Agência de Jornalismo Investigativo

Até Que Se Prove O Contrário

Podcast semanal sobre a justiça no Brasil

Ouça agora:

Até Que Se Prove O Contrário

Podcast semanal sobre a justiça no Brasil

Até Que Se Prove O Contrário é um podcast em formato minissérie documental de 6 episódios que vai ao ar toda quinta-feira. Uma produção da Agência Pública e que faz parte da Rede Guarda Chuva de podcasts. 

Conduzido por Ciro Barros, José Cícero e Ricardo Terto, o podcast conta no detalhe a história de inocentes que foram encarcerados e revela, ao longo dos episódios, problemas estruturais de injustiça no Brasil. Vamos conhecer a luta dos familiares para conduzirem investigações por conta própria, ouvir relatos de pessoas que sofreram impactos físicos e psicológicos, e buscar respostas para perguntas cruciais como qual o papel da imprensa, da polícia e da sociedade nesse ciclo? Por que o peso falho da lei sempre pesa sobre jovens e  negros? Ao longo de mais de um ano, Ciro e José conheceram, conversaram, e escutaram pessoas que convivem com a injustiça: ex-detentos, especialistas, juristas e pesquisadores. O resultado é um entrelaçamento de histórias urgentes e temas necessários sobre este que é  um dos maiores problemas do Brasil atual.

EP 6 O que vem depois da injustiça

No sexto e último episódio desta série, investigamos os danos financeiros e emocionais da injustiça

0:00

EP 5 O escudo da farda

Neste episódio, Ciro Barros e José Cícero investigam como o sistema judiciário e a sociedade acabam sendo coniventes com os problemas da polícia brasileira

0:00

EP 4 O que se prova na pele

Conheça a história de Babiy Querino, acusada e presa por causa de um reconhecimento com base no seu cabelo

0:00

EP 3 O enquadro da mídia

Neste episódio, qual o papel do jornalismo para criar injustiça e também para fazer justiça

0:00

EP 2 O peso da palavra

Essa é a história de quatro jovens, presos só com base na palavra dos policiais

0:00

EP 1 O que os olhos não veem

Essa é a história de quatro jovens, presos injustamente depois que a vítima os reconheceu incorretamente

0:00

Precisamos te contar uma coisa: Investigar uma reportagem como essa dá muito trabalho e custa caro. Temos que contratar repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores, profissionais de redes sociais, advogados… e muitas vezes nossa equipe passa meses mergulhada em uma mesma história para documentar crimes ou abusos de poder e te informar sobre eles. 

Agora, pense bem: quanto vale saber as coisas que a Pública revela? Alguma reportagem nossa já te revoltou? É fundamental que a gente continue denunciando o que está errado em nosso país? 

Assim como você, milhares de leitores da Pública acreditam no valor do nosso trabalho e, por isso, doam mensalmente para fortalecer nossas investigações.

Apoie a Pública hoje e dê a sua contribuição para o jornalismo valente e independente que fazemos todos os dias!

Mais recentes

Saiba quem é e o que disse o policial legislativo do Senado investigado por atos golpistas

3 de fevereiro de 2023 | por

Alexandre Hilgenberg é servidor desde 1996; no dia 8 de janeiro ele pediu apoio a invasão do Congresso em suas redes
Parlamentares participam de sessão na Câmara dos Deputados

As igrejas que dominam a nova ala evangélica na Câmara

2 de fevereiro de 2023 | por

Assembleia de Deus, Batista e IURD reúnem 58% dos 93 parlamentares evangélicos empossados na atual Legislatura
Agricultor Neri Gomes de Souza mostra sua plantação no assentamento Roseli Nunes

Agrotóxicos colocam em risco produção agrofamiliar em assentamento no Mato Grosso

2 de fevereiro de 2023 | por e

Relatório aponta contaminação da água de rios, poços, chuva e até caixa d'água da escola por 10 tipos de agrotóxicos