Agência de Jornalismo Investigativo

Lançamos hoje um espaço dedicado a produzir, apoiar e discutir o jornalismo independente; pioneira, a Pública também lança mapa do jornalismo independente no Brasil

3 de março de 2016

Neste mês de março, comemoramos cinco anos de existência da Agência Pública. Hoje anunciamos novos passos nessa caminhada de produção e apoio ao jornalismo independente: no dia 19 de março, vamos inaugurar a Casa Pública, o primeiro centro cultural de jornalismo do país, no Rio de Janeiro. Lançamos também o Mapa do Jornalismo Independente, um extenso levantamento sobre as novas iniciativas de mídia no Brasil.
casa4-vetor-v3
A Casa Pública é um centro para a produção, fomento, discussão e apoio ao jornalismo independente e inovador no Brasil a na América Latina.

O espaço será inaugurado no próximo dia 19 e irá funcionar das quartas aos sábados das 10h às 21h na rua Dona Mariana, 81, Botafogo, Rio de Janeiro.

O objetivo é fortalecer a produção de conteúdos de qualidade, aprofundados, pautados pelo interesse público e pela defesa da democracia, em um momento de explosão de novas iniciativas, coletivos, sites e organizações que se propõem a produzir jornalismo fora da tradicional indústria de notícia.

Nestes cinco anos, a Agência Pública tem coberto persistentemente as violações dos direitos dos brasileiros. Agora, a partir da Casa Pública pretende incubar novas iniciativas de jornalismo independente e promover a troca de experiências entre profissionais do mundo todo interessados em jornalismo investigativo e direitos humanos. Com a chegada dos Jogos Olímpicos de 2016, o Rio é o local ideal para gerar esse intercâmbio.

A Casa Pública também vai promover exposições e mostras de filmes, apoiar e receber eventos de jornalismo e criar workshops e laboratórios. A redação da Agência Pública continua em São Paulo. Veja os eventos a cada semana, aqui: http://apublica.org/casapublica/

Mapa do jornalismo independente

No mesmo sentido de fomentar o jornalismo independente, a Pública lança hoje o Mapa do Jornalismo Independente, que traz informações sobre 70 iniciativas de mídia de todo o Brasil. Neste mapa interativo, são mostrados veículos que nasceram na rede, fruto de projetos coletivos e não ligados a grandes grupos de mídia, políticos, organizações ou empresas.

Além das organizações listadas pela Pública, o Mapa do Jornalismo Independente tem caráter colaborativo e permite que os leitores adicionem outras iniciativas através do preenchimento de um formulário no próprio site.
O objetivo é entender como funcionam e como se sustentam essas novas iniciativas, em um momento de ruptura e renascimento do jornalismo. O Mapa é uma construção coletiva, que busca abrir discussões sobre os novos atores que têm surgido no jornalismo brasileiro.

Acesse aqui o Mapa do Jornalismo Independente

O mapa do jornalismo independente.clipular

.yarpp-related{display:none;}

Explore também

As controvérsias de Omidyar

29 de abril de 2014 | por

O novo megainvestidor da imprensa digital americana e as polêmicas nas quais ele está envolvido.

Tem água pra ver, mas não pra beber

31 de julho de 2013 | por

Nos arredores do maior açude do Ceará, moradores de assentamentos, cidadezinhas e vilas sofrem com a seca enquanto a água passa diante dos seus olhos para abastecer o agronegócio, a indústria, e a capital, Fortaleza

STF julga amanhã ação do DEM contra quilombolas; decisão pode afetar também indígenas e meio ambiente

15 de agosto de 2017 | por

A corte volta a analisar ação de 2004 pedindo a anulação do decreto que regulamenta a demarcação de terras quilombolas. Outras comunidades tradicionais – como as indígenas – podem ser afetadas pela decisão que envolve o marco temporal

Mais recentes

Operando com 10% do orçamento, Funai abandona postos e coordenações em áreas indígenas

25 de março de 2019 | por

Em zonas de conflito, há coordenações que funcionam dentro de carros e funcionários que sofrem de esgotamento físico e mental por atuar sozinhos

A fome que come

21 de março de 2019 | por

Acompanhamos famílias em São Paulo e Rio de Janeiro vítimas, sem saber, de um problema que atinge milhões de pessoas: a fome oculta, caracterizada por sintomas relacionados à falta de nutrientes

Como a internet está matando a democracia

19 de março de 2019 | por

Em entrevista à Pública, o pesquisador e autor inglês Jamie Bartlett diz que hoje em dia cuidar do nosso comportamento online é mais importante que votar