Durante três meses, nossos repórteres buscaram desvendar a trilha de investimentos do BNDES em projetos de infraestrutura na Amazônia. Veja as principais descobertas nesta animação

Durante três meses, nossos repórteres buscaram desvendar a trilha de investimentos do BNDES em projetos de infraestrutura na Amazônia. Veja as principais descobertas nesta animação

9 de dezembro de 2013
09:00
Este texto foi publicado há mais de 8 anos.

Cerca de 44% do que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financia está completamente às escuras. E mais da metade do que o BNDES envia para o exterior é completamente sigiloso. É assim que o banco lida com a transparência, embora o dinheiro seja público, vindo, por exemplo, do Tesouro Brasileiro e do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), do Ministério do Trabalho e Emprego.

Em 2012, o BNDES emprestou 156 bilhões de reais desse dinheiro público. Foi em busca do que acontece com esse dinheiro que nossa equipe levantou, durante três meses, os investimentos em infraestrutura na Amazônia, onde essas obras geram gritantes  impactos sociais e ambientais.  Leia abaixo as reportagens da série.

As informações coletadas também serviram de base para o desenvolvimento da plataforma interativa BNDES na Amazôniauma parceria da Pública com O Eco.

AS PEGADAS DO BNDES NA AMAZÔNIA. Parceria entre Agência Pública e O Eco vai mapear o aumento dos investimentos do BNDES em projetos de infraestrutura na região. Obras financiadas pelo banco são acusadas de disfarçar impactos ao meio ambiente, populações indígenas e trabalhadores.

BNDES NA AMAZÔNIA: 17 DOS 20 MAIORES INVESTIMENTOS TÊM AÇÕES DE MPS. Levantamento da Agência Pública e O Eco revela problemas com estudos de impacto ambiental, falta de diálogo com comunidades e abusos contra trabalhadores nas obras financiadas pelo banco

TRABALHADORES REFÉNS EM OBRAS BILIONÁRIAS NA AMAZÔNIA. Mortes no Maranhão, trabalhadores forçados por soldados da Força Nacional a permanecerem em canteiro de obras em Belo Monte. Acusados de violar direitos trabalhistas, megaempreendimentos recebem financiamento do BNDES

DOIS REPÓRTERES NA PISTA DOS BILHÕES DO BNDES. Durante três meses, nossa equipe buscou desvendar a trilha de investimentos em projetos de infraestrutura na Amazônia. A conclusão: 44% do que o BNDES financia está completamente às escuras

BNDES, PARA EXPORTAÇÃO. Em nome da internacionalização, financiamentos do BNDES a empreiteiras brasileiras no exterior cresceram 1185% em dez anos segundo estudo do Ibase. Odebrecht é líder

PAN-AMAZÔNIA À BRASILEIRA. Obras negociadas pelo BNDES na Amazônia sul-americana incluem hidrelétrica com rachaduras, gasoduto com vazamentos e rodovia que estremeceu a presidência da Bolívia.

 

A AMAZÔNIA QUE O BNDES FINANCIA. Pela lei de acesso à informação, a Pública obteve 43 contratos do BNDES com grandes corporações nacionais para empreendimentos na Amazônia. Leia e baixe aqui os documentos

 

Seja aliada da Pública

Todos precisam conhecer as injustiças que a Pública revela. Ajude nosso jornalismo a pautar o debate público.

Mais recentes

Redes sociais fecham parceria com TSE, mas não deixam claro como irão banir desinformação

26 de maio de 2022 | por

Plataformas prometem divulgar conteúdo oficial sobre as eleições e identificar postagens de políticos, mas há dúvidas se conteúdos falsos sobre processo de votação serão banidos

O presidente Jair Bolsonaro participou no domingo 8/8/2021 de um passeio de moto em Brasília em homenagem ao Dia dos Pais. A manifestação reuniu apoiadores do presidente, que se concentraram em frente ao Palácio do Planalto, na Praça dos Três Poderes.

PSB e PT monitoram extremistas de direita durante eleições

25 de maio de 2022 | por

Grupos de inspiração paramilitar, CACs e neonazistas estão no radar dos partidos que apoiam a candidatura de Lula

Imagem mostra extensão da Serra do Curral, área de preservação de mata nativa em Minas Gerais

Zema coloca prima de chefe de mineradora em órgão que decide mineração na Serra do Curral

23 de maio de 2022 | por

Presidente anterior do Iepha foi exonerado após enviar ofício ao Ministério Público revelando possível ilegalidade no processo de licenciamento do empreendimento da Tamisa