Agência de Jornalismo Investigativo

In 2011 Publica reviewed all WikiLeals cables from Brazil to write and publish the stories that had been left out by daily newspapers. Watch a video about the project

2 de julho de 2011

Just a few months after its foundation, Publica gathered a team of 15 volunteer journalists to review the documents that were still unpublished. The task force published over 50 articles that were picked up by the Brazilian media though a creative commons license.

The result was the WikiLeaks Week – watch a video in which Julian Assange announces the partnership.

Comentários

Mais recentes

Jornalistas mexicanos investigaram fundador do CAM

22 de Janeiro de 2018 | por

Em entrevista à Pública, Témoris Grecko, um dos autores do livro sobre Jorge Serrano, conta por que ele foi processado por corrupção no México, onde nasceu a rede de sites armadilha que constrange mulheres que querem abortar

Armadilha para mulheres

22 de Janeiro de 2018 | por

Site oferece ajuda para mulheres grávidas que não desejam ter o filho sem esclarecer que o objetivo é impedi-las de abortar; domínio está registrado em nome de padre ligado ao Opus Dei e ao Centro de Ajuda à Mulher (CAM)

Uma ativista perseguida no governo Macri

18 de Janeiro de 2018 | por

Líder da Tupac Amaru, importante organização social da Argentina, Milagro Sala está presa em condições ilegais por crimes que não cometeu segundo organizações internacionais de direitos humanos

Explore também

Olhar indigesto

20 de Maio de 2013 | por e

Memórias dos parentes de agentes da repressão revelam como os tentáculos da ditadura militar no Brasil chegaram às relações familiares

Em pronunciamento, o senador Delcídio do Amaral (Sem partido-MS)

| De olho | Calendário avança sobre Dilma, Delcídio e Cunha

20 de Março de 2016 | por

Câmara acelera votações para encurtar prazo de defesa da presidente. Ex-líder do governo terá primeiro encontro com colegas desde que foi preso e que fez delação. Conselho de Ética recebe defesa de peemedebista

Um aviso à Funai

29 de novembro de 2014 | por e

De Itaituba (PA) acompanhamos a ocupação dos Munduruku à sede da Funai. Eles exigem a demarcação das suas terras, ameaçadas pela UHE São Luiz do Tapajós