirados, troca de restos mortais sem anuência dos familiares e até pessoas que se machucaram caindo em covas não sinalizadas.

Os valores cobrados pelas empresas aumentaram de forma exorbitante, na avaliação dos advogados. Serviços não obrigatórios, como a tanatopraxia (preparação do corpo para o velório), são cobrados sem o aviso de que são opcionais, e ainda há indícios de superfaturamento. Um laudo anexado à ação diz que o serviço custa, em média, R$ 400 – mas, nos cemitérios de São Paulo, ele chega a valer R$ 4.400.

“As concessionárias também têm deixado de informar o direito à tarifa social e à gratuidade de sepultamento e de cremação aos usuários do serviço público de baixa renda”, diz o documento. Um vídeo anexado mostra funcionários de uma das empresas tentando vender o serviço completo de funeral (que custa mais de R$ 5 mil) a uma senhora que avisa que tem baixa renda – e poderia ter gratuidade do serviço.

“O resultado da privatização açodada e da falta de fiscalização é a inequívoca mercantilização do luto”, diz o texto.

O Tribunal de Contas do Município afirmou, em nota, que já abriu “vários procedimentos” para investigar os cemitérios concedidos. E que recentemente enviou um ofício pedindo informações para a SP Regula sobre a regularidade da cobrança de uma nova taxa de R$ 700 anuais para donos de jazigos.

Edição:

ELON MUSK é parça de Bolsonaro, Trump e benfeitor na Amazônia e no Rio Grande do Sul? Já se perguntou quais são as intenções de Elon Musk no Brasil? A Pública vai investigar os interesses e negócios do homem mais rico do mundo em nosso território. O magnata da tecnologia mundial promove desinformação e já é investigado por órgãos públicos em diversos países. O jornalismo independente da Pública pode trazer revelações inéditas sobre Elon Musk. Mas um trabalho desse tamanho só pode ser realizado com a ajuda de nossos leitores. Por isso precisamos de, pelo menos, 700 novos Aliados ao nosso lado nesta investigação, que vai render uma série de reportagens especiais.

Clique aqui e faça parte desta investigação!

Não é todo mundo que chega até aqui não! Você faz parte do grupo mais fiel da Pública, que costuma vir com a gente até a última palavra do texto. Mas sabia que menos de 1% de nossos leitores apoiam nosso trabalho financeiramente? Estes são Aliados da Pública, que são muito bem recompensados pela ajuda que eles dão. São descontos em livros, streaming de graça, participação nas nossas newsletters e contato direto com a redação em troca de um apoio que custa menos de R$ 1 por dia.

Clica aqui pra saber mais!

Quer entender melhor? A Pública te ajuda.

Notas mais recentes

Tribunais de contas de estados omitem aquisições de programas espiões ao STF


Empresário que transportou mala de joias de Bolsonaro nos EUA participa do CPAC Brasil


Brumadinho: Familiares de vítimas buscam justiça no STJ, mas encontram gabinetes vazios


Palestrante aponta discriminação em voo da Azul enquanto ia a evento do MP sobre racismo


Brasil Paralelo mira geografia e ciências sociais após curso que desinforma sobre história


Faça parte

Saiba de tudo que investigamos

Fique por dentro

Receba conteúdos exclusivos da Pública de graça no seu email.

Artigos mais recentes