Agência de Jornalismo Investigativo

Até Que Se Prove O Contrário

Podcast semanal sobre a justiça no Brasil

Ouça agora:

Até Que Se Prove O Contrário

Podcast semanal sobre a justiça no Brasil

Até Que Se Prove O Contrário é um podcast em formato minissérie documental de 6 episódios que vai ao ar toda quinta-feira. Uma produção da Agência Pública e que faz parte da Rede Guarda Chuva de podcasts. 

Conduzido por Ciro Barros, José Cícero e Ricardo Terto, o podcast conta no detalhe a história de inocentes que foram encarcerados e revela, ao longo dos episódios, problemas estruturais de injustiça no Brasil. Vamos conhecer a luta dos familiares para conduzirem investigações por conta própria, ouvir relatos de pessoas que sofreram impactos físicos e psicológicos, e buscar respostas para perguntas cruciais como qual o papel da imprensa, da polícia e da sociedade nesse ciclo? Por que o peso falho da lei sempre pesa sobre jovens e  negros? Ao longo de mais de um ano, Ciro e José conheceram, conversaram, e escutaram pessoas que convivem com a injustiça: ex-detentos, especialistas, juristas e pesquisadores. O resultado é um entrelaçamento de histórias urgentes e temas necessários sobre este que é  um dos maiores problemas do Brasil atual.

EP 6 O que vem depois da injustiça

No sexto e último episódio desta série, investigamos os danos financeiros e emocionais da injustiça

0:00

EP 5 O escudo da farda

Neste episódio, Ciro Barros e José Cícero investigam como o sistema judiciário e a sociedade acabam sendo coniventes com os problemas da polícia brasileira

0:00

EP 4 O que se prova na pele

Conheça a história de Babiy Querino, acusada e presa por causa de um reconhecimento com base no seu cabelo

0:00

EP 3 O enquadro da mídia

Neste episódio, qual o papel do jornalismo para criar injustiça e também para fazer justiça

0:00

EP 2 O peso da palavra

Essa é a história de quatro jovens, presos só com base na palavra dos policiais

0:00

EP 1 O que os olhos não veem

Essa é a história de quatro jovens, presos injustamente depois que a vítima os reconheceu incorretamente

0:00

Precisamos te contar uma coisa: Investigar uma reportagem como essa dá muito trabalho e custa caro. Temos que contratar repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores, profissionais de redes sociais, advogados… e muitas vezes nossa equipe passa meses mergulhada em uma mesma história para documentar crimes ou abusos de poder e te informar sobre eles. 

Agora, pense bem: quanto vale saber as coisas que a Pública revela? Alguma reportagem nossa já te revoltou? É fundamental que a gente continue denunciando o que está errado em nosso país? 

Assim como você, milhares de leitores da Pública acreditam no valor do nosso trabalho e, por isso, doam mensalmente para fortalecer nossas investigações.

Apoie a Pública hoje e dê a sua contribuição para o jornalismo valente e independente que fazemos todos os dias!

Mais recentes

Garimpo ilegal utilizou base da Funai que deveria proteger Yanomami, mostra ofício inédito

27 de janeiro de 2023 | por

Documento de 2021 cita helicópteros clandestinos, homens armados e garimpo utilizando estrutura do governo dentro da TI

Gravações colocam governador do MT sob suspeita de tramar contra jornalista

26 de janeiro de 2023 | por

Infiltrado no esquema, repórter denunciou intenção de atingir o colega, Alexandre Aprá, que desagradava governador

Primeiras imagens do STF mostram facilidade de bolsonaristas na invasão ao Tribunal

25 de janeiro de 2023 | por

Policiais não barraram acesso de grupos golpistas; Polícia Judicial deixou vulnerável prédio principal