Com a participação do público, vamos monitorar casos de violência como ofensas, ameaças, agressões e assassinatos

Com a participação do público, vamos monitorar casos de violência como ofensas, ameaças, agressões e assassinatos

10 de agosto de 2022
09:00

O guarda municipal e tesoureiro do PT Marcelo Arruda comemorava seu aniversário em Foz do Iguaçu (PR) quando foi assassinado a tiros pelo policial apoiador de Jair Bolsonaro Jorge Guaranho. Entre janeiro e junho de 2022, já ocorreram ao menos 214 casos de violência contra lideranças políticas, um aumento de 23% em relação ao primeiro semestre de 2020, último ano eleitoral, de acordo com levantamento do Observatório da Violência Política e Eleitoral (OVPE) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).   

Nas duas últimas eleições, a Agência Pública vem cobrindo casos de violência relacionados ao pleito, pois entendemos que a segurança é essencial para garantir eleições livres e democráticas. Em 2022, queremos mapear e investigar casos de violência contra eleitores, candidatos, mesários e também contra jornalistas. Vamos incluir no levantamento episódios em que a violência aconteceu presencialmente, ou seja, não vamos considerar ataques feitos pela internet ou telefone.

Você passou por alguma situação de violência relacionada à eleição? Sofreu algum ataque por discordância política? Ficou sabendo de casos assim pelas redes sociais ou pela imprensa local? Responda o questionário abaixo, ou, se preferir, mande uma mensagem no WhatsApp para (11) 98886-9401 ou um email para participe@apublica.org. As denúncias serão checadas pela equipe da Pública. Garantimos que seu relato será lido e que você só será identificado na matéria se nos autorizar — este é apenas um primeiro contato com nossa equipe. 

Precisamos te contar uma coisa: Investigar uma reportagem como essa dá muito trabalho e custa caro. Temos que contratar repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores, profissionais de redes sociais, advogados… e muitas vezes nossa equipe passa meses mergulhada em uma mesma história para documentar crimes ou abusos de poder e te informar sobre eles. 

Agora, pense bem: quanto vale saber as coisas que a Pública revela? Alguma reportagem nossa já te revoltou? É fundamental que a gente continue denunciando o que está errado em nosso país? 

Assim como você, milhares de leitores da Pública acreditam no valor do nosso trabalho e, por isso, doam mensalmente para fortalecer nossas investigações.

Apoie a Pública hoje e dê a sua contribuição para o jornalismo valente e independente que fazemos todos os dias!

Mais recentes

Saiba quem é e o que disse o policial legislativo do Senado investigado por atos golpistas

3 de fevereiro de 2023 | por

Alexandre Hilgenberg é servidor desde 1996; no dia 8 de janeiro ele pediu apoio a invasão do Congresso em suas redes

Parlamentares participam de sessão na Câmara dos Deputados

As igrejas que dominam a nova ala evangélica na Câmara

2 de fevereiro de 2023 | por

Assembleia de Deus, Batista e IURD reúnem 58% dos 93 parlamentares evangélicos empossados na atual Legislatura

Agricultor Neri Gomes de Souza mostra sua plantação no assentamento Roseli Nunes

Agrotóxicos colocam em risco produção agrofamiliar em assentamento no Mato Grosso

2 de fevereiro de 2023 | por e

Relatório aponta contaminação da água de rios, poços, chuva e até caixa d'água da escola por 10 tipos de agrotóxicos