Hospedada na Casa Pública durante um mês, a diretora de arte colombiana participou dos laboratórios de inovação da Pública

Hospedada na Casa Pública durante um mês, a diretora de arte colombiana participou dos laboratórios de inovação da Pública

31 de maio de 2016
19:31
Este texto foi publicado há mais de 5 anos.

No dia 11 de abril de 2016, às 7:00 horas da manha, Olga Lucía Lozano saltou do táxi que a trouxe do aeroporto internacional do Rio de Janeiro à Rua Dona Mariana, em Botafogo. Apesar de arrastar uma mala pequena para fora do carro, a jornalista e diretora de arte chegou à Casa Pública com uma cabeça cheia de grandes ideias.

Diretora de arte colombiana que participou dos laboratórios de inovação da Casa Pública
Diretora de arte colombiana que participou dos laboratórios de inovação da Casa Pública

Ganhadora do primeiro prêmio Gabriel Garcia Marquez em Jornalismo e Inovação em 2013, a artista colombiana foi, entre outras coisas, co-fundadora do site inovador “La Silla Vacia”, que cobre política no país latinoamericano.

[relacionados]

Em um quarto um tanto escondido nos fundos da casa, Lozano se instalou e montou o escritório onde permaneceu trabalhando até o final de abril.

A convite da Agência Pública, a diretora de arte veio dar início a uma das principais frentes de atuação da Casa Pública: os LABs, laboratórios de inovação.

Esses grupos de trabalho têm como objetivo produzir investigações interativas que usam tecnologia e arte para transformar a maneira como se conta uma história.

A desenvolvedora de sites e designer colombiana Lorena Parra e os repórteres da Agência Pública Jessica Mota e Bruno Fonseca se juntaram a Lozano para dar vida ao projeto. Lozano volta em junho para ficar mais três semanas elaborando o conceito do primeiro laboratório de inovação com o grupo.

Além de fundar um site e atuar como diretora de arte e design, Lozano coordena campanhas artísticas como o “Proyecto Rosa”, uma inciativa multi-platforma sobre uma defensora de direitos humanos que foi ameaçada de morte.

Uma artista multifacetada, Olga não consegue reduzir o seu trabalho a apenas uma frase. “Não sou tão jornalista, não sou tão artista, não sou nada disso! Sou um híbrido de tudo isso. Sou vários pedacinhos pequenos de tudo. E é isso que eu vim fazer aqui, trazer um pouquinho desses pedacinhos de conhecimento que tenho e vamos ver se funciona!”

Em video, Lozano se apresenta aos leitores da Pública:

O resultado desse trabalho sai dia 20 de julho. Aguardem!

Seja aliada da Pública

Ajude a Pública a investigar os poderosos. Sua doação permite que a gente revele os abusos que outros preferem esconder.

Mais recentes

Dalva na porta de casa com óculos e uma blusa regata roxa

A tragédia de Dalva, presa ao ganhar uma cadeira de rodas para a filha

22 de julho de 2021 | por

Acusada sem provas de integrar quadrilha que aplicava golpes na internet, a dona de casa segue investigada três anos depois

Cerca de 100 manifestantes na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Mais a frente da imagem, pessoas seguram duas bandeiras do Brasil e em uma está escrito: Brasil sem aborto, Brasil sem drogas

Mesmo com crise na saúde, pauta antiaborto avança de maneira acelerada no Congresso

21 de julho de 2021 | por e

Aliança entre parlamentares e membros ultraconservadores do Executivo garantem aumento das proposições antidireitos reprodutivos

Homem com camisa vermelha e calça azul no meio de uma floresta com focos de incêndio

“A Amazônia está morrendo” e o Brasil é o principal culpado, diz cientista do Inpe

20 de julho de 2021 | por

Estudo liderado por Luciana Gatti aponta que Amazônia já emite mais carbono do que é capaz de absorver; desmatamento e queimadas em nosso país são os principais vetores