Agência de Jornalismo Investigativo

Naira Hofmeister

Naira Hofmeister tem 36 anos, é jornalista e vive em Porto Alegre. Trabalha como freelancer desde 2006 e se especializou em produzir reportagens de fôlego e investigativas para diversos veículos de imprensa brasileiros, como Superinteressante, piauí, Brio Journalism e Caros Amigos. Recentemente tem desenvolvido projetos financiados diretamente pelos leitores através de crowdfunding, como o Dossiê Cais Mauá (Jornal JÁ) e o Dossiê Palcos Públicos de Porto Alegre. Foi correspondente do jornal O Globo na capital gaúcha e também colabora com Folha de S. Paulo e Estadão. Tem experiência internacional, escrevendo para jornais da América Latina e da Península Ibérica. Atualmente realiza comentários regulares para a Rádio Oceáno FM, do Uruguai. Em 2012, morou em Madri como uma das bolsistas selecionadas do Programa Balboa para Jóvenes Periodistas, período em que também foi correspondente no país para a agência Carta Maior. Integrou a equipe que recebeu o Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo em 2016 por uma edição especial da Superinteressante e recebeu, em três ocasiões, o Prêmio da Associação Riograndense de Imprensa (ARI) de Jornalismo, nas categorias Economia e Geral Impressas.


Mais recentes

“A Vale continua a ver os índios como um entrave e um incômodo”

30 de julho de 2018 | por

O antropólogo Cesar Gordon avalia que mineradora não trata de maneira adequada as questões relacionadas aos Xikrin

Indígenas Xikrin abrem nova batalha judicial contra a Vale

30 de julho de 2018 | por

Etnia do sudeste do Pará processa mineradora por retirada de cobre em área de uso tradicional, corte irregular de castanheiras e poluição de rios que servem aldeias

Brasilianista busca revelações sobre ditadura em 100 mil documentos dos EUA

23 de maio de 2018 | por

Em visita a Porto Alegre, o pesquisador James Green, da Universidade Brown (EUA), fala do recém-descoberto telegrama de Geisel e da relação do governo americano com a ditadura brasileira

“A poluição do rio não é negociável”

7 de dezembro de 2017 | por

À frente da ação civil pública contra a Vale, o procurador Ubiratan Cazetta (MPF-PA) diz que indenizar os índios pela exploração minerária não exime a companhia de arcar com os impactos socioambientais de seus projetos

"Não se paga com milhões a morte de um rio"

7 de dezembro de 2017 | por e

A antropóloga Lux Vidal, professora emérita da USP e pioneira nos estudos sobre os Xikrin, diz que a atual contaminação do rio Cateté é a crise mais grave enfrentada pelo povo, que é cercado pela mineração da Vale

Quanto vale um Rio?

7 de dezembro de 2017

Quanto vale um rio?

5 de dezembro de 2017 | por e

Cercados por minas da Vale desde a ditadura, os Xikrin enfrentam agora a extração de níquel a 3 km da aldeia e a presença de metais pesados no Cateté

Nos tribunais, os Xikrin estão vencendo a Vale

23 de outubro de 2017 | por

Xikrin do Cateté paralisam a produção de níquel no Pará e aguardam indenização por danos causados pela operação da mina de Onça Puma; laudo aponta contaminação do rio que é o centro da vida nas aldeias